Dia dos Pais deve movimentar quase R$ 14 bilhões no varejo

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia | Data: 10 ago 2018

Tags:, , ,

banner alfa park

da Redação
Fonte: CNDL/ CDL (Conteúdo)

Apesar de ainda estarem sofrendo os efeitos da lenta recuperação econômica e do desemprego, 61% dos brasileiros pretendem ir às compras nessa data

Embora os brasileiros ainda estejam sensíveis aos efeitos da lenta recuperação econômica e do desemprego, a maioria (61%) dos consumidores deve ir às compras neste Dia dos Pais – o dado é levemente superior aos 55% de entrevistados que realizaram compras na mesma data do ano passado. A conclusão é de um levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Ao todo, a expectativa é de que quase 93 milhões de pessoas façam alguma compra no período, o que deve movimentar uma cifra aproximada de R$ 13,9 bilhões nos setores do comércio e serviços.

Apenas 28% dos consumidores não devem presentear alguém na data, sendo que a principal justificativa é o falecimento do pai (70%). Comemorado tradicionalmente no segundo domingo de agosto, o Dia dos Pais é considerado por muitos o ‘patinho feio’ das datas comemorativas por não injetar cifras tão expressivas como Natal, Dia das Mães e Dia dos Namorados. Mesmo assim, a comemoração serve de termômetro para analisar o desempenho do varejo no segundo semestre, ainda permeado por incertezas no campo político e por uma recuperação econômica gradual. …Leia na íntegra

Pela primeira vez desde 2014, o número de dívidas regularizadas fechou o ano em crescimento

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 23 mar 2018

Tags:, ,

da Redação
Fonte: revistavarejosa.com.br/CDL (Conteúdo)

Pela primeira vez desde 2014, o número de dívidas regularizadas fechou o ano em crescimento. Essa grande notícia foi destaque em um novo indicador lançado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), que mensura a recuperação de crédito do consumidor em todas as regiões brasileiras.

Aumentou em 4,42% o volume de dívidas atrasadas que foram totalmente quitadas ou renegociadas pelos devedores junto às empresas credoras. Para ter uma ideia de como esse número é uma boa notícia para o varejo, considerando todo o ano de 2017, apenas no mês de janeiro esse número havia ficado no azul: alta de 19,59% no período. No resto do ano, ou seja, entre fevereiro e novembro, foram sucessivas as quedas nas renegociações, tendo sido observada, em outubro, a maior delas: uma retração de mais de 24% na quantidade de dívidas colocadas em dia.[

Dinheiro extra ajuda brasileiro a consertar finanças …Leia na íntegra

Brasil deixou recessão para trás, disse Temer na Argentina

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 11 dez 2017

Tags:, , ,

da Redação
Com informações do Diário do Poder (Conteúdo)

Brasil cria empregos e produção industrial cresce, diz Temer

Coelba alerta para cuidados com a iluminação de Natal

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 16 nov 2017

Tags:, , ,

Da Redação


Com a proximidade do Natal, a Coelba alerta para cuidados importantes ao adquirir, instalar e manusear a decoração luminosa. Além de prevenir de acidentes, a empresa indica que o consumidor deve adotar hábitos conscientes de consumo para evitar desperdícios e economizar na conta de energia.

Os cuidados devem começar já na escolha dos produtos. Os adornos devem ser de boa qualidade e, obrigatoriamente, certificados pelo Inmetro. As embalagens dos enfeites com lâmpadas devem conter informações como potência, tensão de alimentação e instruções de uso. No caso das árvores de Natal, é importante procurar pela etiqueta “Resistente ao Fogo”. Essa medida preventiva pode evitar um incêndio, na eventualidade de um curto-circuito.

No caso dos enfeites luminosos, a informação sobre a potência do produto, dada em watts (W) e contida na embalagem, merece atenção, pois quanto maior a potência maior também será o consumo de energia. No caso dos produtos que utilizam mais energia, a dica é reduzir o tempo de uso. Outra opção de economia é dar preferência às lâmpadas de LED, que são mais eficientes, brilhantes e com maior durabilidade que as convencionais.

Conforme a Coelba, antes de decorar a residência, é aconselhável também fazer uma revisão nas instalações elétricas, com um eletricista capacitado. Atenção também para fios desencapados, com a parte metálica aparente. É importante ainda verificar as condições do material que será instalado: aquele pisca-pisca comprado em anos anteriores pode ter sofrido algum tipo de desgaste.

