Prefeitura afirma que havia processo de grilagem em invasão da Serra do Periperi

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 20 mar 2017

Tags:, ,

Redação
foto: Rafael Gusmão

Secretários que compõem o Governo Municipal se reuniram na manhã desta segunda-feira (20) para esclarecer s motivos da ação de desocupação em uma área de preservação ambiental na Serra do Periperi. Segundo a Prefeitura, havia um processo de grilagem no espaço.

De acordo com o secretário de Infraestrutura Urbana, José Antônio Vieira, a invasão desmatou uma área de 35 mil metros quadrados e havia indícios de se proliferar pela Serra. “Por se tratar de uma área pública e de proteção ambiental, a prefeitura é obrigada por lei a cuidar dessa área e dispensada por lei de fazer esse aviso prévio. Ainda assim, já havia sido feita uma notificação em novembro do ano passado, ainda na gestão passada, também houve diversas contatos por parte do nosso Governo para a retirada dessas pessoas da área”, disse.

Questionado sobre o horário da operação de desocupação, às 4 horas do sábado, o secretário explicou que o objetivo era identificar as pessoas que realmente moravam na área. “Naquele local existiam 50 barracos, sendo 12 construções de alvenaria e um total de 38 pessoas responsáveis identificadas. Nesse horário, às 4 da manhã, quando chegamos lá, tinham pessoas apenas em quatro construções de alvenaria, então derrubamos apenas oito. E nessas quatro não aconteceu a ação. O que não quer dizer que estas quatro não vão haver um processo para desocupação”, relatou José Antônio.

O secretário de Comunicação, André Ferraro, ainda complementou que haviam um total de 108 lotes demarcados de 10 metros quadrados cada. “Não se trata de uma ocupação, é uma grilagem de terra pública em área ambiental. A gente tem imagens e provas de que se trata de grilagem orquestrada, como tem sido feita em outros locais da cidade”, garantiu Ferraro.

O governo também fez um alerta para os que ainda permanecem em áreas invadidas ou que pretendem reconstruir os barracos. “A responsável pelo ordenamento e ocupação do espaço público urbano é a Prefeitura. Logo, os que estão lá [nas invasões] serão desocupados de forma respeitosa e sem violência, como foi feito. E a autoridade pública está firme nessa decisão e vai continuar nela, porque é uma obrigação e dever constitucional – ainda mais quando se trata de uma área de preservação ambiental”, concluiu o secretário de Serviços Públicos, Esmeraldino Correia, também

Também participou da coletiva o líder do Governo na Câmara de Vereadores, Luis Carlos Dudé.

Os comentários estão encerrados.