Em jantar, grupo de Neto comemora reação a Dilma

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Política | Data: 25 dez 2015

Tags:, , , ,

nov_25_pel_banner_site_resenha_feirao_aquitemnegocio_582x65px_jean

da Redação

Turma do prefeito elogiou sua cobrança do BRT a Dilma e reação dos simpatizantes em ato do metrô

Aliados do prefeito ACM Neto (DEM) comemoraram ontem à noite em um jantar de confraternização num restaurante na Barra a performance dele e de seu grupo durante a inauguração da estação Pirajá, do metrô, pelo governador Rui Costa (PT) e a presidente Dilma Rousseff (PT). Com receio de hostilidades por parte do PT, Neto pela primeira vez montou um grupo grande para acompanhá-lo num ato do qual participaria ao lado de Rui e Dilma, que incluiu de deputados e vereadores a lideranças comunitárias, o qual mostrou sua força no evento e incomodou profundamente os petistas, que os acusaram de terem sido pagos pelo prefeito.

O enfrentamento entre os dois lados começou logo no início da festa, quando Neto apareceu no telão junto às demais autoridades e começaram a vaiá-lo, para em seguida gritarem o refrão “Não vai ter golpe!”, uma alusão à resistência à proposta de impeachment da presidente, defendida por partidos como Democratas, do prefeito. A turma de Neto reagiu de pronto aos gritos de “Puta que pariu, ACM Neto presidente do Brasil”. Neste momento, prevendo que o confronto poderia descambar para a pancadaria, a segurança do governo sabiamente fechou o acesso ao local da festa, impedindo que mais simpatizantes do prefeito chegassem mais perto do palanque.

“O pessoal nosso foi muito bem, porque estava tudo montado para ele (Neto) ser vaiado de forma ensurdecedora”, disse um dos deputados que participaram do encontro ontem à noite com o prefeito. Todos elogiaram o tom incisivo que Neto imprimiu ao discurso, cobrando da presidente, principalmente, os recursos para o BRT, prometidos logo após protestos de 2013 contra o governo e, depois, acordados formalmente com o grupo do prefeito antes da aprovação da primeira etapa do ajuste fiscal, no qual a bancada federal baiana sob a sua liderança votou em peso para ajudar o governo federal.

O curioso, segundo os aliados do prefeito, é que a presidente, última a falar no encontro, fez cara de paisagem, como se as cobranças não tivessem sido dirigidas a ela por ACM Neto, e nem passou recibo em relação às queixas em seu discurso. A forma igualmente incisiva como o grupo de Neto o defendeu durante o ato de inauguração do metrô fez com que deputados do PT como Jorge Solla o acusasse de estar a soldo do prefeito, mas a turma que se reuniu no jantar só tinha elogios à estratégia, lembrando que não poderia ter baixado a guarda depois das críticas que o governador dirigiu esta semana ao prefeito.

Os comentários estão encerrados.