A Coelba alerta ainda que o uso de várias ligações em uma mesma tomada, através do chamado “T” (benjamins), pode provocar aquecimento e curto-circuito e dessa forma interromper o fornecimento de energia elétrica. Além dos riscos, o aquecimento da tomada também gera perda de energia e por conseqüência o aumento na fatura. …Leia na íntegra

Regras de ouro para guardar dinheiro

0

Publicado por Editor | Colocado em Economia | Data: 02 nov 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte: Meu Bolso Feliz / CDL (Conteúdo)

Você tem dificuldade de guardar e investir seu dinheiro? Conheça os hábitos que podem estar por trás disso e veja dicas para conseguir ganhar mais

Não que investir seu dinheiro seja difícil, mas não basta apenas se organizar financeiramente e guardar um pouco todo mês para ver sua grana render. “Organizar as finanças e poupar é o primeiro passo. Mas também é preciso acompanhar seus investimentos”, diz a economista-chefe do SPC, Marcela Kawauti. Na prática, isso significa ficar de olho nas mudanças para entender os investimentos, suas taxas e rentabilidade, para ter certeza de que está investindo no lugar certo. Além disso, deve-se ter claro o objetivo dessa economia.

Pensando em facilitar esse entendimento, o SPC Brasil listou seis regras de ouro ao investir seu dinheiro. Entenda cada uma delas.

Reorganize seu orçamento

A primeira atitude é saber o quanto você pode guardar todo mês. Para isso, levante seus gastos e despesas e veja o quanto sobra. Nosso Simulador Diagnóstico Financeiro ajuda nesta tarefa. É preciso se organizar financeiramente para conseguir juntar uma reserva, o que inclui rever certos hábitos e repensar prioridades. Feito isso, reserve o que pode ser direcionado para o investimento e programe a retirada automática do valor da sua conta, preferencialmente assim que receber o dinheiro.

Entenda seu objetivo

…Leia na íntegra

Balança tem o maior saldo da série histórica para 10 meses até outubro

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 01 nov 2017

Tags:, ,

uol economia

A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 58,477 bilhões no acumulado de janeiro a outubro, o que representa um crescimento de 51,8% em relação ao mesmo período do ano passado (quando o número havia sido de US$38,515 bilhões). De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), esse é o melhor resultado para o período desde o início da série histórica, em 1989.

Considerando somente o mês passado, foi registrado um superávit de US$ 5,201 bilhões, também recorde. Segundo o ministério, o número é 122,5% superior ao apurado no mesmo mês de 2016. O resultado é a diferença entre exportações de US$ 18,877 bilhões (aumento de 31,1% sobre o mesmo mês do ano passado, considerando a média diária) e importações de US$ 13,676 bilhões (crescimento de 14,5%, pelo mesmo critério).

Levando em conta somente a quinta semana de outubro, houve um superávit de US$ 675 milhões, com US$ 1,756 bilhões em exportações e US$ 1,082 bilhões em importações.

Economia do Brasil cresce com a queda do PT; veja comparação antes e depois

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 16 out 2017

Tags:, , ,

da Redação

Desde maio do ano passado, quando teve início o governo Michel Temer, os principais indicadores econômicos do País entraram em um processo de reversão. A inflação caiu e hoje é uma das menores do Mundo. O risco Brasil recuou em quase 300 pontos, a bolsa voltou a subir e o real se fortaleceu frente ao dólar.

Agora a recessão já acabou. A expectativa de especialistas é de dados cada vez melhores nos próximos meses e anos. Indicadores mostram o comportamento do Produto Interno Bruto (PIB) em crescimento e a economia voltou a crescer. A tabela que ilustra este artigo mostra com clareza que o Governo Temer conseguiu superar os estragos do Governo Dilma Rousseff (PT) que deixou herança de 14 milhões de brasileiros desempregados.

