Prefeitura desmente falsas notícias de amadores; não existe nenhum atraso com a empresa de coleta de lixo

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 10 jun 2018

Tags:, ,

da Redação

Amadores irresponsáveis continuam de plantão disseminando notícias falsas. Em Vitória da Conquista tem sido comum essa prática  daqueles que ainda estão insatisfeitos com o resultado das eleições de 2016.

Fake news 

O Fake news, são informações noticiosas que não representam a realidade, mas que são compartilhadas na internet como se fossem verídicas, principalmente através das redes sociais.

Parte da imprensa conquistense, sem nenhum compromisso com a verdade, dominada pelo ódio, e até com pagamento de verbas publicitárias com recursos públicos, vive a disseminar as notícias desprovidas de verdade. É o Fake news invadindo emissoras de rádio e blogs da cidade.

Torre/Coleta de lixo

A partir de 2017, no novo Governo Municipal, a cobertura e a qualidade da coleta de lixo e o trabalho realizado no aterro sanitário foram  ampliadas já a partir de fevereiro do ano passado.

O trabalho mudou rapidamente a imagem da cidade. A população conquistense vem experimentando a transformação não apenas na limpeza, mas também na saúde pública. A dengue deixou de ser manchetes na imprensa local, pois os índices de infestação da dengue foram bastante reduzidos em todo o município.

Contrato

A empresa poderá atestar que não existe nenhum atraso de pagamento.  Atualmente, a empresa tem saldo de R$ 1 milhão, cujo valor, pela própria programação financeira do Município e em acordo com a empresa, será depositado nos próximos dias. “Esse ato é de rotina”, afirma o secretário de Serviços Públicos, Paulo César.

Em trecho de uma nota no site da Prefeitura o blog transcreve a seguir: (…) Segundo o secretário, com o contrato em vigor, assinado entre a empresa e o governo, os serviços foram substancialmente ampliados em relação a 2016. “A empresa passou a operar o Aterro Sanitário do Município, aumentando a vida útil do local, e foram implantadas a operação Cata-Bagulho, beneficiando as zonas urbana e rural com a coleta de materiais inservíveis, e duas turmas de serviços congêneres, com roçadeiras costais”, esclarece Paulo César. “Em alguns bairros, a coleta, antes feita por carroça, foi substituída por moto ou caminhão compactador. Inclusive, dois caminhões foram incorporados à frota”, relatou o secretário.

Os comentários estão encerrados.