Prefeitura é responsável pelo péssimo desempenho do Hospital Esaú Matos

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 27 maio 2016

Tags:, , ,

da Redação

SindisaudeO Hospital Esaú Matos, hoje entregue a uma Fundação, vive momentos de intensa crise comprometendo o atendimento médico-hospitalar, colocando em risco, o título de Hospital Amigo da Criança.

O prefeito Guilherme Menezes (PT) foi o responsável de ter tirado o hospital do município contrariando os apelos da OAB, sindicatos e de entidades médicas e sociais. Foi uma ação irresponsável da atual gestão que comanda os destinos de Vitória da Conquista.

A reportagem do BRG recebeu as seguintes informações do deputado estadual Herzem Gusmão (PMDB), que merecem apuração do Ministério Público. Segundo o parlamentar ele recebeu informações sobre o péssimo desempenho daquela unidade hospitalar. Confira os problemas apontados na denúncia feita ao parlamentar:

A) Dívida com todos os fornecedores e cancelamento de todos os contratos de manutenção dos equipamentos;

B) Índice de mortalidade neo natal alarmante e super lotação, e mães com seus RNs em macas e corredores;

C) Altos Índices de cesarianas, chegando a 58%, sendo que o normal para o hospital com estas características são de 30%;

D) Redução drástica do número de partos, caindo de 420 partos há 15 meses, para 270 mês, na atualidade;

E) Suspensão de vários procedimentos ( Pequenas cirurgias, ultra sonografia, mamografia, colonoscopia endoscopia, e etc);

F) Implantaram a filosofia do Hospital de Base, não dão alta nos pacientes, para obstruir novos internamentos;

G) O selo de Hospital AMIGO DA CRIANÇA, sob ameaça, pelos altos Índices de cesariana e pelas condições precárias e super lotação;

H) Mães que perderam seus filhos instaladas ao lado de mães com seu RN, situação muito dolorosa, e que quebra princípios básicos de humanização;

I) Suspensão de cirurgias por falta de fios cirúrgicos e soro, ameaçando os programas de residência médica. Dos 03 programas que existiam, a anestesia foi finalizada pelo MEC por falta das condições mínimas. Os outros dois (obstetrícia e pediatria) já estão sob observação, para terem o mesmo fim.

A Fundação do Hospital Esaú Matos, há 01 ano, obteve o certificado de filantropia, obtendo isenção de impostos da ordem de mais de R$ 450 mil mês sobre o orçamento atual, que já é de mais de R$ 2,5 milhões a cada mês.

Os comentários estão encerrados.