Quarta edição do Festival Suíça Bahiana acontece em três lugares distintos

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Cultura | Data: 24 nov 2014

Tags:


Foto_2[1]Falta apenas dois dias para a quarta edição do Festival Suiça Bahiana começar e, diferente dos anos anteriores, o evento irá acontecer em três locais distintos. Os dois primeiro dias são especiais, pois acontecem em ambientes intimistas e contam com ingressos limitados e concorridos. A abertura ocorre na quarta-feira (26), às 20h00, no Café Society. O espaço vai receber o projeto folk Benjamin e o músico Júlio Caldas (foto). Já na quinta-feira (27), também às 20h00, é a vez das bandas Dost e Manzuá tocarem no Viela Sebo-Café.

Com beleza e sensibilidade, o projeto Benjamin é encabeçado pelo músico Diego Oliveira. Morando em São Paulo há alguns meses, o conquistense lançou o seu disco “Last” em formato físico, além de disponibilizá-lo em plataformas digitais como iTunes e Spotify. Diego é um dos exemplos baianos de gente que escolheu se expressar musicalmente através de um gênero não tão popular: o folk. O músico produziu o disco Last sozinho, em seu próprio estúdio, contando com a ajuda da gravadora M4Music para a parte de distribuição e custos de produção. 

Júlio Caldas é outro baiano que foi além do seu território. O cantor, compositor e instrumentista iniciou a vida profissional em 1996, como baixista na banda do cantor Luiz Caldas, com quem esteve até 2002. Durante o período, seguiu em turnê pelos Estados Unidos e Portugal, esteve no Equador e Peru ao lado do grupo Interart e tocou com grandes artistas, como Pepeu Gomes, Frank Solari, Marienne de Castro e Carlinhos Brown.

Com um nome originado de um instrumento artesanal de pesca, usado na captura de pitús, curucas e camarões nos rios da região sul da Bahia, a banda Manzuá, de Ilhéus, está na estrada desde 2009. A banda é reconhecida por produzir uma sonoridade fruto de movimentos de resistência cultural, articulando matrizes africanas em compasso com uma musicalidade “de gosto universal” e atraindo públicos por onde passa. Essa é também uma forte característica da Dost, formada em Vitória da Conquista em 2010. Com muita personalidade, a banda vem lotando as casas de show locais encantando seu público com suas composições próprias, como os hits “Porta Amarela” e “Velocidade Insana”.

Os comentários estão encerrados.