Espera pela aposentadoria aumenta benefício do INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 20 ago 2017

Tags:, ,

Cristiane Gercina
do Agora

O segurado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que completou ou está para completar as condições mínimas para se aposentar terá que aguardar para ter o benefício, mas essa espera pode ser vantajosa.

Em média, após agendarem o pedido do benefício, os trabalhadores da cidade de São Paulo aguardam 70 dias para serem atendidos em uma agência do INSS.

Com essa espera, o trabalhador que está próximo de atingir as regras da aposentadoria se dá bem. Enquanto aguarda o atendimento, ele pode conseguir um benefício melhor. Os maiores beneficiados são os trabalhadores que estão para atingir a pontuação mínima da aposentadoria integral, com o 85/95.

Espera por aposentadoria dá atrasados de até R$ 23 mil

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 14 ago 2017

Tags:, ,

Fernanda Brigatti
do Agora

O tempo que um segurado tem de esperar até a aposentadoria dele ser concedida depende de uma série de fatores, como a agência em que o pedido foi feito, a organização de seu cadastro no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e até um pouco de sorte.

Na capital, os segurados estão aguardando, em média, 81 dias pela concessão, e 53 no interior, mas há lugar em que o trabalhador leva quase quatro meses para pôr a mão no benefício.

Apesar da angústia, a espera pelo pagamento gera o direito a atrasados corrigidos pela inflação mês a mês.

Na prática, o segurado recebe, de uma só vez, os valores de todos os meses em que ficou esperando, e mais o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) desse período.

A pedido do Agora, o advogado Luiz Felipe Veríssimo estimou quanto receberão os segurados que só conseguirem o benefício a partir do mês dezembro.

Escape das falhas no pedido e acelere o benefício do INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 12 ago 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

O segurado que faz corretamente o pedido de benefício ao INSS escapa da dor de cabeça que é precisar pedir um recurso ao órgão.

A espera pela concessão ou revisão quando se recorre de um pedido negado no posto é, em média, de 101 dias.

Para acertar na solicitação, porém, o segurado precisa driblar obstáculos que vão desde a complexidade das regras para a concessão de benefícios até informações desencontradas fornecidas por funcionários do instituto.

O principal motivo para que as aposentadorias sejam negadas é a falta de comprovação de tempo de contribuição, segundo o INSS.

Mas, muitas vezes, o segurado só descobre que não cumpriu essa exigência quando recebe a carta negando o pedido.

Confira como facilitar sua aposentadoria por idade

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 10 ago 2017

Tags:, ,

Leda Antunes
do Agora

A aposentadoria por idade é a mais concedida pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Somente em junho, das 130 mil aposentadorias liberadas, 65,9 mil eram por idade.

Os trabalhadores que vão completar 65 anos, no caso dos homens, ou 60 anos, no caso das mulheres, ainda neste ano, já podem começar a se preparar para pedir o benefício.

Uma novidade no INSS promete facilitar a concessão desse tipo de aposentadoria.

O reconhecimento do direito ao benefício será automático e, após ser avisado por carta pelo órgão, o segurado poderá aceitar o início dos pagamentos com um telefonema para a central 135.

O novo procedimento foi estabelecido por portaria publicada no “Diário Oficial da União” no último dia 28.

Mas, para garantir que vai receber a carta do INSS avisando sobre o direito de receber o benefício, o segurado deve estar com seus dados em dia.

O endereço que consta no sistema da Previdência muitas vezes é antigo, de quando o trabalhador fez o cadastro no PIS, por exemplo, e pode ser atualizado.

Saiba quando ir à Justiça para receber o benefício

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 07 ago 2017

Tags:, ,

Fernanda Brigatti
do Agora

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vem jogando cada vez mais duro com os segurados na hora de conceder um benefício.

Em muitos casos, a única saída ou o meio mais rápido de garantir o direito a um benefício é buscar a Justiça. Como o atendimento nos postos não costuma seguir um padrão, o segurado também fica sujeito à sorte.

Esse fator faz diferença para quem tem falhas no cadastro de contribuições e precisa, junto do pedido da aposentadoria, corrigir anotações, valores de salários, datas de entrada e saída de empregos antigos. “As inconsistências de carteira profissional apontadas pelo INSS podem ser contornadas de diferentes formas. Diligências, pesquisas externas, justificação administrativa, ouvida de testemunhas e juntada de outras provas documentais pelo próprio segurado”, explica o advogado Rômulo Saraiva.

