Mais uma quadrilha de fraude bancária pela internet é presa em Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Polícia | Data: 10 mar 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais

IMG_0033foto: divulgação – Polícia Militar

Quatro integrantes de uma quadrilha especializada em desvio de dinheiro pela internet foram presas nessa quarta-feira (9) em Vitória da Conquista. As prisões ocorreram após uma abordagem de rotina do Pelotão de Emprego Tático Operacional da 77ª CIPM, na Praça do Gil. Esta não foi a primeira vez que uma quadrilha de rackers foi desarticulada no município.

Os militares abordaram Tarcisio Meira Santos, de 23 anos, em um veículo. Com ele foram localizados dois cartões de crédito em nome de terceiros, bem como comprovantes de transações bancárias. Após ser interrogado, ele confessou que faz parte de uma quadrilha que pratica crimes contra instituições financeiras. Então, os policiais deslocaram até a residência de Tarcisio e lá localizaram notebooks, vários chips de celular e diversos comprovantes de transações bancárias.

O acusado acabou levando os policiais até outro integrante do grupo, identificado como Anderson Silva Souza, 25 anos. Anderson, que é ambulante, estava em um veículo Hyundai Sonata, onde foi localizado um revólver cal 38 municiado, cartões de banco, comprovantes bancários e um notebook. Na casa de Anderson, os policiais localizaram outros comprovantes bancários em nome de terceiros, mais um notebook e documentos que comprovavam a participação do pai de Anderson no esquema fraudulento. Gilmar da Silva Souza, 51 anos, também foi detido.

Por fim, eles entregaram o último integrante da quadrilha. Ele foi localizado em sua residência, na Avenida Alziro Prates, bairro Candeias. Com ele foi encontrado um celular e um notebook.

Como os crimes contra Instituições Financeiras são de competência da Justiça Federal, todos os envolvidos foram conduzidos para a sede da Polícia Federal. Os veículos, celulares, notebooks, comprovantes de transações bancárias, cartões de diversos bancos, cheques em branco e preenchidos no valor de R$ 460 reais e um revólver também foram apresentados na Polícia Federal, que dará prosseguimento as investigações.

Segundo os acusados, a base operacional da associação criminosa fica no Paraná. Todos os conduzidos responderão pelos crimes de furto, quebra ilegal de sigilo financeiro, interceptação ilegal de comunicações telemáticas e associação criminosa.

A fraude

O grupo pratica os crimes por meio do sistema de internet banking. Os criminosos invadem redes Wifi de hotéis, estabelecimentos comerciais, clínicas, Shoppings, entre outros, e instalam um programa malicioso no roteador de Internet.

Quando a vítima acessa a conta de seu banco a partir dessa rede é direcionada para um domínio falso, que hospeda não apenas uma página idêntica a da instituição financeira, como também um programa de espionagem. Esse vírus, ao identificar o acesso a uma página de internet banking, copia os dados digitados e converte em arquivo de texto, que é armazenado na caixa postal do hacker.

A partir daí, os dados são utilizados rapidamente para a realização de transferência online de valores da conta da vítima para as contas dos criminosos.

Os comentários estão encerrados.