Professores da Uesb realizam protesto na Assembleia Legislativa no dia 28 de maio

0

Publicado por Resenha Geral | Colocado em Bahia, Educação, Sudoeste, Vit. da Conquista | Data: 23 maio 2014

Tags:, ,

Da Redação

Na data, professores e técnico-administrativos da Uesb suspenderão as atividades.

dia_nacional_mobilizacao.aiAcontece nessa quarta (28), o Dia Nacional de Luta em defesa das Instituições Estaduais de Ensino Superior. A atividade é organizada pelo Andes-Sindicato Nacional pelo financiamento e autonomia universitária nas Universidades Estaduais em todo país. Na data, professores e técnico-administrativos da Uesb suspenderão as atividades e realizarão protesto na Assembleia Legislativa por mais investimentos. A paralisação docente ocorrerá também na Uefs, Uneb e Uesc.

Na Bahia, a reivindicação é por no mínimo 7% da receita líquida de impostos (RLI) para o orçamento das Universidades e revogação da lei 7176/97, que fere a autonomia universitária. Atualmente as Universidades Estaduais da Bahia (Ueba) recebem o orçamento de cerca de 5% da RLI para pagamento de todas suas despesas. Entretanto, desde 2010 o Movimento Docente reivindica o referido aumento no investimento para que as atividades de ensino, pesquisa e extensão sejam realizadas de forma digna.

Devido à falta de recursos, as Ueba têm atravessado por uma grave crise financeira, refletida na falta de professores, infraestrutura inadequada, negação de direitos trabalhistas e precarização das condições de trabalho e estudo. Na Uesb, por exemplo, é necessária a contratação de 218 professores para atender à demanda gerada no ano passado e em 2014. Além desses problemas, neste ano o governo reduziu em quase 12 milhões as verbas de investimento e custeio, o que pode inviabilizar o funcionamento adequado das Universidades ainda em 2014. A mobilização acontece a partir das 9h na Assembleia Legislativa com panfletagem e atividades culturais. O Movimento denunciará o descaso do governo com o ensino superior estadual e cobrará ações efetivas para a superação da crise orçamentária.

 

Os comentários estão encerrados.