Coisa feia

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 18 jun 2018

Tags:, ,

Por Alberto David

Da preguiça daquele que é incapaz de dar uma forcinha, de ajudar na mudança de um móvel, um sofá ou lá o que for e, ao contrário disso, sai de mansinho e diz: “tô fora”.

Da dependência, dos que ficam o tempo todo esperando pelos outros. De não compartilhar com o orçamento da casa, come, e diz:

Não! Esta conta não é minha.

Não participa das tarefas da casa, não lava um prato, não põe água para os animais, mas fica meu bebe pra cá, meu bebe pra lá. Não pega numa vassoura, não põe o lixo na rua e etc. etc. E diz isso não é comigo, o cachorro não é meu !?

Dos que sentam à beira da cozinha esperando a refeição e não ajuda, nem para lava o seu próprio prato. Dos que ficam à mercê do 0800.

Dos que trazem a fofoca do trabalho e levam para casa.

Do querer só para si, sem pensar em seu semelhante. Dos que não socorrem o amigo, o irmão, o pai nos apertos da vida, os quais recorrem aos juros altos dos bancos, ou até mesmo aos agiotas para compensar as despesas da casa.

Daqueles sem educação, grosseiros, mal-educados, que nos atendem especialmente quando temos algo a tratar e pagamos pelo serviço e nos recebem de cara feia e com indiferença.

Dos vira-latas que perambulam nas noites, nas madrugadas e antes do sol nascer, procurando alimentos e água, mas o que encontram são pauladas, que coisa feia!

Dos que ostentam, dos sem conteúdo, que somente dão valor aos carros do ano, e pensam só em juntar riquezas. E pensam em mocinhas!

Da imbecilidade humana, da casca grossa da ignorância, sem Deus, sem Cristo. Só arrogância e vaidades. Da mediocridade, da cegueira que não enxerga que a nossa vida é uma passagem e não aproveitamos para as lindas paisagens a não ser, pensar em ficar rico, milionário, como se pudéssemos levar conosco todo o ouro e os dólares, num caixão tão pequeno.

Taí. O nosso próprio País em que a bandeira tem como lema: “ordem e progresso”, mas, na verdade, o progresso é retrocesso; e a ordem é a desordem oriunda de governos passados, de homens que foram perseguidos pela ditadura militar, torturados, exilados; e que perderam a integridade, a retidão. E de vítimas passaram a réus; dos sonhos que foram trocados pela ganância do poder, do dinheiro. Estão ai! como maus exemplos para nossos filhos, nossos netos. “Chegará o tempo que os homens terão vergonha de serem honestos”, o poder que se dizia legitimado pelo trabalho, pela honra não passaram rales da nossa história.

O Ser humano precisa antes mais de serem humanos! Tem que melhorar muito, ser gente, não bandidos!  Os nossos jovens estão sendo mortos, assassinados por prazer. Eles matam pela serotonina, mas não sabem o que é justiça. Nada é impune. Tudo tem a sua paga.

Por falar em melhorar como seres humanos, reporto-me às abordagens policiais, do tratamento vil, para não ter que dizer vil. Sem educação, e como se fossem nos tempos dos bárbaros, servindo-nos como treinos de May Tay. Seria bom que o comando da Polícia Militar passe instruções de educação para estes homens encarregados da segurança. Eles são servidores pagos com o suor do nosso trabalho e não para tratarmos de tal maneira grosseira. O cidadão hoje tem medo de polícia, que não deveria agir para o medo, mas sim para compor a ordem.

Reportando também ao moral dos “idealistas”, hoje em sua maioria presos, por ter traído a pátria gentil, que tanto os próprios passaram, e hoje estão ai, presos comuns, como os outros, ou seja, banidos da sociedade, envergonhados, decrépitos, derrotados com seus maus exemplos ante uma nação, de um povo decepcionado…

Os comentários estão encerrados.