Aposentadoria por tempo de contribuição é vantajosa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 24 nov 2018

Tags:, , ,

Clayton Castelani
do Agora

A aposentadoria sem idade mínima pode estar com os dias contatos, caso o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), consiga levar adiante o seu plano de reforma da Previdência.

Mas enquanto ainda é possível receber o benefício cuja única exigência é o tempo obrigatório de contribuição, trabalhadores que começaram a contribuir cedo com o INSS têm a oportunidade de, enquanto são relativamente jovens, garantirem renda até o fim da vida.

O período obrigatório de recolhimentos é de 35 anos, para os homens, e de 30 anos, para as mulheres.

 

43% dos idosos são os principais responsáveis pelo sustento da casa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 21 nov 2018

Tags:, , ,

Reprodução do site da CDL

26% dos idosos já fizeram empréstimo pessoal ou consignado para ajudar alguém e 37% atrasaram o pagamento de alguma conta nos últimos seis meses. Brasileiros da terceira idade dão nota média 6,7 para vida financeira

Com a crise econômica que ainda afeta o bolso dos consumidores e o aumento do desemprego entre a população jovem, em muitos lares os idosos acabam sendo a principal fonte de renda. Um levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que 43% dos brasileiros acima de 60 anos são os principais responsáveis pelo pagamento de contas e despesas da casa – o percentual é ainda maior (53%) entre os homens. De modo geral, 91% dos idosos no Brasil contribuem com o orçamento da residência, sendo que em 25% dos casos colaboram com a mesma quantia que os demais membros da família. Somente 9% não ajudam com as despesas.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, não é só a crise econômica que explica esses números, mas também uma mudança demográfica e comportamental dessa população. “Há muitos casos em que a renda do aposentado é a única maneira para sustentar o lar de uma família que perdeu emprego, mas o aumento da expectativa de vida dos brasileiros e suas atitudes nesta fase da vida também são fatores importantes. Hoje, os idosos são mais ativos, têm mais autonomia financeira e trabalham por mais tempo, seja por necessidade ou porque se sentem dispostos”, explica a economista. …Leia na íntegra

Aposentadoria sai com menos contribuições

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 20 out 2018

Tags:, ,

 

Clayton Castelani
do Agora

Apesar de exigir períodos mínimos de contribuição relativamente longos para permitir que trabalhadores se aposentem sem idade mínima, o Regime Geral da Previdência Social possui diversas regras que reduzem significativamente a quantidade de recolhimentos exigidos para o benefício.

Para trabalhadores do setor privado, a regra geral impõe tempos de contribuição de 30 anos, para mulheres, e de 35 anos, para homens.

Mas essa exigência é diminuída em cinco anos para professores e outros profissionais da educação, que podem receber o benefício do INSS ao completarem períodos de recolhimento de 30 anos, se homens, ou 25 anos, se mulheres.

Para isso, todo o período considerado no benefício precisa ser em atividades do magistério.

Justiça aceita contribuição rejeitada no posto do INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 18 ago 2018

Tags:, ,

banner alfa park

Clayton Castelani
do Agora

Idosos estão buscando na Justiça a inclusão de períodos de contribuições registrados nas suas carteiras profissionais, mas que não foram reconhecidos como válidos para a aposentadoria pelo INSS.

As recusas das carteiras normalmente ocorrem porque faltam anotações sobre a data de demissão do funcionário, há páginas rasgadas, informações ilegíveis ou os registros no documento não correspondem aos dados do Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais).

As medidas adotadas pelo instituto buscam combater fraudes.

Excesso de rigor quanto à situação da carteiras e análises pouco aprofundadas sobre os dados informados no documento podem prejudicar cidadãos que têm direito ao benefício, segundo a advogada Camila Bastos Moura Dalbon.

“Encontramos situações em que a diferença entre as letras de quem anotou as datas de entrada e de saída do funcionário levam o INSS a descartar a carteira profissional do segurado”, afirma.