Veja quanto a aposentadoria sobe por ano de contribuição

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 06 ago 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

Nas aposentadorias da Previdência Social, cada ano de contribuição a mais pode fazer diferença no bolso.

Agora mostra hoje quanto o segurado consegue ganhar a mais com a inclusão de mais tempo de pagamentos ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Os ganhos podem chegar a R$ 1.587,22 por mês no caso de um segurado de 55 anos que consegue somar 40 anos de pagamentos e sempre contribuiu pelo teto do INSS.

Se ele se aposentar somente com o tempo mínimo exigido para o benefício dos homens, que é de 35 anos de pagamentos, a aposentadoria será de R$ 3.567,84.

Aposentado ganha R$ 11 mil a mais em um ano com 85/95

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 05 ago 2017

Tags:,

Leda Antunes e Fernanda Brigatti
do Agora

O trabalhador que se aposenta pela regra 85/95 recebe, em média, R$ 11,8 mil a mais por ano do que aquele que se aposenta com o desconto do fator previdenciário.

O cálculo foi feito pelo Agora com base em dados da Previdência e considera as 12 parcelas mensais mais o 13º.

Neste ano, quatro em cada dez aposentadorias por tempo de contribuição do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) foram concedidas pela fórmula 85/95, que garante o benefício sem desconto para quem atingir, na soma da idade com o tempo de contribuição, 85 pontos, no caso das mulheres, e 95 pontos, no caso dos homens.

O valor médio da aposentadoria por tempo de contribuição calculada pela fórmula 85/95 entre janeiro e julho foi de R$ 2.916,68, enquanto o valor médio do benefício com desconto do fator previdenciário foi de R$ 2.008,34.

Saiba incluir o auxílio-doença para ter aposentadoria maior

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 03 ago 2017

Tags:, ,

Vanessa Sarzedas
do Agora

O segurado que perdeu o auxílio-doença após perícia do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pode transformar o período em que ficou afastado em tempo de contribuição para conseguir a aposentadoria mais rápido.

Para garantir que o auxílio seja contado no benefício, porém, é preciso fazer, pelo menos, mais uma contribuição à Previdência após o fim do afastamento.

“Se o segurado não está empregado, o pagamento ao INSS pode ser feito como autônomo ou facultativo”, afirma a advogada Adriane Bramante.

Além de permitir que o trabalhador consiga a aposentadoria mais rápido, essa medida pode aumentar o valor do benefício.

Confira qual será o valor da sua aposentadoria em 2018

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 30 jul 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

As aposentadorias da Previdência deverão ter aumento de 4,48% em 2018, de acordo com a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) aprovada pelo Congresso.

Agora calculou como ficam os benefícios com esse reajuste. A crise econômica é a causa da correção minguada dos benefícios, em relação à aplicada em anos anteriores.

Em 2016, os segurados tiveram aumento de 11,28% e, neste ano, de 6,58%.

Isso não significa que as aposentadorias irão valer menos, pois a correção ajusta o benefício conforme a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Mas quem se acostumou a receber reajustes maiores deve tomar cuidado para não contar com algo parecido em 2018.

Confira como calcular o valor da sua aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 26 jul 2017

Tags:, , ,

Leda Antunes
do Agora

Os trabalhadores que estão próximos da aposentadoria podem saber qual será o valor do benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Agora traz hoje o passo a passo para fazer a simulação da renda mensal, no site previdencia.gov.br.

Segundo a Previdência, a simulação não tem valor legal mas, se for feita de forma correta pelo segurado, pode ser útil para contestar o INSS caso o órgão conceda um benefício inferior ao esperado.

Além disso, a estimativa pode ajudar o trabalhador a planejar o melhor momento para pedir a aposentadoria, com o menor desconto possível.

Antes de fazer a simulação do valor da aposentadoria, será preciso calcular o tempo total de contribuição ao INSS, também no site da Previdência.

Lá, o segurado deverá informar a data de entrada e de saída de cada emprego.

