Sindimed negocia com prefeituras do Sudoeste piso salarial para médicos

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 05 jun 2015

Tags:, ,

por Mateus Novais
foto: Gil Oliveira

20150605_105316

O corte no repasse do Governo Federal tem deixado os médicos de Vitória da Conquista e região Sudoeste apreensivos. Os trabalhadores da Saúde apontam que as condições de salário e trabalho tendem a piorar nos municípios que compõem a região tendem a piorar devido a medida.

Em entrevista à repórter Mônica Cajaíba, o diretor do Sindicado dos Médicos (SINDIMED) em Conquista, Dr. Luiz Almeida, afirmou que há médicos que não recebem salários há mais de 60 dias. “Nós já temos uma condição salarial precária, onde cada prefeitura pratica uma remuneração diferenciada. E também temos uma precarização de trabalho, uma vez que não temos um contrato formal que explicite os direitos dos médicos. E com a postura do Governo Federal de restringir as verbas, principalmente para a Saúde, se avizinha um problema sério, já que as prefeituras não vinham honrando os compromissos”.

Tentando evitar que esta situação se agrave, o SINDIMED iniciou uma negociação com municípios da região Sudoeste. Os médicos querem definir um contrato padrão para toda a região, com um piso salarial definido. “Estamos trabalhando na direção do que foi conquistado pelos médicos do estado de Piauí, que é o Piso salarial do Fenam [Federação Nacional dos Médicos], que realisou um estudo e definiu o valor da hora trabalhada para o médico. No Piauí conseguiu implantar esse piso, que é de R$ 11 mil por 20 horas trabalhadas. E vamos junto com o Ministério do Trabalho formatar um contrato para uniformizar o trabalho na região sudoeste”.

O médico também fala em sobrecarga para Conquista e pretende ir até o governador porque querem implantar a regionalização da saúde e ninguém está sendo ouvido a exemplo do que aconteceu com as Dires.

Confira a entrevista:

Os comentários estão encerrados.