Aumente suas chances de conseguir a aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 17 out 2017

Tags:,

Clayton Castelani
do Agora

As concessões de aposentadorias por tempo de contribuição do INSS tiveram crescimento de 16,3% de janeiro a agosto deste ano, atingindo 327,2 mil benefícios liberados.

São 45,9 mil benefícios a mais do que os 281,3 mil concedidos no mesmo período de 2016.

O aumento nas concessões está abaixo, no entanto, do crescimento de 39,3% no número de pedidos desse mesmo benefício, que avançou de 750,8 mil, de janeiro a agosto de 2016, para 1,046 milhão, no mesmo período deste ano.

A comparação dos números de requerimentos e concessões de benefícios revelam que, neste ano, para cada três segurados que se aposentaram, outros sete tiveram o benefício negado ou estão com o pedido em análise, o que pode acontecer quando o órgão solicita documentos que comprovem as contribuições.

Saiba se vale a pena pedir a aposentadoria neste ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 14 out 2017

Tags:,

Fernanda Brigatti
do Agora

O segurado que está completando as condições para a aposentadoria começa a se perguntar se o melhor é garantir o benefício logo ou se há vantagem em passar mais um tempo abastecendo o cadastro no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Segundo as regras atuais da Previdência Social, há quem se dá bem pedindo o benefício ainda neste ano, como os segurados que sempre receberam o salário mínimo ou que começaram a contribuir mais tarde ao INSS.

Os trabalhadores que contribuem com valores baixos levam vantagem se agendarem a aposentadoria logo, especialmente porque, mesmo se adiarem o pedido, dificilmente ganharão mais e a tendência é que recebam o salário mínimo, que neste ano é de R$ 937.

Saiba se vale a pena pedir a aposentadoria neste ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 13 out 2017

Tags:,

Fernanda Brigatti
do Agora

O segurado que está completando as condições para a aposentadoria começa a se perguntar se o melhor é garantir o benefício logo ou se há vantagem em passar mais um tempo abastecendo o cadastro no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Segundo as regras atuais da Previdência Social, há quem se dá bem pedindo o benefício ainda neste ano, como os segurados que sempre receberam o salário mínimo ou que começaram a contribuir mais tarde ao INSS.

Os trabalhadores que contribuem com valores baixos levam vantagem se agendarem a aposentadoria logo, especialmente porque, mesmo se adiarem o pedido, dificilmente ganharão mais e a tendência é que recebam o salário mínimo, que neste ano é de R$ 937.

Confira como acelerar sua aposentadoria na internet

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 09 out 2017

Tags:, ,

Leda Antunes
do Agora

Com dificuldade para dar conta de atender o público nas agências, o INSS oferece cada vez mais serviços pela internet. Mas isso pode ser uma barreira para quem tem pouca familiaridade com os computadores.

Agora mostra hoje como usar as ferramentas on-line, que podem ajudar, e muito, o segurado do instituto e até mesmo acelerar a concessão da aposentadoria.

Uma das novidades do portal meu.inss.gov.br é a possibilidade de antecipar o envio dos documentos no pedido de aposentadoria. Ao agendar o atendimento em uma agência da Previdência pela internet, o segurado pode enviar a cópia digitalizada da papelada para o benefício.

A modernização pode acelerar a liberação de benefícios, pois facilita a análise da documentação que comprova o direito do segurado. A única recomendação é que o trabalhador não esqueça de levar os documentos originais no dia do atendimento.

Veja todos os caminhos para aumentar a aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 08 out 2017

Tags:,

Clayton Castelani
do Agora

Aumentar o valor da aposentadoria é viável tanto para quem ainda está na ativa quanto para os já aposentados. A diferença, nesses dois casos, é o caminho para atingir esse objetivo.

É mais fácil garantir um benefício maior se alguns cuidados básicos forem tomados antes da aposentadoria, orienta a advogada Patrícia Evangelista. “A primeira coisa é levantar as contribuições realizadas durante durante a vida profissional, comparando carteira de trabalho e holerites e os dados do Cnis (cadastro de contribuições)”, afirma.

O levantamento ajudará o segurado a descobrir, por exemplo, se as empresas repassaram corretamente ao INSS as contribuições descontadas do trabalhador. “Eu arrisco dizer que essa é a principal causa de aposentadorias concedidas com valor abaixo do que é devido ao segurado”, diz Patrícia.

