A Bahia contabilizou saldo negativo de 6.853 postos de trabalho em agosto de 2015

0

Publicado por Resenha Geral | Colocado em Bahia, Brasil, Trabalho | Data: 27 set 2015

Tags:,

Da Redação

geração de empregosAs informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), referentes ao mês de agosto de 2015, apontam que a Bahia totalizou um saldo negativo de 6.853 postos de trabalho com carteira assinada, conforme projeção do emprego realizada pela SEI (-6.828 postos de trabalho). O resultado expressa a diferença entre o total de 51.731 admissões e 58.584 desligamentos. O saldo registrado em agosto situou-se em um patamar inferior ao contabilizado em igual período do ano anterior (+4.090 postos) e representa o menor resultado da série para os meses de agosto (2005-2015). Porém, apresenta uma redução do ritmo da perda em relação a julho de 2015 (-8.260 postos), incluindo as declarações fora do prazo.

Setorialmente, em agosto, na Bahia, sete segmentos registraram saldo negativo: Construção Civil (-2.577 postos), Serviços (-1.618 postos), Comércio (-1.199 postos), Agropecuária (-720 postos), Indústria de Transformação (-648 postos), Administração Pública (-181 postos) e Extrativa Mineral (-9 postos). Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP (+99 postos) foi o único setor com resultado positivo.

No acumulado dos oito primeiros meses de 2015, cinco setores contabilizaram saldos negativos: Construção Civil (-25.222 postos), Comércio (-10.247 postos), Serviços (-10.159 postos), Indústria de Transformação (-1.092 postos) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (-430 postos). Três setores apresentaram saldos acumulados positivos: Agropecuária, Ext. Vegetal, Caça e Pesca (+7.686 postos), Administração Pública (+2.198 postos) e Extrativa Mineral (+42 postos).

A Bahia encerrou 6.853 postos, ocupou a 9ª posição no saldo de postos de trabalho, dentre os estados da Região Nordeste, e a 21ª posição no Brasil em agosto de 2015. Na Região Nordeste, a Bahia (-6.853 postos) foi acompanhada por Pernambuco (-1.920 postos) e Rio Grande do Norte (-285 postos) que também apresentaram saldos negativos. Seis estados da Região Nordeste contabilizaram saldos positivos: Paraíba (+4.293 postos), Alagoas (+2.505 postos), Maranhão (+947 postos), Ceará (871 postos), Sergipe (+722 postos) e Piauí (+613 postos).

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, a Bahia apresentou um saldo de emprego da ordem de -37.224 postos de trabalho levando em conta a série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo. A Bahia ocupou a 22ª posição no país e a oitava no Nordeste. Pernambuco foi o estado que eliminou mais postos no mercado de trabalho formal nordestino (-79.450 postos), seguido da Bahia (-37.224 postos), Alagoas (-25.488 postos), Ceará (-13.604 postos), Paraíba (-11.717 postos), Rio Grande do Norte (-10.646 postos), Sergipe (-6.393 postos) e Maranhão (-5.633 postos). Dos estados do Nordeste, Piauí (+1.022 postos) foi o único que apresentou um total acumulado positivo nos oito primeiros meses de 2015.

RMS e Interior – Os dados referentes aos saldos de emprego distribuídos dentro do estado da Bahia, em agosto de 2015, apontam que o resultado do emprego foi negativo na RMS e no Interior, onde foram fechados 2.447 postos. Na Região Metropolitana de Salvador encerrou-se 4.406 postos de trabalho celetista.

Quanto ao saldo de emprego, de janeiro a agosto de 2015, o estado encerrou 37.224 postos. Enfatiza-se que a participação do Interior do estado e da RMS foram negativas. O Interior encerrou 2.141 postos, e a RMS perdeu 35.083 posições de trabalho com carteira assinada. A Tabela 2, a seguir, exibe esses dados:

Em agosto de 2015, os municípios com mais de 30.000 habitantes que tiveram os menores saldos de empregos formais foram: Salvador (-2.858 postos), Itabuna (-736 postos) e Camaçari (-664 postos). Por outro lado, Casa Nova (+582 postos) e Juazeiro (+345 postos) destacaram-se na criação de novas oportunidades de trabalho formal na Bahia. Com informações SEI/Ba.

Os comentários estão encerrados.