Escritora Lêda Nova entrevista Ubirajara Brito

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Brasil, Cultura, Vit. da Conquista | Data: 20 jul 2013

Tags:, , , , ,

da Redação

FOTO OSCAR  NIEMEYER E UBIRAJARA BRITOEm um bate papo descontraído, a escritora Lêda Nova esteve na casa do ex-ministro da Educação, Ubirajara Brito, em Vitória da Conquista, e conversou sobre vários assuntos.

A entrevista foi publicada na Revista Personnalité, que foi gentilmente cedida para o Blog da Resenha Geral. Leia na íntegra:

Literalmente impossível, por não caber neste trabalho, apontar o infindo curriculum vitae do brilhante UBIRAJARA PEREIRA DE BRITO – professor de Física do Colégio Estadual da Bahia; professor adjunto da Escola Politécnica da Bahia; professor de Geonuclear da Faculdade de Ciências de Orsay da Universidade de Paris; engenheiro civil; pesquisador; jornalista; conferencista; “Docteur d’État ès-Sciences Physiques” pela Universidade de Paris, Orsay, França (1971); “Attaché de Recherches” do CNRS (França, 1967 – 1970) e “chercheur”, pesquisador titular do CNRS (França, 1971 – 1974); distinções no Brasil e no exterior; medalhas; publicações científicas; pós-graduado em Desenvolvimento Econômico e Estratégico, com condecorações nacionais e internacionais; ex-ministro da Educação e da Ciência e Tecnologia; ex-membro do Comitê de Ciência e Tecnologia da Organização dos Estados Americanos (OEA), do Conselho de Administração da Fundação Banco do Brasil, da Comissão Consultiva de Desenvolvimento Nuclear da Presidência da República, na década de 1980. Pertenceu ao Conselho Editorial da Revista Nosso Caminho, dirigida por Oscar Niemeyer, assim como o assessorou no projeto da Universidade Moura Lacerda, em Ribeirão Preto e da UNILA-Universidade Federal da Integração Latino-Americana, em Foz do Iguaçu.

Posso falar, entretanto, da pessoa humana iluminada de Ubirajara Brito, do seu caráter ilibado, de sua simplicidade e senso de justiça e da eterna e transparente admiração pela mulher e pelo amor. Ademais, já é “imortal”, não só por ocupar a cadeira 29 de nossa Academia Conquistense de Letras, porém essencialmente pelo seu testemunho de vida generoso e humilde, irrepreensível por todas as correntes religiosas, ainda que se diga ateu.

1. Personnalité – Como você concilia o mecanicismo da Física com sua veia poética, perceptível no belo das obras de arte e outros objetos de decoração de sua residência e da sua delicadeza de poeta no trato com as mulheres?

1. Ubirajara Brito – As mais belas equações da Física são versos escritos à Natureza. E a Natureza responde à Física com a mulher, o mais belo poema escrito por ela no Universo.

2. Personnalité – Sendo você predominantemente um físico, obviamente com muitos versos escritos à Natureza, quantas mulheres já se apaixonou e/ou amou?

2. Ubirajara Brito – A paixão é, na Psicologia, uma emoção. Emoções não constam no meu cardápio psíquico. O amor exige dedicação; não tive tempo para ocupar-me dele; todavia, tangenciei-o sempre.

3. Personnalité – Qual seu posicionamento diante da Física Quântica, Teoria do Caos e do chamado “Efeito Borboleta”?

3. Ubirajara Brito – A Física Clássica responde às questões com exatidão. A Física Quântica responde às questões por sua probabilidade. Na Teoria do Caos, trabalhando com sistemas dinâmicos complexos, a resposta um fenômeno é, quase sempre, imensamente desproporcional às condições iniciais; às vezes, uma mínima alteração nas condições iniciais produz efeitos quase que inimagináveis; por exemplo, em Meteorologia, pequenas variações nas condições atmosféricas iniciais podem produzir um tufão; essas pequenas variações são como um bater de asas de uma borboleta no Japão e o tufão acontecer devastador no Canadá.