Para 39% dos empresários de comércio e serviços, economia irá crescer no segundo semestre

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Vit. da Conquista | Data: 17 ago 2017

Tags:,

da Redação
Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

84% afastam a possibilidade de demitir funcionários nos próximos meses. 43% dos varejistas tiveram que fazer cortes e ajustes no orçamento no 1º semestre

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com varejistas e prestadores de serviços das 27 capitais e do interior do Brasil mostra que para 39% dos empresários a economia irá crescer no segundo semestre. Para 43% dos entrevistados, o segundo semestre será melhor para a economia, do que o primeiro e 38% acham que será igual. Entre os 8% que acreditam que o cenário será pior, as principais consequências serão a dificuldade de manter as contas em dia (27%), a necessidade de reduzir o estoque de produtos (22%) e a dificuldade em economizar e fazer reserva financeira (22%).

“As perspectivas dos empresários sondados e as projeções do mercado mostram que, mesmo com a turbulência observada no cenário político, o País ainda reúne condições para interromper uma sequência de dois anos de queda do PIB. O resultado, porém, tende a ser tímido”, afirma o presidente da CNDL, Honório Pinheiro. …Leia na íntegra

Juros é a principal barreira para 38% dos empresários que não buscam crédito

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 31 maio 2017

Tags:,

da Redação
Conteúdo CNDL

57% dos comerciantes e empresários de serviços acreditam que crédito impulsiona competitividade dos negócios. Para 28%, bancos públicos são as melhores instituições para contratar empréstimos e financiamentos

As altas taxas de juros cobradas pelas instituições financeiras são o principal motivo para os empresários dos ramos do comércio e serviços não buscarem crédito para investir e desenvolver seus negócios. A constatação é de uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com empresários de todos os portes nas 27 capitais. De acordo com o levantamento, entre aqueles que nunca recorreram a empréstimos e financiamentos, quatro em cada dez (38%) atribuem a decisão ao fato de considerarem os juros elevados. A burocracia no processo de aprovação de um empréstimo foi citada por 12% dos entrevistados. Outro motivo é que 44% desses empresários conseguem manter a operação da empresa com recursos próprios. No total, 58% dos varejistas nunca utilizaram, ou ao menos buscaram, crédito na forma de empréstimos ou financiamentos.

Levando em consideração os últimos 12 meses, apenas 9% dos comerciantes e empresários do ramo de serviços tomaram recursos emprestados de terceiros. Outros 5% tentaram fazê-lo, mas não conseguiram, sendo que 3% acabaram desistindo e 2% tiveram o crédito negado.

“Com a demanda do consumidor retraída e a atividade econômica estagnada no país, inclusive com piora dos índices de empregabilidade e de renda, o empresariado brasileiro tem se mostrado pouco interessado em aumentar investimentos em seus negócios. Embora a Selic se encontre em uma trajetória consistente de queda, os juros praticados pelas instituições financeiras seguem altos, o que infelizmente contribui para inibir a busca por crédito”, afirma o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Pensando nas medidas que poderiam aproximar o empresariado do crédito, os entrevistados destacam, principalmente, a flexibilização da documentação exigida (49%), alteração na política de garantias (38%), diminuição de exigência de capital próprio (38%) e das exigências quanto ao plano de negócio (35%). De acordo com a pesquisa, 57% dos empresários do varejo acreditam que linhas de financiamento bancário estimulam os investimentos, aumentando a produtividade e competitividade da empresa. Atribuindo uma nota de um a 10 para a importância do crédito no crescimento e manutenção do negócio, em que 10 significa máxima importância, os entrevistados deram nota média 6,1, sendo que 47% deram nota acima de 7,0. …Leia na íntegra

Evento do Sebrae discute Varejo da Moda em Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 23 maio 2017

Tags:, ,


Da Redação

A próxima edição do Sebrae Conecta, em Vitória da Conquista, vai abordar o Varejo da Moda. Direcionado a lojistas do varejo de vestuário e assessórios da região Sudoeste, o Sebrae Conecta será realizado no dia 30 de maio, com uma palestra na Casa Rafiki, às 19 horas. No dia 31, serão realizadas oficinas no Auditório do Sebrae.

Dessa vez, o Sebrae traz a Vitória da Conquista a estilista Roberta Nigri, que vai ministrar a palestra “O Novo Consumidor e Suas Tecnologias”. No dia 31, a oficina Visual Merchandising será realizada às 8h30. Às 14 horas, acontece a oficina Tendências do Comportamento do Consumidor da Moda, ambas no auditório do Sebrae.