Confira como consultar o tempo de contribuição ao INSS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 20 jun 2018

Tags:, , ,

Fernanda Brigatti
do Agora (Reprodução)

O sistema de simulação do tempo de contribuição do site de serviços do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é muito útil para quem começa a planejar a aposentadoria, mas também pode confundir o segurado.

A ferramenta está disponível no site meu.inss.gov.br e, para consultá-la, é preciso ter senha.

A principal vantagem do simulador é fazer a contagem das contribuições de forma automática.

A desvantagem é que não são fornecidas informações importantes.

Por isso, ao utilizar o serviço, é necessário olhar o resultado com alguns cuidados.

O resultado da simulação mostra apenas quanto ainda falta para o segurado completar o tempo mínimo para a aposentadoria por tempo de contribuição, de 30 anos, para as mulheres, e de 35, para os homens.

Volte a contribuir para receber aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 06 abr 2018

Tags:, ,

Leda Antunes
do Agora

O pente-fino do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) cortou sete em cada dez benefícios por incapacidade revisados no estado de São Paulo desde o início das perícias, no final de 2016.

Quem teve o auxílio-doença ou a aposentadoria por invalidez cancelados deve voltar a contribuir para garantir uma aposentadoria que inclua o período de afastamento no benefício.

Os meses ou anos recebendo auxílio ou aposentadoria podem ser considerados no cálculo do novo benefício desde que estejam intercalados entre contribuições feitas pelo segurado ao INSS.

Isso ocorre automaticamente quando, por exemplo, o empregado com carteira assinada fica afastado e, depois, volta ao trabalho.

Mas, no caso de quem ficou por muito tempo afastado, recebendo auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez, e agora perdeu o benefício, a contribuição deve ser feita por conta própria.

Contribuição à Previdência será de 15 anos, diz relator

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 10 nov 2017

Tags:, ,

FSP e Agências

Após reunião com Temer e parlamentares ontem, o relator da reforma da Previdência, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), confirmou que a nova proposta de mudanças no INSS fixará em 15 anos o tempo mínimo de contribuição para a aposentadoria.

Pelo relatório aprovado em maio, em comissão da Câmara dos Deputados, o tempo mínimo de pagamentos para se aposentar subiria para 25 anos com a reforma.

Hoje, para se aposentar por idade, são necessários 15 anos de INSS, exigência chamada de carência.

Quem parou de contribuir também pode se aposentar

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 04 nov 2017

Tags:, ,

Fernanda Brigatti
do Agora

Os segurados que passaram anos sem contribuir com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) também conseguem se aposentar.

Na maioria dos casos, será mais vantajoso o trabalhador completar as condições do benefício por idade, que exige 15 anos de pagamentos ao INSS, além de o mínimo de 60 anos, para as mulheres, e 65, para os homens.

Há diversas razões para o segurado ter poucas contribuições lançadas no cadastro no INSS, além da inatividade. Muitos foram autônomos, optaram por não recolher a grana e permaneceram anos atuando na informalidade. Entre as mulheres, é comum que as seguradas tenham trabalhado por alguns anos, mas depois pararam, como quando os filhos nasceram.

Para completar o tempo de contribuição e ter o direito ao benefício, o segurado pode voltar a contribuir a qualquer momento.

Segurado pede benefício para contar tempo de contribuição

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 23 out 2017

Tags:, ,


Clayton Castelani
do Agora

O INSS recebeu 368,6 mil pedidos de aposentadoria por tempo de contribuição em São Paulo entre janeiro e agosto deste ano.

A procura dos paulistas pelo benefício está 48,5% acima da registrada no mesmo período do ano passado, quando foram apresentadas ao instituto 248,2 mil solicitações.

O crescimento nos pedidos de aposentadoria pode ter sido provocado, em parte, por segurados que querem saber se têm condições de se aposentar antes da aprovação da reforma da Previdência, em discussão no Congresso, segundo a advogada Adriane Bramante, do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário).

“Existem segurados de 40 anos de idade pedindo aposentadoria. Eles sabem que ainda não trabalharam o suficiente para se aposentar, mas fazem o requerimento para conseguir a contagem oficial do tempo de contribuição”, diz.

