Horto Florestal é responsável por manutenção de áreas verdes

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 20 abr 2017

Tags:, ,

da Redação
Com informações da Ascom / Prefeitura / Conteúdo

Ipês, flamboyants, jacarandás-mimosos e outras espécies dividem o mesmo espaço com árvores nativas, frutíferas e mudas diversas no Horto Florestal Vilma Dias, ligado a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O equipamento, localizado no bairro Conquistinha, é uma das mais belas áreas verdes abertas ao público em Vitória da Conquista .

O local abriga os setores de Paisagismo e Arborização Pública. Nele são executados os projetos de paisagismo e manutenção de todas as praças, avenidas e canteiros da cidade, além da realização de podas preventivas. O serviço ainda atua no atendimento às demandas solicitadas para recuperação e implantação de jardins em órgãos públicos.

No horto também são produzidas mudas ornamentais de variadas espécies para serem plantadas em calçadas, áreas verdes, praças e avenidas, bem como nos jardins da cidade. “A população pode solicitar a doação de mudas, mas no momento esse serviço está suspenso, pois estamos em fase de produção de novos exemplares”, explicou a gerente municipal de Paisagismo, Ana Cláudia Oliveira.

Outra atribuição do equipamento, que conta com uma equipe formada por mais de 40 profissionais, entre fiscais, jardineiros e equipes administrativa e de apoio, é a poda de árvores. “As população deve entrar em contato com a gente caso precise podar alguma árvore, pois esse trabalho é uma atribuição da Secretaria de Meio Ambiente. A população precisa lembrar que a poda de árvores sem autorização é crime ambiental, esclareceu a gerente de Paisagismo”.

Aberto à visitação, o Horto Vilma Dias funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 17h. Escolas, igrejas e outras instituições podem agendar visitas por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (77) 3422-8143.

Governo Municipal recebe presidente da Embasa

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 12 abr 2017

Tags:, , , ,

da Redação

Conteúdo Ascom / Prefeitura

A relação entre a Administração Municipal e a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) tem sido estreitada. Na manhã desta terça-feira, 11, foi realizada a terceira reunião entre o prefeito Herzem Gusmão e representantes do órgão, além da participação do gestor na audiência pública sobre a Barragem do Catolé.

Desta vez, o presidente da Embasa, Rogério Cedraz, e o diretor de Operação do Interior, José Ubiratan Cardoso Matos, acompanhados de gerentes regionais, estiveram no Gabinete Civil para apresentar as obras que estão sendo realizados em Vitória da Conquista. Entre elas, o sistema de bombeamento de água do Rio Gaviãozinho, que começa a operar a partir de julho, reforçando o abastecimento de água na cidade. Também está  em andamento a construção de quatro reservatórios de água, que devem  aumentar o abastecimento em bairros localizados na zona oeste e no distrito de Bate Pé.

“Estivemos aqui com o prefeito para falar das obras que estão sendo feitas pela Embasa para melhoria da cidade. Ele apresentou pleitos novos, nós vamos avaliar e fazer uma parceria para atender o que a população precisa”, declarou o presidente.

Uma das solicitações foi o esgotamento sanitário do loteamento Recanto de Águas, já que a Embasa fará o serviço no Henriqueta Prates. “Apesar de estar próximo ao Henriqueta, lá será necessária a construção de uma estação elevatória. Vamos fazer o estudo para verificar a viabilidade”, disse o diretor de Operação do Interior.

“Foi um encontro importantíssimo e ganha a cidade. Eu tenho dito que não queremos criar para o Estado e seus órgãos nenhum dificuldade, muito pelo contrário, queremos estar com a Prefeitura de portas escancaradas porque ganha o Município, ganha a sua população”, afirmou Herzem.

Entre os convênios que serão firmados entre a Prefeitura e a Embasa estão a destinação do lodo, gerado na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), para o Aterro Sanitário Municipal e o apoio na finalização do Plano Municipal de Saneamento Básico por parte da estatal.

O chefe de Gabinete, Marcos Ferreira, e os secretários de Infraestrutura Urbana, Meio Ambiente e Serviços Públicos, respectivamente, José Antonio Vieira, Luzia Vieira e Esmeraldino Correia também participaram da reunião.