 

Veja as principais revisões por tipo de aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 24 jul 2017

Tags:, ,

Fernanda Brigatti
do Agora

O aposentado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tem o direito de revisar o valor do benefício sempre que identificar qualquer erro no cálculo. A revisão mais comum que pode melhorar a grana que os segurados recebem mês a mês é aquela que altera o valor das remunerações usadas pelo INSS no cálculo da aposentadoria.

O primeiro passo de quem desconfia de algum erro no cálculo é buscar a memória de cálculo e a carta de concessão da aposentadoria. Quem já tem o cadastro no Meu INSS (meu.inss.gov.br) consegue acessar esse documento pela internet. Além disso, no site, também é possível buscar o Hiscre (Histórico de Crédito de Benefício). Com eles, é possível ver a listagem de salários usados no cálculo e se houve algum erro. O aposentado que não tiver o cadastro e não quiser fazê-lo pode solicitar os documentos em uma agência da Previdência Social.

Esses valores devem ser comparados com holerites, contratos de trabalho e com a carteira de trabalho do segurado. Qualquer diferença dá direito à revisão.

 

Segurado ganha tempo para recuperar atrasados do INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 18 jul 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

Quem ganhou uma ação contra o INSS ou outros órgãos federais e teve os atrasados liberados pela Justiça há mais de dois anos terá mais tempo para ir buscar a grana antes que os valores sejam confiscados pelo governo federal.

O CJF (Conselho da Justiça Federal) decidiu, na última sexta-feira, que não irá tomar nenhum precatório ou RPV (Requisição de Pequeno Valor) até meados de agosto, quando técnicos dos tribunais federais do país farão uma reunião para discutir como será executada a lei que autorizou o confisco.

Entre os detalhes a serem analisados está a necessidade ou não de avisar credores e herdeiros sobre a perda do precatório ou da RPV.

Uma das hipóteses avaliadas é a de não avisá-los, pois isso já teria sido feito na ocasião da liberação do atrasado.

Veja o passo a passo para conseguir a revisão no INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 17 jul 2017

Tags:,

Fernanda Brigatti
do Agora

O segurado que recebe aposentadoria, pensão ou auxílio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tem o direito de corrigir o benefício sempre que identificar qualquer erro ou informação suspeita no cálculo.

A revisão no posto do INSS exige paciência extra do segurado, pois há grandes chances de o atendimento demorar meses.

Um pedido desse tipo para um benefício concedido na APS (Agência da Previdência Social) do Butantã (zona oeste da capital) ficaria para dezembro, segundo consulta realizada pela reportagem na quinta-feira, dia 14.

Muitas vezes, esse agendamento acaba demorando ainda mais do que outros serviços porque só pode ser feito na agência que concedeu o benefício. Enquanto espera pelo atendimento na agência do INSS, o segurado deve se preparar para comprovar o direito à revisão.

Saiba aumentar o tempo de contribuição e se aposentar

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 16 jul 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

A regra de ouro para os segurados que pretendem se aposentar antes ou garantir um benefício melhor no INSS é comprovar o maior número de contribuições possível.

A maneira mais eficaz e que traz menos dor de cabeça na aposentadoria é ter todos os recolhimentos registrados no Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais). No entanto, nem sempre o cadastro está completo.

Resposta

Ao Agora, o instituto informou que o segurado que desejar fazer a correção do seu cadastro pode comparecer a uma das agências, sem agendamento prévio. Para isso, basta levar a documentação comprovando os períodos de trabalho remunerado.

A ordem, porém, não parece ter chegado aos locais de atendimento. Em Santo Amaro (zona sul), após informar que o acerto de vínculos não era possível, a servidora do órgão ensinou o que fazer. “Não podemos mais fazer [o acerto], só na aposentadoria. Mas você agenda outro serviço e, na hora do atendimento, pede para fazer essa correção.”

Segurado espera cinco meses para pedir aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 14 jul 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani e Fernanda Brigatti
do Agora

A espera para ser atendido em uma agência do INSS na capital paulista é de até cinco meses e 16 dias, considerando um pedido de aposentadoria por tempo de contribuição realizado pelo site meu.inss.gov.br, segundo consulta do Agora.

O levantamento foi feito na última terça.

A espera ocorre nas zonas oeste e central.

O segurado que optar por pedir o benefício em outra unidade do INSS consegue agenda um pouco antes, em setembro, o que o fará aguardar ao menos dois meses.

