Má postura ao usar o smartphone pode provocar dores e lesões sérias

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral, Saúde | Data: 27 set 2019

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Via-Bahia.png

Revista Mais Saúde

Você tem o hábito de passar muitas horas do dia com a cabeça baixa, o celular na mão e os olhos fixos na tela zapeando entre as redes sociais? Então – pasme! – você pode estar entre os 139,1 milhões de brasileiros online que passam, em média, nove horas do dia navegando na Internet, de acordo com dados do Relatório “2018 Global Digital”, divulgado pela agência We Are Social e a plataforma Hootsuite.

Ainda segundo o relatório, o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking dos países que usam as redes sociais por mais tempo, perdendo apenas para as Filipinas. Pois é! Nós passamos, em média, 03h39min do dia no celular checando Whatsapp, Instagram e Facebook.

Você pode estar se perguntando: “o que o uso do celular tem a ver com a dor na coluna?”. Bom, o seu smartphone já virou quase um companheiro inseparável, seja na cama antes de dormir, almoçando à mesa, nas filas de banco, na saída com os amigos e até no banheiro! Nesses momentos você já reparou como é automático o movimento de curvarmos o pescoço para frente para olhar para o aparelho EM nossas mãos?

Imagine o efeito que o hábito de permanecer nessa posição pode causar a longo prazo na saúde. Sem falar nos movimentos repetitivos feitos com os dedos ao digitar. O uso excessivo de celulares e dispositivos móveis, como tablets e notebooks, pode causar alterações na coluna cervical por conta da má postura.

E este problema já tem até nome: Síndrome do Pescoço de Texto. “Os sintomas são dor cervical, nos ombros e na região do trapézio, por vezes até com formigamentos nos braços. Os desconfortos são decorrentes de longas horas de uso do celular e dispositivos móveis em posições inadequadas”, explica Dr. Ronald Farias, neurocirurgião presidente da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN).

O número de pessoas que sofre com dores musculares, lesões por esforços repetitivos (LER) e hérnias de disco cervicais devido ao uso de eletrônicos é cada vez mais frequente, como explica a fisioterapeuta Silvia Serri, que atua no Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, em São Paulo. “Uma recente pesquisa publicada no The Spine Journal apontou que o uso intenso e irregular desses aparelhos tem promovido problemas de hérnias de disco principalmente nas gerações mais jovens”, afirma.

A fisioterapeuta ainda explica que o peso da nossa cabeça triplica com a inclinação do pescoço para baixo. “Em posição normal, a cabeça de um adulto pesa cerca de 5 quilos, com a postura curvada para baixo o contrapeso pode atingir até 15 quilos, sem que a pessoa perceba”, esclarece Silvia.

Entre os problemas mais decorrentes devido a esse esforço está a cefaleia cervicogênica, uma pressão intensa nas partes superior e posterior do pescoço que é facilmente confundida com dor de cabeça e enxaqueca. O neurologista ainda faz um alerta: “pode realmente acontecer um quadro de dor crônica ou, por vezes, até exacerbar doenças degenerativas às quais os pacientes já tenham predisposições, como hérnias cervicais”, destaca Ronald. Para evitar

Para evitar problemas, a principal indicação dos especialistas é estar sempre atento a postura. O aparelho sempre deve estar à altura dos olhos com uma das mãos, a fim de deixar o pescoço numa posição neutra. Um outra dica é usar o outro braço como suporte para apoiar o cotovelo.

Além disso, é preciso limitar o tempo em frente as “telinhas”, mesmo que elas facilitem o seu dia-a-dia. Mas se o seu instrumento de trabalho é o celular, tablet ou notebook, e você não consegue diminuir tanto assim o tempo de uso, aqui vai uma dica do neurologista: “A prática regular de exercícios melhora a postura e a qualidade muscular. Intervalos de descanso ao longo da jornada e boa ergonomia também são medidas importantes, com móveis e equipamentos adequados – que são essenciais”.

Alongue a sua musculatura sempre que possível para aliviar a tensão no pescoço, fazendo o movimento de ‘sim’ e ‘não’ com a cabeça, por exemplo. Só não esqueça o mais importante: manter sua boa postura e a sua saúde!

Os comentários estão encerrados.