Veja quanto a aposentadoria sobe por ano de contribuição

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 06 ago 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

Nas aposentadorias da Previdência Social, cada ano de contribuição a mais pode fazer diferença no bolso.

Agora mostra hoje quanto o segurado consegue ganhar a mais com a inclusão de mais tempo de pagamentos ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Os ganhos podem chegar a R$ 1.587,22 por mês no caso de um segurado de 55 anos que consegue somar 40 anos de pagamentos e sempre contribuiu pelo teto do INSS.

Se ele se aposentar somente com o tempo mínimo exigido para o benefício dos homens, que é de 35 anos de pagamentos, a aposentadoria será de R$ 3.567,84.

Veja como saber seu tempo de contribuição

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 21 jun 2017

Tags:, , ,

Clayton Castelani
do Agora

Os segurados que querem saber seu tempo total de contribuição e calcular quanto falta para a aposentadoria podem usar o simular da Previdência Social, em www.previdencia.gov.br, mas é preciso ter cuidado.

No simulador, a falta de clareza nas informações pode levar a erros.

Uma delas diz respeito à chamada aposentadoria de integral que pode, na verdade, ser reduzida em mais da metade pelo fator previdenciário.

E a única coisa a fazer para não cair nessa pegadinha é entender as regras do benefício para saber qual a hora certa de se aposentar.

“Não adianta ir à Justiça para reclamar, a comunicação do INSS está em acordo com a legislação previdenciária”, explica o advogado Roberto de Carvalho Santos, do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários).

O fator previdenciário foi criado para desestimular os trabalhadores a se aposentarem muito cedo, antes dos 60 e até dos 50 anos de idade.

Assim, quem se aposenta mais cedo acaba tendo o benefício reduzido.

Segurado saberá seu tempo de contribuição na internet

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 21 dez 2016

Tags:, , ,

Fernanda Brigatti e Folha de S.Paulo
do Agora

O segurado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) interessado em planejar sua aposentadoria poderá saber, de forma mais simples, quanto tempo de contribuição falta para conseguir se aposentar.

Essa consulta será liberada pela internet, na página que será batizada de “Meu INSS” e, segundo a promessa do instituto, começará em março.

Essa central de serviços é a mesma em que os segurados já conseguem liberar a consulta ao Cnis (Cadastro Nacional do Seguro Social) sem precisar ir a uma agência do INSS para se cadastrar.

O diretor de benefícios do INSS, Robinson Nemeth, afirma que o extrato de contribuições, como o Cnis é chamado, passará a mostrar a soma dos períodos lançados no documento.

“Hoje o extrato não simula o tempo. Apresenta as empresas nas quais trabalhou, as datas e os repasses que a empresa fez.”

Para o presidente do INSS, Leonardo Gadelha, será uma forma de o segurado ter mais controle em relação às contribuições.

“É uma lógica de controle social interessante. Você vai verificar online se a empresa onde trabalhou fez recolhimento.”

Governo quer modificar tabela de contribuição do Planserv

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 11 ago 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais

Planserv-2_1

A Assembleia Legislativa deve receber nesta semana o Projeto de Lei que altera a tabela de contribuição do Plano de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais (Planserv). Segundo o Governo do Estado, as alterações visam garantir a ampliação da rede de atendimento, bem como a melhoria da qualidade do serviço.

Uma das principais alterações no plano é em relação ao teto de contribuição dos servidores que, atualmente, é de R$ 10.250,00. Isto significa que, quem recebe salário acima deste valor, não tem acréscimos na mensalidade. Por isso, o novo projeto aumenta este teto para R$ 22.250,00.

A medida atinge 12% dos servidores, cujo plano sofrerá reajuste de mais de 10%. Outros 32% dos beneficiários terão a mensalidade reajustada em até 10%. Já a maioria dos usuários (56%), que está na faixa salarial de até R$ 3.750,00, não terá reajuste.

O Governo argumenta que o plano não sofre reajuste desde 2011. Além disso, a proposta também tem como objetivo consolidar o conceito de plano solidário, no qual a contribuição dos servidores é proporcional à sua faixa salarial, corrigindo distorções na tabela.