4. Personnalité – O cineasta Neville D’Almeida – diretor de “A Dama do Lotação”, de Nelson Rodrigues – estreou agora na literatura com o romance “A Dama da Internet”, no qual uma mulher casada, de nome Luísa, sabendo-se traída, assume a identidade da “Dama da Internet”, envolvendo-se, no universo virtual, com diversos tipos de homens e em situações de risco, nas quais faz surpreendentes descobertas sexuais, obtendo um prazer inimaginável.

No elástico conceito de amor e sexo e da recente realidade da Internet, para você Luísa é uma vítima ou uma vilã… uma heroína… ou uma anti heroína? Ou o quê?

4. Ubirajara Brito – Faz parte de a cybercultura difundir e fazer circular um número tal de dados e informações em quantidade e complexidade que uma mente humana seria incapaz de processar, analisar e julgar, extraindo delas conclusões coerentes e que possam facilmente ser dispostas em sequência lógica. Embutidos nessas informações estão valores éticos que se chocam com os valores de sociedades moralmente estruturadas. Luisa é uma pobre vitima da chamada cybercultura, que, traída por seu marido, reage com uma arma desconhecida e múltipla, que pode ser letal para a comunidade a que pertence.

5. Personnalité -”O próprio viver é morrer”… disse Fernando Pessoa, um dos maiores poetas da língua portuguesa e da literatura universal. O que é morrer para Ubirajara Brito?

5. Ubirajara Brito – Para mim a morte é o encontro do futuro com o passado. O mundo que o homem vê para frente e para trás ali se acaba – o tempo se contrai e zera.

6. Personnalité – E se o tempo fosse uma ilusão do nosso mundo tridimensional?

6. Ubirajara Brito – O tempo não é uma ilusão no mundo tridimensional, ou seja, no espaço. Tempo e espaço existem simultaneamente. Não existe espaço sem tempo, nem tempo sem espaço. De uma perturbação do espaço-tempo surge a matéria, ao nascer o Universo.

7. Personnalité -”E vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia”, estaria dito, literalmente, no Apocalipse Bíblico, consoante diversos estudiosos do tema. Seria uma das terríveis revelações acerca dos destinos da humanidade?

7. Ubirajara Brito – O fim da humanidade será, com certeza, mais tenebroso do que descreve São João no Apocalipse; ela pode acabar instantaneamente por um acidente cósmico. Certamente, daqui a 4 a 5 bilhões de anos, o Sol, então pobre de energia, se expandirá, e, como gigante vermelho, absorverá a Terra, ou o Sistema Solar poderá chocar-se-á com a Estrela Vega, para onde se dirige, daqui a 50 milhões de anos. Mas, muito antes disso, a temperatura da Terra subirá muito e a vida na sua superfície será impossível. Entretanto, há uma hipótese macabra para a humanidade se dizimar: em 2025, a China ultrapassará os Estados Unidos como potência econômica, e, em 2045, se igualará como potência militar. Chineses complexados por séculos de dominação ocidental, e americanos arrogantes movidos pelo determinismo calvinista conviverão em paz? Ou protagonizarão um dantesco suicídio nuclear?

8. Personnalité – Diante do entendimento generalizado de as citações bíblicas serem textos metafóricos, o Apocalipse vai efetivamente existir?

8. Ubirajara Brito – O Apocalipse existirá sim. Não conforme a visão perturbada do pesadelo de São João. Só, a própria humanidade, com uma guerra nuclear, encenará um Apocalipse teratológico, para responder às metáforas joaninas.

9. Personnalité – Qual a contribuição da física no dia-a-dia do cidadão comum?

9. Ubirajara Brito – Nas ciências, a Química trabalha mais pela saúde corporal do homem, e, a Física, pela sua saúde ambiental. Deve-se à Física todo o conforto da era moderna, da cozinha às viagens espaciais.

10. Personnalité – Vamos brincar com as palavras?

10.1. Personnalité – Diga da prosa e do verso.

10.1. Ubirajara Brito – Para mim, a prosa tem que ter conteúdo, depois, ritmo; o verso tem que ter, primeiro, ritmo, depois, conteúdo.

10.2. Personnalité -Do mal e do bem; do mau e do bom.

10.2. Ubirajara Brito – O mal justifica o bem; o mau justifica o bom; o Diabo justifica Deus.

10.3. Personnalité – Do medo e do amor.

10.3. Ubirajara Brito – O amor anula o medo.

10. 4. Personnalité – Da dor e do prazer.

