Nordeste teve R$ 14 milhões em fraudes evitadas

0

Publicado por Roberto Silva | Colocado em Bahia | Data: 19 jul 2014

Tags:,

A Tarde

hacker IINos três primeiros meses deste ano, a região Nordeste teve 18.889 fraudes evitadas em compras online. No total, R$ 14,6 milhões foram preservados no mesmo período.

Os dados foram levantados pela ClearSale, responsável por aproximadamente 80% das análises feitas no e-commerce. Segundo o diretor de inteligência estatística da empresa, Rafael Lourenço, o NE é a região que mais registra ocorrências de fraudes em compras pela internet.

Na Bahia, por exemplo, os setores que mais registram as tentativas de trapaças online são: celular (23,5%); games (14,9%) e informática (13,7%).

Itens de informática ficaram em segundo lugar, com 10,8%; seguido por games, com 10,7%. Itens de beleza representaram 7,9% e, em último lugar, itens automotivos, com 6,1% de compras de má-fé evitadas. A média geral da região foi de 4,6%.

Em geral, a procura dos fraudadores por telefonia celular se destaca das demais. Nesse segmento, 13,6% das compras realizadas foram identificadas como embuste e, dessa maneira, a transação criminosa foi evitada.

“Temos um aparato tecnológico e trabalho de inteligência que ajudam a identificar e combater essas fraudes, por isso que o serviço é essencial aos fornecedores”, explica Lourenço.

Isso porque, diz ele, quando ocorre uma trapaça em compras pela internet, o prejuízo pela transação é do fornecedor. “Quando o consumidor identifica o dano e procura a loja, seu dinheiro deve ser devolvido imediatamente, mas o estabelecimento sofre a perda, já que essas fraudes são difíceis de serem identificadas”, assinala.

Legislação

Os mesmos direitos dos consumidores de lojas físicas são os do comércio virtual, no entanto esses últimos têm maior vantagem no que se refere ao direito de arrependimento do art. 49 do CDC.

A relação de consumo fora do estabelecimento comercial, como telefone e internet, permite que o consumidor desista do produto em sete dias, a contar da assinatura ou recebimento do produto ou serviço.

“Mas nesse tipo de compra é importante que o consumidor não forneça muitos dados pessoais, principalmente os desnecessários, como nome dos pais”, orienta o superintendente do Procon-BA, Ricardo Maurício Freire Soares.

Dicas para evitar fraudes financeiras

Serviços gratuitos 
Recuse serviços oferecidos gratuitamente que solicitem o número do cartão de crédito, CPF, como garantia antes da contratação efetiva

Comércio Eletrônico 
Certifique-se da idoneidade de empresas que realizam comércio eletrônico ou por telefone antes fazer qualquer compra. Consulte histórico de reclamação sobre a empresa nos Procons ou em redes sociais. Desconfie se o preço estiver muito abaixo do de mercado

Informações de órgãos oficiais 
Instituições públicas (Receita Federal, Previdência Social, Banco Central, prefeituras, entre outros) não enviam cartas, e-mails ou fazem ligações aos consumidores solicitando dados pessoais ou bancários

Os comentários estão encerrados.