Diretor do presídio Nilton Gonçalves rebate acusações de Sindicato

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral, Segurança | Data: 11 ago 2016

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

IMG_3668Nesta semana, o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado da Bahia (SINSPEB) emitiu uma nota acusando a direção do Presídio Nilton Gonçalves de coagir os internos. A medida seria uma forma de forçar a liberação, pela Justiça, da terceirização dos serviços no novo presídio de Vitória da Conquista. A declaração causou indignação na direção do presídio, que fez questão de rebater as acusações.

“Não existe nenhuma coação aos presos”, garantiu Alexsandro Oliveira, diretor geral da unidade carcerária. “Todos conhecem a reputação da direção do nosso presídio e sabem que não adotamos procedimentos ilegais. Nunca houve nenhum tipo de denúncia de maus tratos. Além disso, a inauguração do novo presídio já está marcada para este mês”, completou.

Para Oliveira, as declarações do SINSPEB têm o objetivo de chamar a atenção para a pauta de contratação de novos agentes penitenciários. “A gente entende a preocupação do Sindicato, entende que eles tentem tencionar as discussões para mudar a forma de administração do novo presídio [que será de co-gestão]. Mas este é um modelo que já segue a tendência nacional, que vem dando melhores resultados, pois até foge de algumas burocracias (como a realização de reformas) inerente ao Estado”, diz Alexsandro, explicando que existem seis unidades na Bahia no formato de co-gestão e outras 22 no formato de gestão plena.

No novo presídio, o governo do estado ficará responsável pelos cargos de coordenação e administração. Já a empresa de terceirizada, Socializa Empreendimentos, será responsável pelas  atividades fins (agente de disciplina, enfermeiros, médicos, psicólogo, advogados, preparador físico, psiquiatra, pedagogo).

Os comentários estão encerrados.