Audiência Pública: Câmara discute campeonato de futebol amador da zona rural

0

Publicado por Editor | Colocado em Esportes, Vit. da Conquista | Data: 10 maio 2017

Tags:, , , ,

da Redação
Conteúdo Ascom / Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC) realizou na tarde desta terça-feira, 9, uma discussão sobre o Campeonato de Futebol Amador da zona rural. Pessoas ligadas a comunidades da zona rural e ao poder público municipal participaram da audiência pública, fruto da iniciativa do vereador Osmário Lacerda (PMDB).

Jorge Bezerra (SD)

O vereador Jorge Bezerra (SD) parabenizou o vereador Osmário Lacerda (PMDB) pela iniciativa de discutir o assunto, que ele destacou ser muito importante. Disse que jamais concordou com a forma de disputa do campeonato da zona rural. “Quando se faz um campeonato da zona rural tem mais jogador da zona urbana do que da zona rural. E a final tem que ser na zona rural”, disse o parlamentar criticando a realização da final do campeonato da zona rural no estádio Edvaldo Flores.
Bezerra apontou que o poder financeiro é definidor nos campeonatos, principalmente com a participação de jogadores da zona urbana. “Aqueles times que o dono tem condições de bancar jogadores da zona rural fazem um bom time”, disse ele.

Reinaldo Freitas

O coordenador do campeonato municipal da zona rural, Reinaldo Freitas, contou que já são 20 anos de realização da competição, iniciada e regulamentada pela prefeitura durante a gestão do prefeito Guilherme Menezes. O coordenador afirmou ainda que a prefeitura sempre conduziu o campeonato com honestidade e nunca foi aceito ingerências políticas. “ Quem não cumpria o regulamento não era aceito pra participar”, disse.

Reinaldo esclareceu que as finais da competição estão sendo realizadas em estádio da zona urbana por uma questão de segurança. “Quem tirou a final da zona rural foi a polícia militar. Eles disseram que não tinha como oferecer segurança lá”, informou. O coordenador aproveitou a oportunidade para pedir aos vereadores que solicitem o policiamento para que a realização das finais possam ser feitas na própria zona rural. “Vocês que são representantes públicos, que estão mais perto, peçam isso. Se os policiais acharem que tem condição de dar segurança, é claro que queremos que as finais voltem para as nossas comunidades”, pediu.

Marcos Abade

O coordenador do time de Matinha, Marcos Abade, disse ser um erro permitir que jogadores da zona urbana disputem o campeonato da zona rural. Segundo ele, isso afasta da disputa equipes que não tem dinheiro para custear jogadores da sede do município.
Ele apontou ainda que outros campeonatos já vetam a participação de jogadores que estão disputando competições promovidas pela Liga Conquistense de Desportos Terrestres, o que mostra que seria justo que jogadores da zona urbana não participem do campeonato da zona rural.

Coriolano Moraes (PT)

Para o vereador Coriolano Moraes (PT), o esporte não é apenas um mecanismo de diversão, mas de inclusão social também. “ É uma chance de oportunidade para os jovens”, disse. Cori acredita a realização desta audiência é um bom momento para dar o ponta pé inicial de discussões mais avançadas sobre o futebol amador “ é um momento para colocar os questionamentos, tirar dúvidas e pensar as alternativas”, afirmou. Em relação às preocupações relatadas pelo coordenador do campeonato da zona rural, o vereador afirmou que é preciso que se envolva o gabinete civil, dirigentes de times, coordenação de esportes, a companhia de polícia para buscar soluções. Outra questão levantada pelo parlamentar foi a definição do orçamento destinado para o esporte. “ Temos que ver com a Secretária de Cultura o quanto o esporte precisa por ano, o tamanho do investimento que precisa fazer para garantir os campeonatos, a sobrevivência desses times. Temos que definir esses recursos”, defendeu.

Wilton César

O coordenador da equipe master de Veredinha, Wilton César, defendeu que as finais do Campeonato de Futebol Amador da Zona Rural aconteçam na própria zona rural e lamentou que a falta de segurança seja utilizada como argumento para que o jogo final aconteça na sede do município.
César de Veredinha apontou que o campeonato teve poucos avanços nos últimos anos, principalmente porque os atletas da zona urbana ocuparam o espaço da zona rural. “O campeonato deixou de ser da zona rural. Deixou até de ser de Conquista. Nosso campeonato foi invadido por Belo Campo, Encruzilhada, Cândido Sales e Tremedal”, apontou ele, que também destacou que essa chegada de jogadores de fora encareceu a participação em campeonato. “Se tornou caríssimo, inviável”, apontou.
Wilton César pediu também que a Secretaria Municipal de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer intervenha junto a donos de ônibus e vans a fim de reduzir os custos do transporte das equipes.