10. 4. Ubirajara Brito – O prazer segue-se à dor.

10. 5. Personnalité – Da carroça e do avião.

10.5. Ubirajara Brito – Se a morte só viajasse de carroça, eu perderia o medo de viajar de avião.

10. 6. Personnalité – Do Complexo de Édipo e Hamlet (a mais longa, comentada e polêmica peça de Shakespeare).

10. 6. Ubirajara Brito – Tenho dificuldade em aceitar o Complexo de Édipo aplicado a Hamlet. Pelo contrário, vejo mais claro aí o Complexo de Electra Masculino. A hesitação de Hamlet em assassinar seu padrasto e tio Rei Cláudio, em quem ele vê seu próprio pai, está bem claro no monumental solilóquio “to be or not to be, that is the question”. Na hesitação de Hamlet, Shakespeare leva os principais protagonistas para o colapso final. A quase simultânea morte de Laertes, da Rainha Gertrudes, do Rei Cláudio e do Príncipe Hamlet absolve a todos de quaisquer possíveis pecados entre si cometidos.

10. 7. Personnalité – Da máquina de escrever e do computador.

10. 7. Ubirajara Brito – Com a máquina de escrever eu tinha tempo para pensar; o computador me faz pensar cada vez menos. Isto não é bom.

10. 8. Personnalité – Do amor e da paixão.

10. 8. Ubirajara Brito – Há uma lei em Psicologia que afirma: uma emoção repetida se anula, mais repetidamente e mais repetida, se inverte. Amor e paixão são coisas diferentes: amor é sentimento, paixão é emoção. São duas categorias que não se relacionam em Psicologia. O amor não fenece. A paixão pode transformar-se no seu oposto, o ódio.

10. 9. Personnalité – Da monogamia e da poligamia.

10. 9. Ubirajara Brito – Quase todos os animais são polígamos, inclusive o homem. A monogamia é uma invenção do homem civilizado (socializado), invenção do seu egoísmo. Convém, todavia, à organização da sociedade, evitando conflitos, naturalmente estimulados pelo instinto de poder que o ser humano exercita com frequência. É uma norma capitalista, que o comunismo primitivo das sociedades indígenas desconhece.

10. 10. Personnalité – Da figura pública de Ubirajara Brito e do amigo Ubirajara Brito.

10. 10. Ubirajara Brito – Sempre separei minha vida pública da minha vida privada. Nunca pratiquei nepotismo, nem favoreci amigos com vantagens de origem pública. Mas, nunca titubeei em dar a um amigo as vantagens públicas que poderiam ser oferecidas a qualquer um.

Nota da entrevistadora – Muito obrigada, amigo sábio Ubirajara Brito, em meu nome e de toda equipe da Personnalité, por esta entrevista – tão rica em conteúdo e informação, elaborada com a beleza da boa vontade e elegância e com o cuidado e o primor de uma obra-prima – ao mesmo tempo, leve como o bater de uma multicolorida borboleta, decerto não a da Teoria do Caos. Da mesma forma, agradeço pela acolhida amorosa de nossa equipe para a finalização do nosso trabalho, no espaço de intimidade do seu apartamento, decorado com a excelência e bom gosto inerentes à sua personalidade, realçados pelos objetos de arte, inclusive antiguidades.

Quem é Ubirajara Brito?

Baiano nascido em Tremedal, descasado, quatro filhos, sendo dois falecidos, residente na cidade de Vitória da Conquista, que é por ele declarada “sua casa”, se bem que transite com desenvoltura pelas universidades de outros estados e países e pela cúpula governamental, é ainda escritor com quatro livros publicados. Amigo íntimo do inigualável arquiteto Oscar Niemeyer, amavam-se fraternalmente não pelos seus sucessos mútuos, porém pela cumplicidade e doação dos verdadeiros amigos, para sempre “guardados no lado esquerdo do peito… pelo qual Ubirajara chorou ao ver o seu amigo partir… voar… no pensamento ficando a lembrança que o outro cantou” (na licença poética da paródia respeitosa a Milton Nascimento em CANÇÃO DA AMÉRICA).

Os comentários estão encerrados.