Placa de homenagem com nomes de detentos no Presídio Nilton Gonçalves gera repercussão

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 25 jan 2017

Tags:, , , ,

Da Redação

Foto: reprodução

Cinco detentos do Presídio Nilton Gonçalves, em Vitória da Conquista, tiveram seus nomes mencionados em uma placa de homenagem fixada na unidade prisional. A postura da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia (Seap) gerou muita repercussão negativa entre a população da cidade, além de indignação entre servidores penitenciários do estado.

Nestor Duarte, sindicalista da Seap, explicou que a decisão de colocar os nomes dos internos foi a partir do reconhecimento do trabalho prestado por eles na reforma e inauguração do módulo feminino no presídio, que além de ser destinado as mulheres custodiadas, também abriga presos em regime semi-aberto. De acordo com o coordenador do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado da Bahia (Sinspeb), Reivon Pimentel, entre os nomes mencionados na placa comemorativa, estão os presos  que cometeram crimes contra vida de outras pessoas e de desvio de dinheiro público.

Para o sindicato da categoria, a maior afronta cometida foi a colocação do nome do empresário Júlio César Cotrim, acusado de participar do esquema de licitações irregulares, por meio de empresas de fachada, entre os anos de 2009 e 2016. Batizada como Operação Burla, o Ministério Público Federal e Polícia Federal descobriram que os desvios de recursos de municípios baianos, somados, ultrapassaram a quantia de R$ 80 milhões. Outro interno que também teve o seu nome escrito na placa, foi Gildarte Mendes dos Santos, condenado por assassinar a ex-mulher com golpes de machado, no povoado da Choça, distrito de Vitoria da Conquista.

Em nota divulgada à imprensa, a direção do presídio informou que foram selecionados internos com aptidão para o trabalho de construção civil, entre pedreiros, ajudantes e pintores para realizar o trabalho de reforma, de maneira voluntária e sem qualquer tipo de remuneração. “Foram mais de 60 dias desentupindo esgotos, refazendo instalação elétrica e hidráulica, consertando paredes, pintando… Enfim, conseguimos realizar a reforma, acreditávamos que uma singela homenagem de agradecimento seria o mínimo que poderíamos fazer”.

A nota ressalta ainda que “um ato de agradecimento a esses internos, que estão sendo preparados para retornar a sociedade, ainda é visto de forma estranha por parte de alguns, o que não pode restar de dúvida é que a nobre missão de receber o preso e devolver a sociedade um cidadão, está sendo cumprida de forma prioritária aqui neste Conjunto Penal”. A direção do presídio informou que a placa já foi retirada do local.

Os comentários estão encerrados.