Em audiência pública, monitores voltam a reivindicar reconhecimento

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 22 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação
fotos: Ascom Câmara


Durante a audiência pública desta quarta (22), que tratou sobre a reforma previdenciária, sindicalistas utilizaram a Tribuna Livre da Câmara de Vereadores. A representante dos monitores de creches e escolas do município, Aliny Souza Ribeiro, em sua fala, afirmou que categoria a luta pelo reconhecimento dentro do quadro do magistério.

“A nossa função, além do cuidar, é educar. As mesmas funções de um professor do Fundamental I, no caso as atividades pedagógicas, nós também fazemos nas creches e nas escolas”, explicou. Além disso, ela destacou que para exercer a função de monitor, é necessário ter magistério, assim como o professor. “Cuidamos de crianças de dois e três anos e educamos também. O nosso salário é de R$ 937,00 para fazermos dupla função. Enquanto o professor, que também faz as mesmas coisas que nós fazemos, de 40 horas, ganha R$ 2.298,00. Isso é uma vergonha para a categoria”, explicitou.

Aliny pontuou que desde 2011, o Conselho Nacional de Educação e o Ministério de Educação deram autonomia aos municípios para regularizar a função desses profissionais. “Há mais de seis anos, este município, um dos maiores do estado da Bahia, ainda está aquém. Municípios de todo o país já regularizam essa situação e Conquista continua desse jeito. Mas, nossa categoria não vai mais aceitar essa situação”, disse.

De acordo com a representante da categoria, está sendo elaborado um documento, que será entregue no mês de abril para todos os vereadores, bem como para prefeitura, esclarecendo as atividades exercidas pelos monitores.

Os comentários estão encerrados.