Assembleia da Adusb aprova paralisações em outubro e indicativo de greve geral

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 15 out 2016

Tags:, ,

Por Halanna Andrade (Ascom)

adusb-paral

Em assembleia realizada na terça-feira (11), professoras e professores da Uesb aprovaram paralisação de atividades nos dias 25 e 26 de outubro. A categoria também seguiu o indicativo nacional e aprovou a greve geral a partir da primeira quinzena de novembro.

Preparação para a greve geral

O Dia Nacional de Luta dos Servidores Públicos e da Educação (25 de outubro) é um chamado das centrais sindicais para construção da greve geral. O momento é grave! Direitos conquistados a duras lutas poderão ser destruídos. A segunda-feira (10) foi uma amostra de que senadores e deputados estão ao lado de Temer para fazer  a classe trabalhadora pagar a conta da crise. Neste fatídico dia, a PEC 241/16, que congela os gastos públicos pelos próximos 20 anos, foi aprovada com 255 votos de diferença no primeiro turno da Câmara. É urgente que toda a população se organize e ocupe as ruas para barrar os ataques aos direitos políticos, trabalhistas e sociais.

Vamos parar o Brasil!

Professoras e professores defendem a resistência da classe trabalhadora contra o ajuste fiscal aplicado por Temer e sua base parlamentar. É nesse sentido que a categoria aprovou a greve geral prevista para ser deflagrada na primeira quinzena de novembro.

A mobilização nas universidades estaduais da Bahia

26 de outubro é Dia de Luta em Defesa das Universidades Estaduais da Bahia e dos Direitos Trabalhistas. A paralisação visa pressionar o Governo Rui Costa (PT) a atender as demandas da comunidade universitária. O movimento docente das quatro Universidades Estaduais realizará ato público na Secretária de Educação (SEC) e na Assembleia Legislativa. Apesar do aumento de quase R$ 12 milhões no orçamento da UESB no ano que vem, não está previsto o cumprimento de direitos trabalhistas, promoção e progressão na carreira não estão garantidas. O montante será destinado à manutenção, investimento e custeio e sequer repõe a inflação.

A hora é agora! Participe das atividades de mobilização!

Os comentários estão encerrados.