Cartel pode estar comandando vistorias em Vitória da Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Vit. da Conquista | Data: 01 fev 2016

Tags:, , , ,

da Redação

Vistoria BBCom a revogação da Portaria do Detran,  que permitia de maneira ilegal a vistoria veicular anual de todo e qualquer tipo de veículo, como automóveis, caminhões, ônibus, utilitários e similares, as empresas credenciadas para as vistorias de transferências, aquelas que são legalmente autorizadas, podem estar formando cartel em Vitória da Conquista.

A vistoria antiga que era amparada por Portaria do Detran  foi revogada pelo Governo da Bahia após denúncias da bancada de oposição por iniciativa do mandato do deputado estadual Herzem Gusmão (PMDB). A queda de receita das empresas autorizadas pode ser o motivo da elevação dos valores que estão sendo praticados, bem como a unificação dos valores,  o que pode caracterizar formação de cartel.

Denuncia

Na cidade existem 16 empresas credenciadas que cobram valores que podem alcançar R$ 180. O razoável, para uma vistoria bem feita em 27 itens, seria o pagamento de R$ 80 a R$ 100.

Na atualidade a vistoria veicular só é permitida nos seguintes casos: a) transferências de qualquer natureza (alteração de propriedade do veículo ou transferência de estado; b) mudança na cor do veículo e outras alterações de suas características originais.

Ministério Público

Denuncia será feira ao MP – Ministério Público em Vitória da Conquista para apuração. A denuncia também será abordada na Assembléia Legislativa da Bahia já nesta semana, antes mesmo do Carnaval.

Combustível de Vitória da Conquista é um dos mais caros do país

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 28 jul 2014

Tags:, , , , ,

por Mateus Novais

posto_gasolinaEm uma pesquisa de preço feita pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara de Vereadores, identificou-se que Vitória da Conquista tem um dos combustíveis mais caros do país. Na cidade, o litro da gasolina supera os R$ 3.

Que o valor da gasolina em Vitória da Conquista é bem superior que em varias cidades da região, isso todo mundo já sabia. Mas, de acordo com a comissão da Câmara, o valor praticado na terceira maior cidade supera os de outros estados, como São Paulo, o principal centro comercial do país, em que o preço do combustível gira em torno de R$ 2,70 a R$ 2,80.

Recentemente, o Ministério Público solicitou a visita da Agência Nacional de Petróleo (ANT) à cidade, após constatar que a maioria dos postos praticava valores idênticos, o que poderia caracterizar crime de cartelização. Na fiscalização da ANT, alguns estabelecimentos foram interditados até resolverem as irregulares, como bico da bomba alterado, combustível adulterado e sonegação de imposto, através de notas “frias”.

Ministério Público investiga suspeita de cartel em postos de Vitória da Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Economia | Data: 30 maio 2014

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

31234_640_480__combefdhmpgQuem abastece o carro com frequencia aqui em Vitória da Conquista sabe que não precisa correr atrás de preço. É mínima a diferença dos valores praticados entre os postos de combustíveis da cidade. Essa situação tem incomodado os consumidores, que desconfiam da prática de cartel.

Por conta disso, o Movimento Contra Morte Prematura (MCMP) recolheu mais de 3 mil assinaturas em um abaixo assinado. Este documento foi incorporado a um dossiê realizado pelo MCMP em parceria com o Sindicato dos Taxistas da cidade.  A documentação foi entregue ao Ministério Público solicitando uma investigação.

O Ministério Público acatou a denúncia e instaurou um inquérito para investigar se há ou não um cartel entre os postos de combustíveis da cidade. “A Agência Nacional do Petróleo (ANP) se posicionou sobre o assunto confirmando que existe aqui no município um paralelismo de preço, mas que só essa condição não é o suficiente para afirmar que se trata de cartel. Mas as investigações já estão bem adiantadas, inclusive com a participação da Polícia Civil. ”, afirmou o promotor de justiça Carlos Robson Leão.