Edjaime Rosa- Bibia (PMDB)

O vereador Edjaime Rosa- Bibia (PMDB) contou que conhece o futebol da zona rural desde os 7 anos de idade e defendeu a importância dessa prática. “ O futebol é muito importante para os jovens. É saúde, é vida! Não podemos deixar os jovens longe dos esportes”, afirmou. Bibia sugeriu aos coordenadores que realizasse o campeonato em duas fases, um em cada região da zona rural do município “ Acredito que assim ficaria bem mais barato e fácil, e seria um campeonato bem mais forte”, defendeu. O vereador se posicionou contra jogadores da zona urbana compor times da zona rural “ Assim os times que não tem dinheiro para pagar jogador da cidade nunca vai conseguir ganhar”, esclareceu.

Liomax Brandão

Liomax Brandão parabenizou Reinaldo pelo trabalho realizado ao longo dos anos pelo futebol amador de Vitória da Conquista. Ele pediu que os participantes do campeonato sejam ouvidos pela organização para que o modelo de disputa seja o melhor para todos. Segundo ele, o campeonato da zona rural já merece um novo modelo, que permita que os jogadores da zona rural passem a jogar e não a apenas assistir os jogadores da zona urbana.

Luciano Pina

Luciano Pina, gerente de esportes da prefeitura de Vitória da Conquista, contou que no início de maio deste ano, foi convocada uma reunião com 60 povoados e a presença do prefeito, secretário de agricultura, educação, entre outros setores. “ o secretário de agricultura foi convocado porque sabemos que há a necessidade de fazer melhorais; o de educação para tentar resolver a questão do transporte: os carros que levam os times são os mesmos que prestam trabalho para prefeitura, mas para os times cobram preços abusivos. Vamos tentar diminuir esse valor”, explicou.

Ele explicou também que sempre foi a favor de colocar apenas 5 jogadores da cidade para compor times da zona rural. “ Mas não somos ditadores não. O campeonato da zona rural é para ser decidido pela zona rural, e na reunião decidiram que vão poder colocar a quantidade de jogador que precisarem”, esclareceu. “Tem que ter mudança, mas não podemos do nada chegar aqui e estabelecer isso. Agora a partir de 2018 vamos sentar de novo com todo mundo para fazer as mudanças que precisam”, completou.
Pina contou ainda que a gerência realizou a iniciativa de organização o primeiro campeonato feminino da zona rural, que se inicia dia 21 de maio. “Na reunião os representantes dos times solicitaram que só pudesse ter 3 jogadores de cada dia, e assim nós acatamos”, informou. “ E isso são coisas que vamos amadurecendo com o debate”, finalizou.

Jaldo Mendes

O coordenador de esportes da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista, Jaldo Mendes, destacou a função social exercida pelo esporte e que é apoiada pela Secretaria. O coordenador pediu que a população tenha paciência para que os problemas enfrentados sejam solucionados, pois em muitos casos é preciso tempo.
Mendes fez questão de reconhecer que o Esporte na zona rural tem muitas demandas a serem atendidas, como a instalação de alambrados nos campos para proporcionar melhor controle de quem entra no campo no momento dos jogos.

Osmário Lacerda (PMDB)

O vereador e requerente da audiência, Osmário Lacerda (PMDB), relatou que já foi dono de time da zona rural e sabe da dificuldade enfrentada. “Por isso, estamos lutando por um campeonato que tenha valor para gente”, afirmou. O vereador se posicionou contrário ao fato de jogadores da cidade atuarem em times da zona rural e informou que está elaborando um projeto de lei que proíbe essa prática. “Se proibir de pegar os jogadores da cidade, vão dar mais valor pros locais, os das comunidades”, defendeu. “ Nossa zona rural já é tão sofrida, temos que amenizar pelo menos no esporte”, destacou. Osmário pediu mais atenção também para o futebol feminino e o futebol master. “ Se a gente conseguir fazer esses três campeonatos, olha o movimento que vamos levar para as regiões, cada semana o movimento em um povoado, vamos ajudar a gerar renda na zona rural”, disse. O parlamentar solicitou também do poder público mais projetos de esportes voltada para crianças carentes “ precisamos nos juntar, fazer parcerias para ajudar essas crianças”, finalizou.

 

 

Os comentários estão encerrados.