2 em cada 10 aposentadorias conseguem tempo especial

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 07 out 2017

Tags:,

Leda Antunes

Apenas duas em cada dez aposentadorias por tempo de contribuição concedidas pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) de janeiro a setembro deste ano tiveram o reconhecimento do tempo especial, segundo informações obtidas pelo Agora via Lei de Acesso à Informação.

De acordo com os dados, no período, o instituto concedeu 63.411 aposentadorias com conversão de tempo especial, o que representa 19% do total de benefícios por tempo de contribuição autorizados pelo órgão previdenciário.

O período em que o segurado do INSS trabalha em atividade prejudicial à saúde é contabilizado de forma diferente na hora da aposentadoria.

Em geral, os homens ganham um bônus de 40% sobre cada ano trabalhado nessas condições, enquanto as mulheres recebem um adicional de 20%.

Pode ter direito à contagem mais vantajosa do tempo de serviço um operário que trabalhou alguns anos exposto a ruídos em uma montadora de veículos, por exemplo, ou uma enfermeira que atuava exposta a agentes biológicos em um pronto-socorro.

Veja quem consegue pedir a revisão da vida inteira

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 05 out 2017

Tags:, ,

Larissa Quintino
do Agora

Segurados que se aposentaram depois de 1999 e que têm contribuições antes do Plano Real podem tentar aumentar o valor de seu benefício na Justiça.

A chamada revisão da vida inteira visa incluir todas as contribuições feitas pelo trabalhador no cálculo da aposentadoria.

No entanto, essa ação ainda divide o Judiciário e não há garantia de ganho de causa.

A revisão é possível porque, em novembro de 1999, após uma mudança na lei, o INSS passou a calcular a aposentadoria levando em conta somente as 80% maiores contribuições após julho de 1994.

Segurados que tiveram salários menores depois desse período ou ficaram muito tempo sem contribuir podem ter vantagem com a ação.

O presidente do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários), Roberto de Carvalho Santos, afirma que o assunto tem entendimentos diferentes na Justiça e há poucas causas ganhas, como uma no Rio de Janeiro e outra no Rio Grande do Sul.

Tribunal garante nova troca de aposentadoria do INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 04 out 2017

Tags:, , ,

Larissa Quintino
do Agora

Quase um ano após o STF (Supremo Tribunal Federal) ter acabado com a desaposentação, a Justiça vem dando decisões favoráveis a uma ação que possibilita a concessão de um novo benefício para o aposentado que continua trabalhando.

Na segunda-feira, o TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) negou recurso do INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) e manteve a decisão de trocar uma aposentadoria por tempo de contribuição pelo benefício por idade para uma segurada da capital paulista.

Como o tema já tinha sido julgado em primeira e em segunda instâncias –o INSS tentava apenas um último recurso na Justiça–, caso o instituto recorra novamente, o assunto será levado aos tribunais superiores.

Saiba desistir do benefício se a aposentadoria for baixa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 25 set 2017

Tags:,

Larissa Quintino
do Agora

O segurado que se aposentou, mas não sacou o benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), pode desistir da aposentadoria se considerar o valor muito baixo.

Para isso, é necessário não ter sacado o benefício do INSS, a cota do PIS e o saldo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Para cancelar o benefício indesejado, o segurado não precisa marcar horário.

Mas é preciso ter em mãos uma série de documentos, além de uma carta renunciando à aposentadoria.

É o que terá que fazer uma segurada de 52 anos de São Paulo, que foi à agência da Previdência para fazer uma contagem de tempo e, meses depois, foi surpreendida com uma carta de concessão de sua aposentadoria em casa.

Garanta o saque dos extras liberados na aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 24 set 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

Além da aposentadoria e dos valores atrasados que são pagos quando o benefício demora para ser liberado, o aposentado tem direito de sacar algumas verbas extras.

Agora mostra hoje os principais direitos tanto de quem quer receber o benefício e continuar no batente quanto daqueles que pensam em pendurar as chuteiras para curtir o descanso.

O resgate do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) é, normalmente, o que garante a maior bolada a quem se aposenta.

Afinal, após muitos anos com depósitos de 8% mensais sobre o seu salário para o fundo, o aposentado pode ter acumulado razoável poupança.