Câmara discutirá crise hídrica em sessão especial

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 05 abr 2017

Tags:, , ,

da Redação

Conteúdo Ascom / Câmara Municipal

Acontece na próxima quarta, 5, às 8h30, sessão especial na Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC) para debater o problema da escassez de água no município. Apesar das fortes chuvas nos últimos dias, Conquista vem há quase um ano sofrendo com o racionamento de água. Segundo especialistas, o Nordeste vive uma das piores secas das últimas décadas. Além disso, o município espera a construção da Barragem do Rio Catolé, cuja licitação, no ano passado, resultou deserta algumas vezes. A expectativa é que o processo licitatório ocorra em breve. A audiência foi proposta pelo vereador Rodrigo Moreira (PP) e obteve o apoio de todos os demais vereadores. O tema é recorrente na Casa que já fez audiências, sessões, reuniões e outras ações envolvendo Embasa, prefeitura de Vitória da Conquista e Barra do Choça, governo estadual e sociedade.

Barragem – Um dos temas a ser debatido é a construção da aguardada Barragem do Rio Catolé. No início deste ano, a Embasa apresentou, numa audiência pública, os estudos ambientais, o projeto de engenharia e educação socioambiental da construção da barragem à comunidade conquistense. A construção da Barragem do Catolé busca garantir disponibilidade hídrica para abastecimento de Vitória da Conquista, Belo Campo e Tremedal, no sudoeste do estado. Com investimento de R$ 182 milhões, o empreendimento será construído no município de Barra do Choça e ocupará uma área total de bacia hidrográfica de 761 quilômetros quadrados com espelho d’água de 160 hectares. Sua extensão será de 347 metros e altura máxima de 53 metros, possibilitando o armazenamento de 23,4 bilhões de litros, volume quatro vezes maior do que a capacidade de armazenamento de água da barragem de Água Fria II.

O projeto da barragem do Rio Catolé passou por três licitações que resultaram em desertas por falta de construtoras interessadas em realizá-lo. Após nova revisão para tornar-se mais atrativo no mercado da construção civil, o projeto foi submetido à Caixa Econômica Federal, em junho do ano passado, para que ela autorize a realização da obra e, assim, abrir outro processo de licitação visando a contratação de uma empresa executora.

 

Prefeitura instala caixa compactadora de lixo na feira do Ceasa

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 04 abr 2017

Tags:, , ,

da Redação
Conteúdo Ascom / Prefeitura

Equipamento é capaz de compactar até 20 toneladas de resíduos; objetivo é eliminar o odor desagradável e a presença de urubus

A feira do Ceasa conta com um novo equipamento para o manejo dos resíduos sólidos gerados no local. Trata-se de uma caixa compactadora, com espaço interno de 20 metros cúbicos e capacidade para compactar até 20 toneladas de lixo. A caixa foi instalada nesta segunda-feira, 3, e começará a funcionar na terça-feira, 4.

A instalação desse equipamento faz parte do conjunto de novas atribuições que a empresa Torre assumiu, desde que assinou com a Prefeitura um contrato emergencial válido por 180 dias.

Atualmente, o lixo produzido no Ceasa é transportado em carrinhos e depositado em seis contêineres abertos, espalhados ao redor da feira. A partir de agora, os resíduos serão colocados nas mais de 20 caixas coletoras que a Prefeitura distribuiu pela feira. É nessas caixas – cada uma com rodinhas e capacidade para armazenar 240 litros de material – que o lixo será transportado pelos garis até a caixa compactadora.

Assim que a caixa estiver cheia, um caminhão irá ao local para recolhê-la, substituí-la por outra, vazia e limpa, e levar os resíduos, já compactados, para o aterro sanitário. “O chorume acaba, acaba o mau cheiro e, consequentemente, os urubus e os cachorros que ficavam ali”, explica Deocleciano de Souza Filho, coordenador de Serviços Básicos, Iluminação Pública e Posturas.

Segundo Deocleciano, é necessário que os comerciantes e frequentadores do Ceasa colaborem, depositando o lixo diretamente nas caixas coletoras. O coordenador chama a atenção também para um problema que tem sido identificado no local: pessoas que vão até lá durante a madrugada para jogar ali os resíduos de açougues e outros estabelecimentos.

“Muitos comerciantes, que não pertencem ao quadro de permissionários do Ceasa, vêm de madrugada dos seus açougues de aves ou animais, e jogam as vísceras nos contêineres. E, quando estão cheios, eles jogavam do lado. Amanhecia tudo cheio de urubus”, informa Deocleciano.

‘Conscientização’ – Com relação a isso, a Prefeitura já está se precavendo. O objetivo é reforçar a fiscalização no local através de vigilantes e de um sistema de monitoramento 24 horas, com câmeras. Está em andamento o processo licitatório para a aquisição desse equipamento. A ideia é que as pessoas que fizerem isso sejam identificadas e, posteriormente, notificadas.

