Operação apreende cerca de 500 quilos de carne em feira do Alto Maron

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral, Saúde, Vit. da Conquista | Data: 12 jul 2019

Tags:, , ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é PEL-1.gif

Na tarde desta sexta-feira(12), uma grande operação foi realizada pela Secretaria Municipal de Saúde de Vitória da Conquista, por meio da Vigilância Sanitária, na Feira do Alto Maron, em Vitória da Conquista.

A ação contou que com apoio da Polícia Militar, está sendo realizada em diversos lugares da cidade e tem o objetivo de fiscalizar a venda de carnes sem certificação e improprias para o consumo.

De acordo com informações, cerca de 500 quilos de carnes impróprias para consumo foram encontradas no local pela vigilância Sanitária.

Em nota, a Prefeitura se manifestou sobre o assunto.

A Secretaria Municipal de Saúde informa que, desde o dia 26 de junho, a Vigilância Sanitária (Visa) está realizando a campanha “Carne Clandestina é Crime”. A iniciativa, que tem o apoio do Ministério Público, da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e da Policia Militar, visa coibir o abate e a comercialização irregulares de produtos animais. A visita realizada hoje na Feira do bairro Alto Maron faz parte das ações da campanha.

Informamos que foi apreendido em um estabelecimento aproximadamente 500 quilos de carne imprópria para o consumo. As carnes estavam armazenadas, congeladas há cerca de dois anos e apresentavam alterações organolépticas (cor e odor alterados). Informamos ainda que o efetivo policial é parte da parceria na operação. E o trabalho conjunto das Secretarias de Saúde e Serviços Públicos resultou numa intervenção que
gera fiscalização efetiva em prol da saúde da população.

De acordo com a Lei 8.137, a comercialização de produtos impróprios para consumo é crime. Com as ações que serão realizadas, os estabelecimentos que funcionam fora das normas sanitárias serão notificados e interditados por ação cabível à Administração. As feiras, mercados e centros comerciais terão prazos para regularização da comercialização das carnes, que deverão ser vendidas com certificação sanitária.

Os comentários estão encerrados.