Gasolina deve subir 9,1% em 2015 e energia, 41%, estima Banco Central

0

Publicado por Roberto Silva | Colocado em Brasil, Economia | Data: 14 jun 2015

Tags:, ,

Agência Estado

142255168754ca6a88b7f453.38937442A gasolina e a energia elétrica, principalmente, devem ter altas expressivas este ano, segundo estimativa do Banco Central. Em ata da reunião que elevou a taxa Selic para 13,75%, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC estimou em 41% o aumento da energia elétrica este ano – acima da estimativa de alta 38,3% feita em abril. Para a gasolina, a previsão de alta neste ano ficou um pouco menor: passou de 9,8% em abril para 9,1% na última reunião.

No começo deste ano, o governo anunciou aumento da tributação sobre a gasolina, por meio da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), do PIS e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Essa alta foi repassada para os preços.

…Leia na íntegra

Conta de luz começa o ano 8,3% mais cara

0

Publicado por Roberto Silva | Colocado em Bahia | Data: 27 dez 2014

Tags:,

A Tarde

650x375_coelba-energia-tarifa_1478356O consumidor brasileiro já vai começar 2015 pagando uma conta de luz mais cara. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou, nesta sábado, 27, que as chamadas bandeiras tarifárias para janeiro serão classificadas como vermelhas em todas as regiões do País, indicando que o custo da energia está em seu nível mais alto.

Assim, cada conta de luz terá um adicional de R$ 3 por cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. As empresas distribuidoras devem arrecadar até R$ 800 milhões a mais já no próximo mês. Uma conta de R$ 65,20 subiria para R$ 67,65 em caso de adoção da bandeira amarela e para R$ 70,09 no caso da bandeira vermelha.

Isso porque o consumo médio do brasileiro é de 163 kWh por residência, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), e a tarifa média do consumidor residencial, de acordo com a Aneel, é de R$ 400 por megawatt-hora (Mwh). Os valores parecem pouco significativos individualmente.

…Leia na íntegra