“Essas pessoas serão monitoradas, serão identificadas, porque as câmeras vão identificar as placas dos carros que jogam”, conta Deocleciano. “Se continuarem, poderão até ser multadas administrativamente. A polícia administrativa vai estar de olho. Está trabalhando junto com Serviços Básicos para a gente identificar e multar. E a multa, a reincidência, pode chegar até a interdição”, diz o coordenador.

Ele explica ainda que os comerciantes que quiserem se desfazer desse tipo de resíduo podem utilizar outros métodos, sem a necessidade de recorrer a expedientes ilegais. “É mais um pedido de conscientização”, afirma. “Se caso essas pessoas estão com essas vísceras, podem vir, procurar os nossos fiscais do Ceasa, e entregar para eles. Eles levam na caixa compactadora e jogam de maneira correta”.

Mudanças no manejo dos resíduos garantem mais tempo de vida útil ao aterro sanitário

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 30 mar 2017

Tags:, , ,

da Redação
Conteúdo Ascom / Prefeitura

Equipamentos operam na cobertura do entulho de forma exclusiva e permanente

Desde o dia 31 de janeiro, quando a Prefeitura de Vitória da Conquista e a empresa Torre assinaram um contrato em caráter emergencial, com vigência de 180 dias, houve algumas mudanças na gestão de resíduos, na coleta de lixo e na limpeza pública do município.

Entre essas alterações, inclui-se a gestão do aterro sanitário. Antes a cargo da Administração Municipal, o espaço passou a ser operado pela Torre, a quem também cabe a responsabilidade pela coleta de resíduos sólidos, além do reforço dos mutirões de limpeza e das ações de educação ambiental.

Registre-se que, em todas essas ações, a empresa é supervisionada pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Transporte – que, por sua vez, aciona para essa tarefa a Coordenação de Limpeza Pública.

O aterro, que recebe em média 300 toneladas de resíduos domésticos e comerciais por dia, passou a dispor de equipamentos exclusivos para a compactação e o tratamento do entulho depositado no local. Agora, o lixo é recoberto todos os dias. Uma caçamba e uma pá mecânica operam nessa tarefa de forma permanente, 24 horas por dia.

Assim que os caminhões compactadores chegam ao aterro, o lixo é despejado. Em seguida, o trator inicia um processo de adensamento do material. “O trator passa por cima, dá várias voltas. Ao invés de espalhar, ele adensa. Faz círculos com o trator, e ele consegue adensar de forma que, se chover, a água não penetra”, explica a engenheira sanitarista Márcia Amorim.

Segundo Márcia, o adensamento também reduz a umidade do lixo. “Diminui bastante a questão da proliferação de moscas. E atrai menos animais, como urubus”, informa.

A engenheira sanitarista atribui ainda outro resultado ao novo funcionamento do aterro. “Não é só a questão dos equipamentos, mas também a maneira como ele está sendo operado. A gente conseguiu, com essa nova operação, aumentar a vida útil daquela célula que está trabalhando. O aterro ainda tem muitas áreas para serem construídas novas valas. Mas, nesta vala que está sendo operada, antes a gente tinha mais um ano para poder trabalhar. Hoje, garantiram-se dois anos a mais. Então, nós temos três anos para trabalhar nessa vala”, informa.

A notícia a respeito do aumento da vida útil do aterro foi analisada pelo secretário municipal de Serviços Públicos e Transporte, Esmeraldino Correia. “Nós tivemos um ganho de mais dois anos. Significa uma folga de gestão de planejamento para a frente. E isto é bom. É fundamental”, avaliou.

‘Lucro’ – O secretário considera o aumento da vida útil do aterro como um “lucro para Vitória da Conquista”, e cita ainda outros serviços desenvolvidos na mesma área. Destaca a operação “Cata-Bagulho”, que já passou por dez bairros e, até o dia 20 de março, já havia recolhido 56.163 quilos de entulho. Parte desse material, que poderia ser reciclado, foi doado à cooperativa Recicla Conquista. O restante, que não poderia ser aproveitado, foi destinado ao aterro.

Com relação aos resíduos descartados por empresas da construção civil, no mesmo período foram recolhidas 5.461 toneladas de material.

“Eu friso sempre a educação ambiental, que é um ganho de esclarecimento nas comunidades, com a operação ‘Cata-Bagulho’”, afirma Esmeraldino. “Dez bairros já tiveram a visita desta operação de educação ambiental, traduzindo em qualidade de vida para a comunidade conquistense, o que é fundamental. Isso implica em saúde pública. Claro que limpeza pública, aterro sanitário, ações de ‘Cata-Bagulho’ são, sim, ações preventivas também no contexto da saúde pública”, conclui o secretário.

