Prefeitura de Curitiba pede que Justiça transfira Lula da sede da PF

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Política | Data: 13 abr 2018

Tags:, ,

terra

     Apoiadores do ex-presidente Lula dormem em barracas nas proximidades da Polícia Federal em Curitiba Foto: Mariana Franco Ramos / Especial para Terra

A Procuradoria-Geral da Prefeitura de Curitiba solicitou nessa sexta-feira (13) à Justiça Federal do Paraná (JFPR) a transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) da sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba para um outro local, não sugerido. A assessoria de imprensa da JFPR confirmou o recebimento do pedido, mas informou que não há um prazo certo para que a análise ocorra.

No despacho, a procuradora-geral do município, Vanessa Volpi Bellegard Palácios, argumenta que a manutenção do petista na Superintendência da PF, localizada no Santa Cândida, um bairro residencial, vem gerando transtornos a moradores, a funcionários da corporação, ao trânsito e ao comércio. Ela alega que a administração concedeu um espaço no Parque Aruba, próximo dali, entretanto, foi ignorada pelos envolvidos.

Desde que o helicóptero trazendo Lula chegou ao local, no último sábado (7), militantes, sindicalistas e membros de movimentos sociais favoráveis ao ex-presidente se concentram na região, numa espécie de vigília. Como um interdito concedido pela Justiça Estadual impede a passagem de veículos e pessoas não autorizadas, o acampamento “Lula Livre” foi montado a algumas quadras. Conforme a Polícia Militar (PM), em torno de 400 pessoas estavam alojadas nessa sexta-feira (13).

A coordenação do movimento, contudo, diz que todos os dias novas caravanas de apoiadores são recepcionadas e que a intenção é permanecer até a liberação de Lula.  Em frente ao cordão de isolamento, os participantes realizam uma série de atividades políticas e culturais, que começam pela manhã e se encerram por volta das 20 horas. O local também tem recebido visitas de artistas, intelectuais, juristas, governadores, parlamentares e outras lideranças da esquerda.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.