Polícia aponta participação de servidores públicos em vendas falsas de terreno

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Polícia | Data: 21 maio 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

IMG_1190foto ilustrativa

O crime de estelionato envolvendo a venda de imóveis é muito comum em Vitória da Conquista, principalmente pela grande quantidade de transações imobiliárias feita na terceira maior cidade da Bahia. Mas, segundo a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos, esta modalidade tem crescido mais do que é esperado. O que também preocupa a polícia é a participação de servidores públicos no crime.

No golpe, o estelionatário vende, por exemplo, um terreno para várias pessoas diferentes. Para não ser descoberto antes do negocio ser concluído, os criminosos falsificam documentos ou apresentam contratos apenas com reconhecimento de firma. A vítima só descobre que foi lesada quando vai construir ou negociar o bem.

DSC_0318Em entrevista ao site Blitz Conquista, o delegado Ney Brito (foto) afirmou que a delegacia tem intensificado o combate a essa prática criminosa, mas apontou a participação de servidores públicos estaduais e municipais nos estelionatos. De acordo com o delegado, estes servidores estariam falsificando, até, documentos para a venda de terrenos que pertencem ao Tesouro Público Municipal.

Os nomes dos acusados ainda não podem ser divulgados, pois as investigações estão em andamento. Mas a pena para este tipo de crime pode chegar a 10 anos de prisão.

Atenção!

Vale ressalta que apenas o contrato e o reconhecimento de firma não garantem a lisura do negócio. O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) orienta ao comprador que procure o Cartório de Registro de Imóveis para levantar a documentação antes de concluir uma negociação imobiliária. Esse registro mostra todas as características do imóvel que está sendo vendido e o verdadeiro proprietário. Somente o Cartório de Registro de Imóveis pode transferir a propriedade.

Os comentários estão encerrados.