Mato toma conta de calçada no bairro Candeias

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 29 fev 2016

Tags:, ,

Banner Expoconquista

por Mateus Novais
foto: arquivo BRG

IMG_0915

Moradores do bairro Candeias, em Vitória da Conquista, estão inconformados com o mato alto, visível em calçadas da localidade. Como exemplo, um morador que pediu para não ser identificado, aponta que na Rua Alziro Prates o mato toma conta da calçada.

“As pessoas têm que desviar para a rua para continuar sua caminhada. A vigilância poderia vasculhar possíveis focos de Aedes, fora a possibilidade de abrigar animais peçonhentos”, declarou o morador.

Em quase toda a cidade de Vitória da Conquista é fácil observar que o mato toma conta dos canteiros de ruas e avenidas. “Pedimos providência por parte da Prefeitura”, completa o morador.

Calçada particular: morador põe grades e privatiza passeio em Vitória da Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 07 out 2015

Tags:, ,

Blog Transitar

Blog-Transitar-1

No cruzamento da Avenida Frei Benjamim com a Rua Diamantina, bairro Alegria, o morador se sentiu no direito de ‘privatizar’ a calçada. Ele instalou um gradil que utiliza como garagem para seu veículo. As grades tomam quase que por completo o espaço, deixando uma pequena faixa, por onde mal passa uma pessoa por vez.

Uma das omissões históricas dos governos de Vitória da Conquista é a de não fiscalizar a ocupação indevida de calçadas pelas construções particulares (sua cidade também é assim?), que avançam para o terreno público como se isso fosse algo normal, permitido, prejudicado a coletividade e, em especial, o trânsito dos pedestres, que, além de travessias perigosas e calçadas esburacadas e sem planejamento, ainda convivem com esses tipos de desrespeito (será que autorizaram isso?). A reportagem não conseguiu contato com o morador.

Entulho, lixo e veículos deixam calçadas do Candeias intransitáveis

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 31 mar 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto: leitor WhatsApp

IMG_1016

Moradores do bairro Candeias, em Vitória da Conquista, enviaram fotos que demonstram a má utilização das calçadas dos bairros pelos próprios moradores. O entulho das construções, lixo e veículos impedem o fluxo de pedestres. O local está intransitável.

IMG_1017“Em um percurso de 530 metros você precisa vencer todos esses obstáculos [lixo, entulho, desnível, carros] para levar os filhos para escola. Isso ocorre todos os dias nas ruas Braulino Santos, João Abuchidid e Péricles Gusmão. O pedestre é obrigado a andar pelas ruas.”, afirmou o professor Givaldo Sousa.

Vale ressaltar que a responsabilidade pela construção, conservação, reforma e manutenção das calçadas se atribui proprietário do imóvel ou usuário temporário (o locatário, por exemplo), seja o imóvel comercial ou residencial. Além disso, estacionar na calçada ou sobre canteiros centrais, gramados ou jardins públicos pode render multa de R$ 127,69 e remoção do veículo.

Com a palavra: O Leitor

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 30 jan 2015

Tags:, ,

por Jarlan David Ribeiro

Matagal toma conta de calçadas no Candeias

image2

Faz aproximadamente 01 (um) ano que oficiei na Ouvidoria Geral do Município sobre a situação das calçadas, que na realidade não existem, na Rua Rio de Contas, que dá acesso aos Condomínios VOG CAJAIBA, VOG ITAMARATI e PARQUE DAS ÁGUAS. No local, conforme pode ser observado pela foto, somente existe um matagal, em ambos os sentidos. (Tenho a cópia do ofício que encaminhei, com o devido protocolo de entrega).

No mesmo ofício, alertei que no local transitam muitas crianças, idosos e moradores dos condomínios acima citados. Como não existem calçadas, o risco de atropelo, principalmente ao cair da noite, aumenta muito. Também questiono o porquê da existência da Ouvidoria e toda a sua estrutura, uma vez que minha solicitação ao menos foi respondida.

Também questiono a forma como a Administração Municipal tem cobrado dos comerciantes da Avenida Olívia Flores, inclusive com aplicação de multas, baseando-se no Código de Posturas do Município, o desbloqueio das calçadas. Ora, a regra, se existe, deve valer para todos. E muito me admira que o próprio município, tendo um órgão pertencente à sua estrutura, o CEMAE, com a calçada obstruída, não dá o devido exemplo.

Como já tentei o contato através dos órgãos municipais competentes, aguardei um prazo razoável de resposta e não a obtive, gostaria do apoio deste Blog para divulgar tal mazela que muito nos deixa decepcionados, uma vez que serviços públicos básicos não estão sendo atendidos.

Prefeitura interdita restaurantes, pizzarias e bares no BNH

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 29 abr 2014

Tags:, , , ,

por Mateus Novais
Foto: Rafael Gusmão

 

Boca BB

Quatro estabelecimentos da região do BNH,  foram interditados no início da noite desta terça-feira (29) por ocupação indevida dos passeios públicos.  Costinhas Bar, Boca de Forno, Pizza Cone e Burger House foram interditados. A ação é em decorrência do não cumprimento de um Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) assinados entre a Prefeitura e comerciantes, intermediado pelo Ministério Público no mês de fevereiro.

A Secretaria Municipal de Serviços Públicos, através da Gerência de Posturas, informou que a intenção é retirar das calçadas e passeios públicos mesas, cadeiras, coberturas e similares que dificultam o livre trânsito de pessoas nas vias públicas.

O prazo para o cumprimento do TAC era de 30 dias após a assinatura, sob a prerrogativa de interdição dos estabelecimentos infratores.

Caminhão descarrega terra em calçada e impede passagem de pedestres na Av. Siqueira Campos

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 18 jun 2013

Tags:, , ,

da Redação

20130618_080947Na manhã de hoje (terça-feira) a reportagem do Blog da Resenha Geral flagrou, na Avenida Siqueira Campos, um caminhão descarregando terra em uma das calçadas.

Com isso, os pedestres foram impedidos de transitar pela referida via, sendo obrigados a passar entre os carros na Avenida.

Quando o sinal era liberado, algumas pessoas precisavam correr em função dos carros em movimento.