PT se ‘autoassassinou’ e governo está em fase terminal, diz ex-ministro de Lula

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Política | Data: 23 jan 2016

Tags:, , ,

Adriano Brito – @adrianobrito
Da BBC Brasil em São Paulo

  • Reprodução de vídeo/UOL

Há pouco mais de dez anos, o senador Cristovam Buarque deixou o PT após uma série de desgastes que levaram à sua demissão, por telefone, do cargo de ministro da Educação e no embalo da eclosão do escândalo do mensalão – ele foi um dos integrantes que não concordaram com a resposta dada pelo partido e pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva às irregularidades reveladas à época.

Hoje, ensaia um novo desembarque, desta vez do PDT, que, nas palavras de Cristovam, “não existe” como partido, pois virou um “puxadinho do PT” controlado pelo ex-ministro Carlos Lupi que já colocou como candidato à próxima corrida presidencial um nome escolhido por Lula – Ciro Gomes – para “preencher o vazio” caso o petismo não se recupere a tempo de 2018.

Segundo o senador, “o PT se autoassassinou” ao desconsiderar a meritocracia na nomeação de cargos e não pensar um projeto de longo prazo para o país.

Diz ainda que o “fracasso” da gestão Dilma Rousseff se deve principalmente a erros cometidos pela presidente em seu governo, que está em “fase terminal”. …Leia na íntegra

Estado Islâmico assume autoria de ataques em Paris

0

Publicado por Editor | Colocado em Mundo | Data: 14 nov 2015

Tags:, , ,

BBC Brasil.com

Paris Terror

O grupo autodenominado ‘Estado Islâmico’ reivindicou a autoria dos atentados em Paris que deixaram ao menos 128 mortos e outros 180 feridos, e disse que eles foram uma resposta aos ataques franceses em seu território.

Em comunicado, o ‘Estado Islâmico’ disse que seus combatentes “estudaram cuidadosamente” os locais onde foram realizados os ataques, segundo a Reuters. Relatos apontaram que oito homens-bomba e atiradores realizaram as ações. Todos morreram. Não se sabe se outros cúmplices estão foragidos.

Foi o pior ataque na Europa desde os atentados em Madri, em 2004, e o mais violento na França desde a Segunda Guerra Mundial.

Mais cedo, o presidente francês, François Hollande, havia responsabilizado o ‘Estado Islâmico’ pelos ataques, e os chamou de “ato de guerra”. Ele prometeu uma guerra “impiedosa” contra terroristas.

Hollande disse que as ações foram planejadas e organizadas no exterior, com participação de células na França. O presidente elevou o nível de ameaça à segurança ao patamar mais alto, decretou estado de emergência e reforçou o controle de fronteiras do país. …Leia na íntegra