Embasa suspende licitação da barragem do Rio Catolé sem apresentar justificativa

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 30 mar 2017

Tags:, , ,

da Redação

A Embasa vem se especializando em dá nó em licitações na Bahia 

A novela protagonizada pelo Governo da Bahia, continua. Em nota datada de 28 de março, a Embasa, anuncia que mais uma vez a licitação das obras da barragem do Rio Catolé foi suspensa.

A empresa não apresenta nenhuma justificativa, e para agravar a situação, e aumentar a preocupação de toda população conquistense, que vive mais um racionamento, que não tem e não apresenta uma nova data para inicio do processo da construção da tão esperada barragem do Rio Catolé.

É de estranhar a decisão do Governo da Bahia, exatamente quando o Ministério das Cidades libera R$ 141 milhões, o que representa  80% do do recurso necessário para construção da barragem.

Promessa

Desde o governo de Jaques Wagner que promessas são renovadas. O então governador à época, chegou a declarar na Resenha Geral que monitorava de Salvador a construção da barragem que já tinha começado em seu governo.

Promessa II

O governador Rui Costa (PT), em recentes entrevistas, vem  garantindo que fará a barragem de qualquer jeito – mesmo se o governo federal não liberar o dinheiro. A licitação  marcada para 18 de abril e o Ministério das Cidades já liberou R$ 144 milhões. Na abertura na noite de 3ª feira (28), o Secretário do Meio Ambiente do Estado da Bahia, Geraldo Reis, garantiu a construção da barragem do Rio Catolé,

Confira abaixo o comunicado surpreendente da Embasa:

 

COMUNICAÇÃO EXTERNA Nº 0320/17 DATA: 28/03/2017 REMETENTE: PLC (UNIDADE DE LICITAÇÕES E CONTRATOS) DESTINATÁRIO: EMPRESAS ADQUIRENTES REFERENTE: CONCORRÊNCIA NACIONAL Nº 007/17 OBJETO: CONSTRUÇÃO DA BARRAGEM DO CATOLÉ, NO ESTADO DA BAHIA.

Prezados Senhores, A Comissão de Licitação da Embasa comunica aos interessados que a data da sessão de abertura da Concorrência Nacional Nº 007/17, com o objeto acima que estava marcada para o dia 18/04/2017, fica suspensa “SINE DIE”. Atenciosamente, Vitor Augusto do Carmo Sousa Presidente da Comissão de Licitação


Prefeitura segue embelezando e limpando a cidade

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 28 mar 2017

Tags:, , ,

da Redação

Foto: celular (leitor)

Após implantação de um canteiro ornamental na Rua do Gancho, a Secretaria do Meio Ambiente, que tem o comando da agrônoma Luzia Vieira, promoveu alteração significativa no canteiro da rotatória nas imediações do Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima.

São intervenções simples e singelas que transformam e embelezam a cidade. No trabalho durante o dia e noite, a equipe de jardinagem da Dra Luzia Vieira, vem recebendo manifestações carinhosas das pessoas que circulam nas imediações dos locais que estão sendo alvo deste tipo de intervenção. A transformação da rotatória do INSS já começou e receberá ornamentação semelhante.

“Eu sabia que tudo iria mudar para melhor”, disse o médico Dr. Aloísio Alan – que não escondia a sua satisfação por ver a cidade começando a receber as transformações da nova gestão.

Em vídeo, as marcas da destruição da Serra do Periperi que o PT apoia

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 24 mar 2017

Tags:, , , ,

da Redação

A Serra do Periperi vem sofrendo agressões de invasores e grileiros de terra. O mais grave é que deputados e vereadores do PT apoiam esta estupidez e crime flagrante contra a natureza.

O vídeo mostra imagens irrefutáveis da devastação criminosa e orquestrada e conta com o apoio irresponsável de deputados e vereadores petistas.

Diante desta triste realidade, a Prefeitura tem anunciado que as ofensivas irão continuar tão logo a Justiça conceda a reintegração de posse, já que alguns barracos estão ainda habitados.

Nos últimos dias, as ações criminosas foram intensificadas após as irresponsáveis declarações e pronunciamentos de parlamentares do PT.

Invasão, fogo, destruição e matança da flora e fauna

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 24 mar 2017

Tags:, ,

da Redação

O secretário José Antonio, titular da Secretaria do Meio Ambiente, tirou as fotos do seu celular que mostram a destruição de vegetação do alto da Serra do Periperi, onde estão acontecendo as invasões que são estimuladas por políticos do PT. No alto da foto é possível notar 3 homens que participaram da ação criminosa, ateando fogo na vegetação.

