Campanha de Vacinação contra a gripe é prorrogada em Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Saúde, Vit. da Conquista | Data: 29 maio 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Prefeitura
Reprodução: site da CDL

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenação de Imunização, informa que, por determinação do Ministério da Saúde, a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, que terminaria nesta sexta-feira, 26, foi prorrogada até o dia 9 de junho, em Vitória da Conquista. Com a mudança do prazo, quem não conseguiu ser imunizado, poderá se dirigir a um dos postos de vacinação para tomar a vacina.

No início desta semana, algumas unidades deixaram de fornecer a vacina devido à greve dos servidores municipais, o que levou a Administração a atender o público na própria Secretaria de Saúde nos dois primeiros dias da manifestação. Ainda na terça-feira, 23, vários postos foram reabertos e voltaram a realizar a campanha. No momento, oito postos de vacinação já voltaram ao normal e estão atendendo ao público-alvo.

São eles:
Centro de Saúde Regis Pacheco (Bairro Recreio);
Policlínica de Atenção Básica São Vicente – CAE II (Bairro São Vicente);
Policlínica de Atenção Básica Panorama (Bairro Panorama);
Centro de Saúde Dr. Hugo de Castro Lima (Bairro Guarani);
Policlínica de Atenção Básica Dr. Ademário Silva Santos (Bairro Brasil);
USF Nestor Guimarães (Bairro Jurema);
USF Recanto das Águas (Bairro Recanto das Águas);
USF Solange Hortélio – CSU (Bairro Urbis II).

Mesmo com a paralisação parcial e a suspensão da vacina no começo da greve, Vitória da Conquista ficou na frente do percentual total nacional do público-alvo alcançado. De acordo com o último levantamento, o número de doses aplicadas em Conquista era de 40.049, que perfaz um total de 60,79% do grupo alvo. O índice nacional, no mesmo período, foi de 60,27%. O público-alvo da vacinação contra gripe são idosos acima de 60 anos, portadores de doenças crônicas com relatório médico, transplantados, gestantes, mulheres no período de 45 dias após o parto, crianças entre seis meses e cinco anos de idade, indígenas, pessoas privadas de liberdade e os profissionais de saúde.

Os comentários estão encerrados.