Aprovado reajuste de 11,28% para os comerciários de Vitória da Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 19 jan 2016

Tags:, , ,

Da Redação

salario-liquidoNa última semana foi assinada a Convenção Coletiva de 2016 dos trabalhadores do comércio de Vitória da Conquista. Em negociação desde outubro do ano passado, o acordo foi firmado entre o Sindicato dos Comerciários e o Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista da cidade.

Com a convenção, o piso salarial dos comerciários foi reajustado em 11,28%. Assim,  a partir de 1º de janeiro destse ano, os trabalhadores com até três meses de admissão na mesma empresa têm o piso salarial de R$ 893,00. Para os empregados que tenham mais de três meses de admissão, o valor salarial ficou de R$ 938,00. Já os trabalhadores que recebiam até 31 de dezembro de 2015 salários acima de R$ 842,90, o reajuste também foi de 11,28%.

Com esse reajuste, os comerciários de Vitória da Conquista têm piso salarial superior ao nacional. Além disso,  O triênio, direito concedido aos trabalhadores que possuem mais de três anos de serviço prestado ao mesmo empregador, ficou estabelecido em 2% em cima do salário mínimo nacional.

Por Convenção Coletiva, comerciários ameaçam paralisar supermercados

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Trabalho | Data: 13 fev 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto: arquivo BRG

gilmar2-300x201111O Sindicato dos Comerciários convocou os trabalhadores de supermercados para uma assembleia no dia 19 de fevereiro. A categoria deverá deliberar o início de um movimento paredista em busca do fechamento da Convenção Coletiva.

Na última quarta-feira (11), o Sindicato dos Supermercados e atacados de auto-serviço do Estado da Bahia (SindSuper) e os representantes das redes de supermercados de Vitória da Conquista teriam se negado a assinar a convenção que havia sido acordada entre os trabalhadores e a comissão que delegada para firmar o acordo. Os comerciários acusam os patrões de tentar diminuir ganhos já conquistados pela Entidade Sindical, como os valores do trabalho nos domingos e feriados, triênio e produtividade.

Ainda segundo a categoria, a data base para o acordo é em janeiro. “Diante disso, não vemos outra possibilidade a não ser mobilizar a categoria para uma paralisação. Essa não seria uma atitude tomada de forma aleatória pelo trabalhador, mas sim, um último recurso para garantir que os seus direitos sejam cumpridos”, afirmou Gilmar Ferraz (foto), presidente do Sindicato dos Comerciários.