A impermeabilização de grande parte da Serra do Periperi – tem sido responsável pelo volume e força das enxurradas em dias de chuva intensa na cidade. Veículos são arrastados pela correnteza, e muitas casas e estabelecimentos comerciais são invadidos. A devastação na serra precisa de urgente apoio do Ministério Público e da Justiça.

O prefeito Herzem Gusmão (PMDB), entrevistado no programa Sudoeste Hoje, da Rádio Clube FM (95,9), assegurou que quem construir em áreas públicas, em especial nas de preservação ambiental, terão os naturais prejuízos. A prefeitura continuará a ofensiva contra os invasores.

A Prefeitura ajuizará ação de reintegração de posse na certeza que logrará êxito. A secretária Luzia Vieira, do Meio Ambiente, tem um plano de imediatamente restaurar a vegetação com plantio de várias espécies de árvores nas áreas afetadas pela destruição. “Não irei permitir desordem e anarquia”, disse o prefeito em entrevista no rádio.

A Secretaria de Desenvolvimento Social, identificou apenas 3 famílias, na invasão do Cidade Maravilhosa, que serão amparadas pelo aluguel social.

Governo lança o processo de licitação da barragem do Rio Catolé

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Meio Ambiente, Sudoeste, Vit. da Conquista | Data: 24 mar 2017

Tags:, ,

da Redação

Foto: Ilustração

Com informações da Sihs

Governo Michel Temer vai liberar R$ 141 milhões do Ministério das Cidades para a barragem do Rio Catolé

A Barragem do rio Catolé, está sendo esperada com grande expectativa pela população conquistense. Ela será responsável pelo abastecimento da região de Vitória da Conquista.

O Governo Federal, através do Ministério das Cidades, já aprovou o projeto que terá liberação de R$ 141 milhões. O processo de licitação já foi lançado. A barragem do Rio Catolé beneficiará 350 mil habitantes, cujo investimento está orçado em R$ R$ 204 milhões, sendo R$ 182 milhões para a construção do maciço e R$ 22 milhões em ações de sustentação.

A barragem que será construída no município de Barra do Choça, terá capacidade para armazenar 23,4 bilhões de litros de água, volume quatro vezes maior do que a capacidade de armazenamento da barragem de Água Fria II. “Com mais este empreendimento, avançaremos substancialmente do ponto de vista do abastecimento humano”, comemorou Cássio Peixoto, reforçando que universalizar a água e saneamento básico está entre as principais metas do Governo Rui Costa.

Importante realçar a participação do Governo Federal na obra ao autorizar liberação de R$ 141 milhões.

Prefeitura alerta sobre impactos resultantes de ocupações em áreas de preservação ambiental

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 23 mar 2017

Tags:, ,

da Redação
Com informações da Ascom / Prefeitura (Conteúdo)

Eliminação da vegetação nativa, degradação do solo e ameaça de perda de mananciais são apenas alguns dos transtornos

Em meio às discussões sobre a ocupação de áreas de preservação ambiental em Vitória da Conquista, é preciso que sejam mencionados justamente os impactos ambientais causados por essas intervenções. Afinal, a maior parte das áreas de preservação que se encontram ocupadas na cidade, concentram-se na Serra do Periperi, que, historicamente, é o maior patrimônio ambiental do município.

“É uma unidade de conservação protegida por leis ambientais. A sua diversidade de fauna e flora, e os recursos naturais, estão sendo ameaçados devido a essas invasões”, informa a secretária municipal de Meio Ambiente, Luzia Vieira. “Uma parte da serra já está desprotegida. Então, se ocorrem essas invasões, o que nós temos de vegetal é retirado, o material fica todo solto. E esse material é todo percolado, lixiviado para o centro da cidade”, acrescenta Luzia.

Os processos de “lixiviação” e “percolação”, mencionados pela secretária, referem-se à perda de nutrientes do solo, extraídos pela chuva que passa por ele em grande volume e em alta velocidade – consequências da retirada da vegetação, que é a etapa inicial de qualquer processo de ocupação em áreas ambientais.

Transtornos e inundações – As consequências ambientais das ocupações são detalhadas pela secretária: “Estão utilizando máquinas pesadas e estão retirando a vegetação nativa, o que deixa o solo fácil de ser levado por águas da chuva, que vão com certeza causar vários transtornos à nossa cidade. Além disso, a serra possui vários mananciais e olhos d’água que são importantes para a manutenção das bacias hidrográficas do Rio Pardo e do Rio Catolé.  Esses olhos d’água, sendo aterrados, com certeza vão desaparecer”.