O Sebrae Conecta Varejo de Moda conta com a parceria da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL de Vitória da Conquista e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – Senac. As inscrições são gratuitas. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones 0800 570 0800 ou (77) 3424-1600.

Governo prevê redução da meta de inflação, e Selic vai cair para um dígito

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 09 abr 2017

Tags:, , ,

da Redação

Conteúdo / Diário do Poder / Foto: EBC

Brasília – O presidente interino Michel Temer apresenta as primeiras medidas econômicas para reequilibrar as contas do governo (José Cruz/Agência Brasil)

A equipe econômica do governo Michel Temer deve anunciar a redução na previsão para o centro da meta da inflação de 2017. O presidente foi informado das projeções indicando queda na carestia, este ano, para algo em torno de 4%, com um teto de 5,5%. A previsão do governo é que a Selic, taxa básica de juros, também sofrerá redução significativa, proximamente, chegando à casa de um dígito. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A taxa básica de juros não alcança um dígito desde outubro de 2013. No governo Temer, vem sendo reduzida a cada reunião do Copom.

As boas notícias da economia foram levadas ao presidente Michel Temer pelo ministro Henrique Meirelles. Os dois ficaram eufóricos.

O ano de 2015 marcou a maior inflação da era PT, de 10,67%. Foi o maior resultado desde a posse de Lula, em 2003.

Em 2016, após o impeachment de Dilma, a inflação caiu abaixo dos 10% para dentro do teto da meta do governo Temer de 6,5%.

 

Microfranquias se revelam alternativas acessíveis para o negócio próprio

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 09 abr 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Yahoo Notícias / CDL (Conquista)

Nas últimas décadas o Brasil passou por momentos econômicos promissores. Muitas pessoas prosperaram durante um período em que o mundo vivia uma crise financeira. Agora o cenário nacional confirma a realidade inevitável da recessão. O consumo diminuiu e muitas vagas de empregos foram fechadas. Mas o brasileiro não desiste nunca e busca cada vez mais novas maneiras de empreender. Investimentos menores que as conhecidas franquias surgem a cada dia e dão esperança a novos empresários em potencial que se perguntam: Vale a pena investir em uma microfranquia?

De acordo com dados da Associação Brasileira de Franquias (ABF) microfranquias são classificadas como marcas e modelos de negócio com investimento inicial de até R$ 90 mil. Esse cálculo é feito com base nos dados do PIB, renda média per capita e variação cambial. Além da definição, o mais importante é que o candidato tenha em mente onde está investimento. “A primeira coisa que uma pessoa precisa saber ao entrar para uma franquia é que ela está investindo no acesso à informação, à estrutura que uma empresa pode oferecer”, explica Adriana Auriemo, diretora de microfranquias e novos negócios da ABF. …Leia na íntegra

Contas de luz devem ficar mais caras até o fim do ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 04 abr 2017

Tags:, ,

Da Redação


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a tendência é que a bandeira tarifária, nas contas de energia, siga vermelha até novembro, o que implica em uma cobrança extra nas contas de luz de pelo menos R$ 3 a cada 100 kWh de energia consumidos.

Na semana passada, a agência anunciou que a bandeira tarifária, que estava amarela em março (cobrança extra de R$ 2 para cada 100 kWh), passaria para vermelha 1 em abril, devido à falta de chuvas que vem comprometendo a recuperação dos reservatórios das hidrelétricas. Com os reservatórios mais baixos – e a proximidade do período seco -, aumenta a necessidade de uso das usinas termelétricas, que geram energia mais cara porque usam combustível para funcionar.

Segundo a Aneel, o período de chuvas no Sudeste e Centro-Oeste, onde estão as principais hidrelétricas do país, está se encerrando e já foi necessário acionar térmicas mais caras. Como a tendência agora é de menos chuvas naquelas regiões, a bandeira deve ficar vermelha até a volta do período úmido, em novembro.

Contas de energia elétrica terão desconto em abril

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 28 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação


Em abril, os consumidores de energia elétrica terão um desconto na tarifa, por causa da devolução dos valores cobrados a mais no ano passado. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (28) o processo extraordinário de ajuste nas tarifas de 90 distribuidoras do país, inclusive a Coelba, empresa responsável pelo fornecimento de energia na Bahia.