Veja quanto pode ser a aposentadoria em 2018

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 12 jul 2017

Tags:, , ,

Fernanda Brigatti
do Agora

As aposentadorias e pensões do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) no valor do salário mínimo devem ser reajustadas em apenas R$ 42 no ano que vem, por conta da inflação baixa e do encolhimento da economia do país, segundo o projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), em discussão na Comissão Mista de Orçamento, que pode ser votado hoje.

De R$ 937, neste ano, o piso dos pagamentos deve subir para R$ 979, um aumento de 4,48%.

Com o mesmo índice de reajuste, o teto de benefícios do INSS, que é o valor máximo pago pela Previdência, passaria dos atuais R$ 5.531,31 para R$ 5.779,11 em 2018.

O aumento anual do salário mínimo e dos benefícios do INSS nesse valor é diferente e tem como base a inflação do ano anterior mais o PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes.

Portanto, para o aumento em 2018, serão considerados o crescimento do país em 2016 e a inflação deste ano.

Saiba quem garante uma aposentadoria maior no INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 09 jul 2017

Tags:, ,

Leda Antunes
do Agora

Ao se aposentar, muitas vezes o trabalhador precisa adaptar a vida a uma renda bem inferior a que costumava receber quando estava na ativa.

Isso ocorre porque, na maioria dos casos, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) aplica algum tipo de redutor na hora de calcular o benefício que será concedido.

Mas, alguns segurados conseguem garantir uma aposentadoria sem desconto ou até mesmo maior do que a média dos salários.

O Agora mostra hoje quem pode se dar bem com as regras atuais das aposentadorias e ganhar mais.

A regra 85/95 garante o benefício sem desconto para o homem que completar, na soma da idade com o tempo de contribuição, 95 pontos, e para a mulher que, nessa soma, atingir 85 pontos.

Isso significa que o INSS irá calcular a média dos 80% maiores salários recebidos desde 1994 e esse será o valor da aposentadoria, sem redução.

Confira o valor do 13º de quem se aposentou em 2017

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 07 jul 2017

Tags:, ,

Fernanda Brigatti
do Agora

O segurado que teve um benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) concedido a partir do mês de fevereiro deste ano receberá o 13º calculado de maneira proporcional.

Se a aposentadoria ou pensão saiu no mês de janeiro, a gratificação de Natal será igual à dos segurados que já recebiam o benefício na virada do ano.

O cálculo usado pelo INSS é proporcional ao número de meses em que o segurado terá recebido o benefício em 2017.

Por exemplo, quem teve a primeira aposentadoria depositada em março terá recebido, ao fim deste ano, dez parcelas.

Assim, o abono natalino desse segurado será proporcional a dez meses.

Inclua serviço antes de 1976 e aumente a sua aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 05 jul 2017

Tags:, ,

Leda Antunes e Cristiane Gercina
do Agora

O segurado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que começou a trabalhar cedo pode ter dor de cabeça ao tentar se aposentar.

Isso porque os períodos trabalhados antes de 1976 não constam no cadastro de contribuições do INSS, o Cnis.

Até essa época, o governo não tinha um arquivo unificado das informações dos trabalhadores e, por isso, muitos dados se perderam.

Porém, esses períodos de contribuição antigos podem ser comprovados pelo segurado e devem ser reconhecidos pelo órgão na hora da aposentadoria.

Eles não entram na conta do benefício, mas elevam o tempo total de contribuição, o que faz o segurado conseguir se aposentar antes e ajuda a aumentar o valor da renda mensal.

Para as contribuições que não estão no Cnis, o INSS deve aceitar a comprovação pela carteira de trabalho, explica a advogada Adriane Bramante.

Porém, é preciso que a carteira esteja bem cuidada e sem rasuras.

Segurado deve levar todos os documentos ao se aposentar

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 03 jul 2017

Tags:, ,

Fernanda Brigatti
do Agora

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) alterou recentemente a contagem de atrasados para as revisões feitas administrativamente e por iniciativa do órgão.

Os segurados devem ficar atentos às mudanças para não perderem dinheiro.

O período de atrasados das revisões realizadas por determinação de um funcionário da Previdência Social passará a ser calculado somente a partir do momento em que a correção for iniciada, exatamente como define a regra aplicada administrativamente quando quem pede a revisão é o segurado.