Com a falta de vegetação, o “material” que é levado pela chuva para o centro da cidade, como explica Luzia, não envolve apenas a terra fina, solta do solo. Envolve ainda cascalho, pedras e tudo o mais que as enxurradas conseguirem levar da serra para as áreas urbanas situadas em locais de menor altitude. “A água, nas chuvas, aumenta bastante e pode causar transtornos e inundações”, explica Luzia.

A fim de evitar que tais prejuízos – ambientais e sociais – persistam e prejudiquem o meio ambiente e a população, a Prefeitura se vale da Lei de Ordenamento e Uso do Solo, que confere ao poder público municipal a prerrogativa de impedir qualquer tipo de ocupação e construção em áreas de preservação ambiental.

Ações de desocupação – Foi o que houve no sábado, 18, durante a ação de desocupação de uma área de preservação ambiental no bairro Cidade Maravilhosa. A ocupação se estendia por aproximadamente 35 mil metros quadrados e, segundo cálculos da Administração Municipal, já apresentava mais de 100 lotes demarcados e a presença de pelo menos 30 pessoas (já devidamente notificadas pelo município).

Havia ali 38 barracos de lona, 10 construções de alvenaria e 2 de madeira. A ação deixou intactas 4 construções, pois elas abrigavam um grupo de 8 pessoas – as únicas presentes ali, no momento em que ocorreu a ação.

Ação semelhante já havia sido feita pela Prefeitura em janeiro, em outra ocupação localizada numa área de cerca de 40 mil metros quadrados do bairro Nova Cidade. Como os números relativos a ocupações são flutuantes, a Administração Municipal constatou que a situação ali permanece. Dados do final da semana passada informavam que a mesma área – desocupada em janeiro – já apresentava 30 novos barracos de lona e mais de 100 outros lotes demarcados. Havia ainda 6 construções de alvenaria, das quais 3 estavam ocupadas.

‘Agredindo o meio ambiente’ – Em ambas as ocupações – Nova Cidade e Cidade Maravilhosa – havia o mesmo tipo de procedimento: retirada da vegetação (às vezes, depois da realização de queimadas na mata), ruas abertas de forma desordenada e com a ajuda de máquinas motoniveladoras, e ainda a intenção, por alguns ocupantes, de comercialização de lotes.

“Isso estimula a favelização, a grilagem, a comercialização de lotes, agride totalmente o meio ambiente”, observa o secretário municipal de Infraestrutura, José Antônio Vieira. “Em grande escala, pode alterar até o microclima da região de Vitória da Conquista”, acrescenta.

Segundo Vieira, o poder público municipal continuará a monitorar os processos de ocupação, fazendo as devidas notificações e recorrendo aos procedimentos que julgar necessários, valendo-se do amparo legal que lhe confere poder de polícia diante de construções consideradas clandestinas. “A Prefeitura não vai permitir nenhum tipo de ocupação de áreas públicas, nem de áreas de preservação ambiental”, assegura o secretário.

Dia Mundial da Água lembra que economia deve ser rotina

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 22 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação


Desde maio do ano passado, Vitória da Conquista vivencia mais um racionamento de água. Esse cenário, que se repete pela quarta vez na cidade, não tem data para chegar ao fim, por isso, a população precisa se esforçar para reduzir o consumo.

Situações de desperdício, como lavar calçadas com água tratada, por exemplo, não podem acontecer, mesmo quando o racionamento terminar. Ações para evitar o desperdício devem virar rotina em todos os lares, afinal, a água é um bem finito.

Nos últimos anos, Vitória da Conquista cresceu bastante e, infelizmente, a oferta de água é insuficiente para atender toda a demanda. Falta investimentos do poder público, que já tinha conhecimento que chegaríamos a esse triste cenário, e também falta chuva. De acordo com a Embasa, a Bahia está enfrentando “a pior seca dos últimos 100 anos”.

Com a mudança de estação, as chuvas devem diminuir ainda mais e os níveis da barragem de Água Fria I e II, que abastecem Vitória da Conquista, também devem cair. O que pode amenizar os efeitos é realmente o baixo consumo da água. A população deve ter consciência que para a situação não piorar ainda mais é necessário que ela faça a sua parte.

Sessão especial debate Campanha da Fraternidade 2017

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente | Data: 17 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação


A Câmara Municipal de Vitória da Conquista realizou nessa quinta (16) sessão especial sobre a Campanha da Fraternidade 2017. A campanha acontece no período da Quaresma (quarenta dias anteriores à Páscoa), é realizada Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e desempenha uma importante tarefa social, promovendo uma discussão entre Igreja e sociedade.