Aposentadoria pode chegar ao teto com ação trabalhista

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 17 set 2017

Tags:, ,

Larissa Quintino
do Agora

Os aposentados que entraram na Justiça para cobrar vínculo de trabalho ou salários que não foram pagos podem aproveitar a sentença favorável para elevar a aposentadoria do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

O benefício pode chegar a R$ 5.531,31, que é o teto do INSS neste ano.

Foi o que aconteceu com um segurado de São Paulo. Aposentado desde 2012, ele incluiu em seu benefício verbas salariais de quatro anos, por irregularidades em sua demissão.

Ele foi dispensado em 2005, após voltar do auxílio-doença.

A Justiça trabalhista entendeu que a dispensa foi discriminatória e determinou o pagamento de todas as verbas salariais entre 2005 e 2009.

Ele pediu a revisão para incluir os valores e, com isso, a aposentadoria subiu de R$ 3.023,54 para o teto, aumento de 82%.

Veja como fazer pedidos para aumentar o benefício

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 16 set 2017

Tags:,

Larissa Quintino
do Agora

O aposentado que não teve algum período contabilizado no seu benefício tem como correr atrás para reconhecer esse tempo e engordar sua aposentadoria.

Isso, no entanto, só é possível se a aposentadoria foi concedida há menos de dez anos.

Para saber se falta algum período, é preciso comparar a carta de concessão, enviada para o segurado quando o benefício é concedido, o Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais) e a carteira de trabalho.

O Cnis está disponível na internet mediante um cadastro e a confirmação da senha pela Central 135.

Caso os períodos realmente não estejam contabilizados, o segurado precisa entrar com um pedido para o INSS revisar o benefício.

Agora mostra quais são os documentos, os caminhos para consegui-los e um modelo para o segurado fazer o pedido de correção na agência da Previdência.

Funcionário poderá pedir a aposentadoria na empresa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 15 set 2017

Tags:, , ,

Larissa Quintino
do Agora

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) está estudando fechar convênios com empresas, como bancos, para que os trabalhadores consigam dar entrada na sua aposentadoria diretamente no RH da firma.

O objetivo da medida é acelerar a concessão do benefício.

Segundo o INSS, com o novo projeto, toda a documentação será enviada do RH do empregador para a Previdência, de maneira digital.

A partir daí, o processo poderá ser distribuído para análise nas agências mais vazias, em todo o país.

A ideia é desburocratizar o processo para que a concessão dos benefícios saia mais rapidamente.

Hoje, já há empresas com convênios com a Previdência para pedidos de benefícios de seus funcionários.

A diferença é que a documentação em papel é encaminhada para ser analisada por um funcionário do posto.

Garanta a aposentadoria do INSS mesmo sem emprego

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 12 set 2017

Tags:, ,

Leda Antunes
do Agora

Em tempos de orçamento apertado, ninguém quer ou nem mesmo consegue pagar nada além do básico.

No caso das contribuições ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) não é diferente.

Porém, quem está na informalidade pode criar estratégias para manter o direito aos benefícios da Previdência, caso fique doente, e também somar contribuições, ainda que esporádicas, para poder se aposentar no futuro.

Se não trabalha com a carteira assinada, o segurado pode fazer recolhimentos à Previdência como contribuinte individual ou facultativo.

A escolha será determinada pela sua renda.

Se não tiver nenhum tipo de rendimento, mas ainda assim quiser garantir o direito ao auxílio-doença e à aposentadoria, o segurado deve contribuir como facultativo.

Esse é o caso de donas de casa, de estudantes que ainda não fazem estágio ou recebem bolsa e também de quem está desempregado e não está fazendo bicos.

Evite os principais erros que barram a sua aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia | Data: 10 set 2017

Tags:, ,


Cristiane Gercina
do Agora

A corrida para ter a aposentadoria antes de qualquer mudança nas regras do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pode fazer com que os segurados tenham o pedido de benefício negado.

Segundo o INSS, de 47.265 pedidos de aposentadoria por tempo de contribuição analisados, 64% foram negados em postos da capital, da Grande SP e de Campinas (93 km de SP). Os dados referem-se a pedidos agendados a partir de abril, que integram força-tarefa do órgão.

Os principais motivos de negativa são básicos: ou falta tempo de contribuição ou há alguma falha no Cnis que impede a conclusão e a concessão do benefício.