Vai haver devolução porque o custo da energia proveniente da termelétrica de Angra 3 foi incluído nas tarifas do ano passado, mas a energia não chegou a ser usada porque a usina não entrou em operação. Com isso, as contas de luz, na Bahia, terão 15,46% de desconto.

O procedimento de devolução dos recursos terá duas etapas. Na primeira, durante o mês de abril, a tarifa será reduzida para reverter os valores de Angra 3 incluídos desde o processo tarifário anterior e, ao mesmo tempo, deixará de considerar o custo futuro do Encargo de Energia de Reserva (EER) desta usina.

Na segunda etapa, que começa em 1º de maio e permanece até o próximo processo tarifário de cada distribuidora, a tarifa apenas deixará de incluir o EER de Angra 3.

Dia Mundial da Água lembra que economia deve ser rotina

0

Publicado por Editor | Colocado em Meio Ambiente, Vit. da Conquista | Data: 22 mar 2017

Tags:, ,

Da Redação


Desde maio do ano passado, Vitória da Conquista vivencia mais um racionamento de água. Esse cenário, que se repete pela quarta vez na cidade, não tem data para chegar ao fim, por isso, a população precisa se esforçar para reduzir o consumo.

Situações de desperdício, como lavar calçadas com água tratada, por exemplo, não podem acontecer, mesmo quando o racionamento terminar. Ações para evitar o desperdício devem virar rotina em todos os lares, afinal, a água é um bem finito.

Nos últimos anos, Vitória da Conquista cresceu bastante e, infelizmente, a oferta de água é insuficiente para atender toda a demanda. Falta investimentos do poder público, que já tinha conhecimento que chegaríamos a esse triste cenário, e também falta chuva. De acordo com a Embasa, a Bahia está enfrentando “a pior seca dos últimos 100 anos”.

Com a mudança de estação, as chuvas devem diminuir ainda mais e os níveis da barragem de Água Fria I e II, que abastecem Vitória da Conquista, também devem cair. O que pode amenizar os efeitos é realmente o baixo consumo da água. A população deve ter consciência que para a situação não piorar ainda mais é necessário que ela faça a sua parte.

Revista Veja mostra sinais de recuperação da economia no Brasil

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 12 mar 2017

Tags:, , ,

da Redação

A revista Veja que já circula neste final de semana traz números do IBGE que apontam para a recuperação da economia no país. A edição traz na capa a manchete “Depois da maior recessão da História…surge um sinal de luz”.

A revista destaca que o Brasil passou pela pior crise econômica da história, salientando o segundo trimestre de 2014, quando o Produto Interno Bruto (PIB) encolheu para 9%, e a economia retrocedendo para patamares de 2010, início do primeiro governo de Dilma.

Todos sabem que a era PT foi de fracasso o que gerou 12 milhões de desempregados, e empresas que quebraram em série. A reportagem de Veja destaca que Dilma e o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, criaram a “nova matriz econômica”, mas a reportagem afirma que tal medida só serviu para “esgarçar as finanças públicas e desorganizar a economia”.

Os números apontados pela revista são animadores, e destaca que a produção industrial cresceu em janeiro, depois de 34 meses consecutivos no vermelho e o crescimento da safra de grãos que será 22% maior que a de 2016.

Nova queda da taxa Selic – entenda o impacto para a população

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 25 fev 2017

Tags:, ,

da Redação

Por Reinaldo Domingos (DSOP Educação Financeira)

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central divulgou, nessa quarta-feira (22) um forte corte de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic) ficando agora em 12,25% ao ano. A notícia reflete em muitos aspectos, mas o que de fato isso muda na sua vida? Com a queda do juros, um dos objetivos do Governo é impulsionar o consumo. Os preços podem cair, pois, os juros imbutidos nos produtos serão menores.

Além disso, essa redução deve refletir na queda dos juros nas tomadas de empréstimos e parcelamentos também. Ou seja, com essa decisão ocorre um claro sinal de que se busca motivar a população a voltar às comprar. Até pelo fato de que a decisão tem impacto negativo para muitos investimento.

Sendo que, para quem tem aplicações, a noticia não é tão boa, pois, essas perderão rentabilidade. No caso da Caderneta da Poupança, não haverá mudanças em seus rendimentos, pois, se a Selic for maior ou igual a 8,50% ao ano, a poupança paga sempre 0,50% ao mês mais Taxa Referencial (TR).