Neste ano, a Campanha tem como tema “Bioma Brasileiro e Defesa da Vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação”. Durante a sessão, o Arcebispo da Arquidiocese de Vitória da Conquista, Dom Luís Gonzaga Pepeu, destacou que no Brasil a dimensão comunitária da Quaresma é vivenciada e assumida através da Campanha da Fraternidade. Ele lembrou que a cada ano a Igreja trabalha com uma temática ligada a algo que precisa ser mudado e em 2017 a instituição volta o seu olhar à preservação dos biomas brasileiros.

“O objetivo geral da Campanha da Fraternidade é despertar em todos nós a preocupação de cuidar da criação, especialmente dos biomas brasileiros”, completou o Arcebispo.

Incêndio atinge a vegetação da Serra do Gerais em Ituaçu

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente | Data: 13 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação

Foto: Informe Barra

Desde o último sábado (11), um incêndio atinge a vegetação da Serra do Gerais, na cidade de Ituaçu, na Chapada Diamantina. De acordo com o Informe Barra, voluntários da cidade, com o apoio da Brigada de Barra da Estiva, estão trabalhando na tentativa de conter as chamas.

Mas, devido ao mato seco, o fogo segue intenso e o município deve solicitar o apoio do Bahia Sem Fogo. Segundo os voluntários, com o auxilio de uma aeronave o trabalho de combate ao incêndio se facilitaria, já que o local é de dif´cil acesso. As causas do incêndio ainda são desconhecidas.

Prefeitura e Ministério Público planejam a 4ª edição do Projeto Eco Kids e Eco Teens

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 11 mar 2017

Tags:, , ,

da Redação
Com informações da Ascom / Prefeitura (Conteúdo)

Na tarde dessa quinta-feira, 09, membros das Secretarias de Meio Ambiente, Comunicação e Educação participaram de uma reunião com a promotora de Justiça, Karina Cherubini, que atua na área de meio ambiente. O encontro, que aconteceu na sede do Ministério Público Estadual, teve como principal objetivo discutir e planejar a 4ª edição do Projeto Eco Kids e Eco Teens em Vitória da Conquista.

O projeto, que já foi executado em algumas escolas da rede municipal, consiste na criação e circulação de um jornal  sobre meio ambiente, voltado e preparado por alunos das escolas de ensino fundamental, públicas e privadas. Tendo como principal objetivo promover a conscientização ambiental por parte dos estudantes.

“Esse primeiro encontro teve como principal objetivo apresentar um pouco mais do projeto para as escolas que participarão dessa nova edição”, pontuou Karina. “ É um projeto que teve início em 2009, na cidade de Ilhéus e já alcançou reconhecimento nacional. Temos certeza que essa 4ª edição também será um sucesso”, acrescentou a promotora.

Ao todo, três escolas do município participarão do Projeto: Centro Educacional Eurípedes Peri Rosa; Escola Municipal Euclides da Cunha; e a Escola Municipal Milton de Almeida Santo. “ Todas essas escolas terão apoio total do núcleo pedagógico da Secretaria de Educação, já temos uma sistemática elaborada com algumas propostas para serem executadas dentro do projeto”, afirmou a coordenadora pedagógica, Cristina Leilane.

Além das escolas municipais, também participarão dessa edição os colégios estaduais Camilo de Jesus Lima e Dr Orlando Leite, além do colégio Opção. Durante a reunião, foram distribuídos jornais Eco Kids e Eco Teens produzidos em outros municípios.

O projeto conta com a parceria da Prefeitura municipal de Vitória da Conquista, do Ministério Público, dos Conselhos Municipais, da Diretoria Regional de Educação (Direc-20), entre outras instituições.

Lomantão ganha novas mudas no lugar de eucaliptos erradicados

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente | Data: 10 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação

Foto: Secom PMVC

Cerca de 20 eucaliptos que, segundo estudos técnicos feitos pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Vitória da Conquista, já estavam com o ciclo de vida vencido, foram retirados do Estádio Lomanto Júnior. No lugar, foram plantadas 50 novas mudas das espécies Flamboyant e Pau Ferro.

Ainda conforme a Secretaria,  quando são detectadas árvores mortas, elas são erradicadas. E a cada árvore que se erradica, há o cuidado de se plantar o dobro ou o triplo de espécies diferenciadas.

