Empresários continuam na luta por revitalização do Centro Comercial de Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Economia | Data: 15 dez 2014

Tags:, , , , , ,

por Mateus Novais

DSC_1600O desejo de requalificação e modernização do Centro Comercial de Vitória da Conquista já se estende por um longo período. Um projeto apresentado em 2008 de se construir uma espécie de shopping a céu aberto não foi à frente por ser um “projeto sonhador”, acredita o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Vitória da Conquista (Sincomérciovc), João Luiz dos Santos (foto). Mesmo assim, ele aposta na mobilização dos empresários poderá ter um fim positivo.

O objetivo do grupo formado por CDL, Associação Comercial e Associação das Indústrias é captar recursos através de uma emenda parlamentar, assim como foi feito em Feira de Santana. Lá, o município administrado pelo prefeito José Ronaldo (DEM) conseguiu R$ 20 milhões para investir no comércio local. “Com a expansão da cidade, o shopping atual e o novo shopping, esse Centro está ficando aquém em todos os sentidos, principalmente em termo de mobilidade urbana. E eu acredito que, desta vez, tem tudo para sair, através de uma emenda de bancada”, afirmou João Luiz.

Os empresários avaliam como maior problema a região da Praça da Bandeira, onde atuam trabalhadores do setor informal. Pois, mesmo com a construção do Shopping Popular, dezenas de barracas continuarão tendo apenas a praça para trabalhar. “O Shopping Popular, me parece, que não atende a 1/3 dos microempresários. E é um consenso entre todos os comerciantes que a Praça da Bandeira é um problema. Não é só um problema visual, mas também do trânsito”, explicou o presidente Sincomérciovc.

Para desenvolver algo que não seja “sonhador”, João Luiz explica que o projeto do shopping a céu aberto será totalmente reformulado. “Esse novo projeto, que vamos desenvolver junto com a CDL, Associação Comercial e Associação das Indústrias, tem que ser mais exequível, humano e que contemple as alamedas, a arborização e o fluxo de pessoas”.

Os comentários estão encerrados.