“Situação é crítica”, dizem reitores das Estaduais, que pedem ao Governo mais recursos

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Educação | Data: 07 nov 2014

Tags:, , ,

por Mateus Novais

30_anos_UESB_Nov_11_78O Fórum de Reitores da Bahia enviou um documento ao governo do Estado solicitando que haja uma suplementação orçamentária para o ano de 2014. No documento enviado na última terça-feira (3), os reitores deixam claro que a situação é “crítica”.

O documento é assinado pelos reitores das quatro universidades estaduais da Bahia, Uesb (foto), Uesc, Uneb e Uefs. Nele, os representantes pedem que o percentual mínimo de 7% da RLI Receita Líquida de Impostos (RLI) seja adotado futuramente para o orçamento anual das instituições de ensino superior da Bahia, o que significaria mais R$ 430 milhões para os orçamentos das Universidades.

Os reitores citam, no documento, a ampliação das atividades administrativas e acadêmicas, como a oferta de cursos de graduação e pós-graduação, desenvolvimento de projetos de pesquisa e atividades de extensão, ampliação das instalações físicas, dentre outras, como fatores que respaldam a necessidade da ampliação dos recursos para educação superior.

Um trecho do documento diz: “Reconhecemos que alcançamos uma situação crítica que ameaça o funcionamento das Universidades Estaduais da Bahia e que, com o orçamento projetado atualmente para 2015, tende a severo aprofundamento.”  

Corte de verbas

Segundo dados do documento, atualmente as quatro instituições de ensino superior (Uesb, Uesc, Uneb e Uefs) utilizam mais de 75% de seu orçamento total para o pagamento de pessoal. O restante fica para manutenção e investimento, incluindo aí contas de água, luz, telefone, materiais de higiene, entre outros.

Em 2014, quase R$ 12 milhões foi retirado das rubricas responsáveis por estes pagamentos e, para o ano que vem, uma nova redução de R$ 7,3 milhões foi anunciada pelo governo, completa a associação. Em agosto deste ano, o governo Estadual anunciou corte de R$ 2 milhões o orçamento para as verbas de manutenção da universidade para 2015.

Os comentários estão encerrados.