Funcionários causam prejuízo de R$ 300 mil em empresa com desvio de mercadoria

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Polícia | Data: 01 out 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais

moveisffoto: Elite Notícias

Três pessoas foram presas por participar de um esquema que saqueou uma loja de móveis para escritório de Vitória da Conquista. O detalhe é que o crime foi arquitetado por dois funcionários da empresa, que agiram por um período de nove meses, causando um prejuízo de mais de R$ 300 mil. O crime foi descoberto após os proprietários da empresa perceberem uma baixa no volume do estoque e instalarem câmeras de monitoramento.

O estoque da loja funciona no bairro Brasil. De lá, os dois funcionários, que exerciam a função de montadores e entregadores, retiravam a mercadoria sem nota fiscal e revendia para várias pessoas, inclusive uma loja concorrente, que funciona a 300 metros da empresa saqueada.

Com a denúncia em mãos, a polícia montou um cerco para prender os acusados em flagrante. Os homens foram presos no momento em que faziam uma entrega sem nota fiscal na Avenida Sergipe, no bairro Brasil. Durante a prisão, os dois funcionários confessaram pelo menos 12 pontos de entrega para receptadores na cidade, entre eles, a loja concorrente. Nesta loja, a polícia conseguiu recuperar cerca de 5% de toda mercadoria desviada do depósito da empresa (98 unidades de 13 tipos de móveis), um montante que daria para encher um caminhão baú.

Na delegacia, os criminosos relataram que, nesse período, eles chegaram a furtaram mais de 900 ventiladores do estoque da loja. Cada peça era vendida por R$200 para receptadores locais e de outras cidades da região. O crime prolongado não foi descoberto antes pela falta de balanço no estoque da empresa.

Um dos funcionários presos, Ricardo Silva Macedo, de 26 anos, confessou que o lucro da venda dos objetos era dividido com seu comparsa, identificado apenas como Junior. Um fato que também chamou atenção da Polícia é que Junior já havia sido demitido duas vezes da empresa pelo mesmo crime. O dono da loja concorrente, que não teve o nome divulgado, também foi apresentado no DISEP, ele já possuía passagens pela polícia.

Os comentários estão encerrados.