As duas espécies escolhidas para substituição dos eucaliptos são plantas que se adaptam bem ao clima e ao solo de Vitória da Conquista. O Flamboyant, além de ser de grande porte, tem um crescimento rápido e floresce em determinadas épocas do ano. Já o Pau Ferro é uma espécie nativa, cujo crescimento não é tão rápido quanto o do Flamboyant. Mas a planta tem a característica de soltar um grande número de sementes, que germinam e dão origem a novas plantas – ou seja, ela forma verdadeiros “bosques” em torno de si, esclarece a pasta.

Incêndio em Rio de Contas atinge nascente de rios e mata animais

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente | Data: 06 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação


Desde a última sexta-feira (3) um incêndio de grandes está destruindo a vegetação de nascentes de rios e matando animais no Parque Natural Pico das Almas, na cidade de Rio de Contas. De acordo com informações da  Secretaria de Meio Ambiente da cidade, o incêndio está controlado, mas ainda há focos.

Os Bombeiros Militares informaram, na noite de domingo (5), que após o trabalho durante todo o dia, os brigadistas conseguiram combater o fogo em diversos pontos do Parque. Ao todo, 10 bombeiros militares e 12 brigadistas trabalham no local. As equipes ainda contam com o auxílio de um helicóptero.

Até o momento, não há informações de quando as chamas começaram e nem do que pode ter provocado o incêndio. Também não se sabe o tamanho da área que foi atingida pelo fogo.

Pontos de Entrega Voluntária de Lixo são implantados em Vitória da Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente | Data: 17 fev 2017

Tags:, ,

Da Redação

Foto: Secom PMVC

A Prefeitura de Vitória da Conquista, por meio da coordenação de Limpeza Pública, está implantando na cidade os Pontos de Entrega Voluntária de Lixo (PEV). Tratam-se de contêiners de 30 metros cúbicos, utilizados para o descarte do lixo. Eles recebem o material trazido por carroceiros e também pelos caminhões da Prefeitura que fazem a coleta de entulho nas residências, por meio da Operação ‘Cata Bagulho’.

Nesses locais, os próprios moradores podem descartar lixo não doméstico. Os PEV contam com servidores para monitorar o procedimento, e o lixo depositado nos contêiners é descartado no aterro sanitário. A medida irá substituir o procedimento antigo, no qual o entulho era depositado em terrenos a céu aberto.

Dois locais já foram beneficiados com a novidade: a Urbis VI e o bairro Santa Helena. De acordo com a coordenação de Limpeza Pública, até o mês de março, o município deverá contar com o total de oito pontos. Assim, ao passo em que os PEVs forem sendo implantados, os antigos pontos de descarte de entulho serão desativados. O objetivo da iniciativa é organizar e gerir o lixo com responsabilidade e respeito ao meio ambiente.

 

Cetas recebe Sucuri de aproximadamente cinco metros

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente | Data: 13 fev 2017

Tags:, ,

Da Redação
foto: Rafael Gusmão


Desde a última quinta-feira (9), uma cobra Sucuri, de aproximadamente cinco metros, está sob os cuidados dos profissionais do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), em Vitória da Conquista. Esta é a segunda Sucuri que chega ao órgão.

O animal foi capturado por fazendeiros na cidade de Ibirataia. A cobra foi encaminhada ao Cetas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), que a encontrou.

De acordo com o coordenador do Cetas, Aderbal Azevedo, o animal ficará no Centro até que seja encontrada um local ideal para ele, com com água e vegetação.

Meio Ambiente vai dar ênfase a arborização urbana

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 22 jan 2017

Tags:, ,

da Redação

Com informações e foto da Ascom / PMVC

????????????????????????????????????

A meta da atual gestão de Meio Ambiente  é fazer de Vitória da Conquista uma cidade mais arborizada. O primeiro passo, no entanto, é cuidar da vegetação já existente com frentes de trabalho para embelezamento, limpeza e  organização da cidade, esforços realizados de forma integrada entre as secretarias municipais. A Coordenação de Meio Ambiente e a Secretaria de Serviços Públicos, por exemplo, têm feito mutirões para a manutenção das praças e jardins da cidade.

Na manhã desta sexta-feira, 20, a equipe de Meio Ambiente trabalhou na avenida Olívia Flores com serviços de poda de gramado, árvores e arbustos e monitoramento das espécies. Por conta desse monitoramento, esta semana, duas árvores mortas foram erradicadas na Olívia Flores, uma delas, um jacarandá antigo, que ficava logo no trecho inicial da avenida .

“Ao perceber que uma árvore pode oferecer risco à população, é realizado um laudo técnico pela secretaria para se estudar em que pode se preservar aquela árvore. As que estão mortas são erradicadas e substituídas. Geralmente, para cada erradicação, nós plantamos de três a quatro árvores”, explica a coordenadora. …Leia na íntegra