Seca no Rio Pardo: Embasa denuncia irrigações ilegais; Inema inicia fiscalização

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Sudoeste | Data: 16 out 2015

Tags:, , , , ,

por Mateus Novais

Capta_o_de_gua_da_Embasa_1

O problema da baixa vazão no Rio Pardo tem mobilizado órgãos responsáveis pela manutenção dos recursos hídricos no Estado. O BLOG DA RESENHA GERAL entrou em contato com a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) e Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) para saber o que tem motivado a inédita seca em um dos principais rios da região Sudoeste da Bahia.

Segundo a Embasa, a atuação ilegal de irrigação no trecho entre Cândido Sales e Encruzilhada, além da redução da vazão do rio Pardo, tem atrapalhado a captação de água para o pleno atendimento dos sistemas de abastecimento dos municípios de Itambé e Encruzilhada. “Para solucionar o problema, a empresa solicitou à Agência Nacional de Águas (ANA) a abertura das comportas da barragem Machado Mineiro, em Minas Gerais, e acionou o Inema para a fiscalização das irrigações existentes, o que possibilitará a captação do volume de água necessário para normalizar o abastecimento nestas cidades”, informou a Embasa através de nota.

Já o Inema afirmou que seus técnicos iniciaram, desde a última terça (13), ação de fiscalização nos municípios de Encruzilhada, Cândido Sales e Itambé. O Instituto também garantiu que ainda é prematuro afirmar que a baixa vazão do Rio Pardo é de responsabilidade da atividade de irrigação. “Na terça da semana que vem (20/10/2015), teremos o reforço de equipe técnica de Salvador, inclusive com helicóptero para sobrevoo de toda a extensão do Rio Pardo desde sua entrada na Bahia até o município de Itambé. Após esta ação teremos como informar com mais exatidão quais fatores contribuíram para esta diminuição de vazão neste importante Rio”, destacou o Inema.

Devido o problema de baixa vazão no Rio Pardo, moradores dos municípios que dependem do rio estão sofrendo com o desabastecimento. O caso mais grave é o município de Itambé, onde o abastecimento está sendo complementado por meio de carros-pipa.

Os comentários estão encerrados.