Veja o valor do benefício de quem vai se aposentar já

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 09 set 2017

Tags:, ,

Leda Antunes e Larissa Quintino
do Agora

A expectativa de uma reforma da Previdência fez muita gente correr para as agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para pedir a aposentadoria. Mas há outro motivo para ter pressa. Todos os anos, no dia 1º de dezembro, a tabela do fator previdenciário é atualizada e o desconto aplicado nas aposentadorias costuma aumentar.

Quem completar as condições necessárias para se aposentar por tempo de contribuição e agendar o pedido até o dia 30 de novembro escapa da nova tabela e garante um desconto menor.

Antes de agendar o atendimento no INSS, o segurado deve avaliar se este é o melhor momento para se aposentar. Um pedido precipitado pode causar prejuízo.

Aposentado por invalidez pode ganhar bônus do INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 08 set 2017

Tags:, ,

Larissa Quintino
do Agora

O aposentado por invalidez que tiver o benefício cortado pelo pente-fino pode ter direito de receber um bônus do INSS por até um ano e meio.

A chamada parcela de recuperação, prevista em lei, é paga conforme o tempo em que o segurado ficou afastado e o vínculo de emprego antes da incapacidade.

No caso dos aposentados que receberam o benefício por cinco anos ou mais, o bônus da recuperação é pago por 18 meses. Para verificar por quanto tempo recebeu o benefício por incapacidade, o INSS conta desde a concessão do auxílio-doença que gerou a aposentadoria.

O bônus diminui a cada seis meses, até o corte definitivo. No primeiro semestre, o segurado receberá o mesmo valor pago na aposentadoria. Nos seis meses seguintes, o bônus será de 50% e no último semestre, de 25%.

Leia mais:

Bancos terão de aceitar mais boletos vencidos

Aposentado por invalidez pode ganhar bônus do INSS

Saiba conferir se o valor da aposentadoria está correto

Veja como conferir se o valor da sua aposentadoria do INSS está certo

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 07 set 2017

Tags:,

Leda Antunes
do Agora

Além de ter que aguardar mais de 90 dias para se aposentar no Estado de São Paulo, o trabalhador pode levar um susto quando finalmente receber o benefício, mas o valor for muito menor do que esperava.

Agora mostra hoje como conferir se o cálculo feito pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) está correto e o que fazer se encontrar algum erro.

Todos esses detalhes aparecem na carta de concessão da aposentadoria, que traz a memória do cálculo.

O documento é enviado por carta pelo INSS ou então pode ser obtido pela internet, no site Meu INSS (meu.inss.gov.br)

Para definir o valor da aposentadoria, a Previdência considera apenas as contribuições feitas durante o plano Real, após julho de 1994.

Veja os afastamentos que aumentam a aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 06 set 2017

Tags:, ,

Cristiane Gercina
do Agora

Os segurados que tiveram afastamentos no trabalho conseguem incluí-los na aposentadoria.

Com isso, é possível aumentar o tempo total de pagamentos ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para conseguir antes o benefício ou elevar o valor da contribuição e garantir uma aposentadoria maior.

Agora mostra hoje quais são os afastamentos que contam na hora de se aposentar.

Auxílio-doença, auxílio-acidente e outros benefícios são considerados pelo instituto para calcular e conceder o benefício, mas há regras.

Um dos principais casos é o do auxílio-doença.

O segurado pode passar muitos anos recebendo o benefício, mas precisa, após ter alta, fazer pelo menos um pagamento ao INSS para conseguir contar todo esse período como tempo de contribuição.

7 em cada 10 esperam mais de 90 dias para se aposentar

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 05 set 2017

Tags:, ,

Cristiane Gercina
do Agora

Os segurados que pedem a aposentadoria no Estado de São Paulo estão enfrentando uma longa espera.

Além da fila para agendar o pedido do benefício, há ainda uma grande quantidade de aposentadorias paradas.

Hoje, segundo o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), há 70.765 pedidos pendentes no Estado.

Desse total, 49.434 segurados esperam há mais de 90 dias por uma resposta e 55.672 deram entrada na solicitação há 76 dias ou mais.

Driblar a fila de espera não é fácil, mas é possível, segundo as advogadas Adriane Bramante e Vanessa Vidutto.