Aos que se encontram endividados ou ainda que precisam pegar empréstimos ou fazer parcelamentos, já que a taxa influencia diretamente nessas situações, a queda da Selic é sempre boa. Contudo, se os juros foram definidos antes, nada mudará. …Leia na íntegra

Saiba como investir o dinheiro do FGTS inativo

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 19 fev 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Agência Brasil / CDL / VC

Mais de 30 milhões de trabalhadores devem buscar a Caixa Econômica Federal para sacar recursos de contas inativas do FGTS a partir do próximo mês. Só terão direito ao saque aqueles com contratos de trabalho finalizados até 31 de dezembro de 2015 e que não tenham sacado o benefício. Segundo a Caixa, há 49,6 milhões de contas nessa situação – 95% delas com valores até R$ 3 mil e 5% com valores superiores a R$ 3 mil. Com o recurso em mãos, surge a dúvida: o fazer com esse dinheiro?

A primeira dica, na avaliação de especialistas ouvidos pela Agência Brasil, é ser prático e pagar ou diminuir o saldo de dívidas. “Como o brasileiro médio está endividado, é preciso regularizar essa situação, a recomendação é quitar a sua dívida, se possível, ou adiantar parcelas a vencer para diminuir os juros e encargos”, aconselha o professor do departamento de ciências contábeis e atuariais da Universidade de Brasília (UnB) Roberto Bocaccio.

Segundo ele, em geral, as pessoas tendem a usar esse dinheiro para necessidades de consumo imediato. No entanto, o especialista aconselha que após quitar as dívidas e suprir necessidades básicas, o ideal “seria aplicar a parte que sobrar em algum investimento com a remuneração mais elevada do que a do FGTS”.

Investimentos

Para o professor, se a necessidade de consumo for alta, o melhor é investir em algum bem durável, de médio e longo prazo, porque usando o dinheiro para consumo imediato, ele se esvai. “É importante que a pessoa se lembre que o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) foi criado para garantir um socorro lá na frente, para o beneficiário ou seus dependentes. Então, é essencial que esse valor seja bem utilizado em uma capitalização ou em bens duráveis”, explica.

Bocaccio acredita que aqueles que vão receber uma quantia mais alta possivelmente já têm investimentos e podem aplicar o valor do FGTS inativo de acordo com o seu perfil. “Para quem quer correr os riscos, investir em renda variável, como bolsa de valores, é aconselhável, mas isso exige cuidado, pesquisa e sangue frio”, diz o especialista.

Já para os conservadores, ele sugere a aplicação em renda fixa ou no Tesouro Direto. “No caso do Tesouro Direto, a pessoa vai escolher de acordo com a remuneração e prazo do investimento. Essas opções não exigem tanta pesquisa e acompanhamento sistemático, são mais fáceis de se fazer”, exemplifica Bocaccio.

O economista Carlos Alberto Ramos avalia que, em geral, a quantia que as pessoas vão receber é muito baixa e a taxa de juros no Brasil, muito alta. “Em termos de lógica econômica, se alguém vai receber o dinheiro e tem dívida, o ideal é pagar essa dívida”, afirma.

Ramos pondera que, como a taxa de emprego está baixa no país, é possível também que parte dos beneficiados estejam desempregados e queiram consumir alguns bens básicos. “A prioridade é quitar as dívidas ou diminuir o valor da dívida. É muito difícil se fazer algum investimento com esse dinheiro, porque as pessoas que vão receber o FGTS, nessas condições, são pessoas de renda média ou baixa, que dificilmente poupam. Não faz muito sentido também investir um dinheiro em uma aplicação que possivelmente tem o rendimento menor do que o juros da dívida da pessoa”, avalia.

Benefício

Os valores das contas inativas estarão disponíveis para saque até o dia 31 de julho. Depois dessa data, o trabalhador deverá se enquadrar nas opções tradicionais de saque (como aposentadoria ou aquisição de moradia própria, por exemplo) para receber os valores.

O FGTS, na prática, funciona como seguro nos casos de demissão sem justa causa, mas também como uma espécie de poupança. Trata-se de um depósito mensal que toda empresa faz para os funcionários contratados pelo regime de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O que é o FGTS?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um depósito mensal que toda empresa faz para os funcionários contratados pelo regime CLT. Na prática, funciona como um seguro no caso de demissão sem justa causa, mas também não deixa de ser uma poupança.

O que fazer com o dinheiro do saque?

1º Quitar ou diminuir o saldo das dívidas
2º Usar para a aquisição de bens duráveis (médio e longo prazo)
3º Investir o dinheiro
4º Somente em caso de necessidade, usar para consumo básico

Saques do FGTS devem gerar recuperação de crédito, diz SPC Brasil

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia, Economia | Data: 17 fev 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte: CNDL (Conteúdo)

Para o SPC Brasil, medida é importante para que o cidadão consiga sanar dívidas e recuperar crédito

O saque do dinheiro das contas inativas do FGTS deve injetar entre 30 bilhões e 35 bilhões de reais na economia do país, o que representa 0,5% do PIB. Dos 30,2 milhões de trabalhadores que poderão realizar os saques, 80% possuem até 1.500 reais nas contas.

Para o presidente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), Roque Pellizzaro Junior, “os saques irão beneficiar principalmente os cidadãos das classes C, D e E, que devem utilizar o montante para as necessidades mais urgentes.” Com base em pesquisas recentes do SPC Brasil, estima-se que cerca de 50% do dinheiro sacado pelo trabalhador seja destinado ao pagamento de dívidas, 30% para economizar e o restante para outros gastos.

“O acesso ao dinheiro inativo das contas do FGTS é uma medida importante para injetar uma quantidade de dinheiro significativa na economia do país. Isso pode ajudar o cidadão afetado pela crise a sanar suas dívidas, limpar o nome e recuperar seu crédito”, avalia Pellizzaro. “Ao reduzir a inadimplência o impacto sobre a economia é positivo, resultando em menores taxas de juros cobradas ao consumidor”, finaliza.

Pequenos negócios evitam agravamento do desemprego no país

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 12 fev 2017

Tags:, , ,

da Redação

Conteúdo / Sebrae Notícias 

Em 2016, micro e pequenas empresas fecharam quatro vezes menos postos de trabalho em relação às médias e grandes empresas

As micro e pequenas empresas brasileiras, com faturamento até R$ 3,6 milhões em 2016, evitaram o agravamento do desemprego no Brasil. Elas são responsáveis por mais da metade dos empregos com carteira assinada (52% do total) e encerraram 281 mil vagas durante o ano passado. Já as médias e grandes empresas, que respondem por 48% dos empregos formais, demitiram 1,32 milhão de pessoas, número quase quatro vezes superior.

Os dados são de levantamento feito pelo Sebrae, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Em quatro meses de 2016 (janeiro, maio, agosto e setembro), as contratações superaram as demissões nos pequenos negócios. Mesmo assim, o saldo de empregos entre as micro e pequenas em 2016, negativo em 281 mil, foi 35% pior do que o resultado em 2015.

O setor que mais registrou fechamento de vagas foi o da Indústria da Transformação (-119,9 mil), seguido pela Construção Civil (-116,9 mil) e pelo Comércio (-91,3 mil vagas).

Na opinião do presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, os dados refletem a dependência maior da pequena empresa com a mão de obra. “Se uma empresa com quatro trabalhadores demite dois, há uma redução de 50% no quadro de funcionários. Por isso, ela segura mais o empregado”, destaca Afif, que, no entanto, vê no atual nível de endividamento do setor um problema para 2017. “Falta capital de giro e 83% dos pequenos não têm crédito ainda”, complementa.

Sinais de recuperação

Como ocorre todos os anos, dezembro é o mês com o mais alto número de demissões nos pequenos negócios, em função das dispensas de pessoas contratadas por prazo determinado, apenas para atender ao aumento de demanda no fim de ano. Em dezembro de 2016, o saldo negativo foi de 222,8 mil vagas, mas já apresenta sinais de recuperação.

Em todas as regiões do país também houve redução do número de demissões nos pequenos negócios em dezembro de 2016, quando comparado a dezembro de 2015. No Norte, foram 9,3 mil vagas extintas no último mês de 2016, 31% a menos do que no ano anterior. No Sudeste, o saldo negativo foi de 112,6 mil empregos, 26% inferior às dispensas de dezembro de 2015.