Elomar comemora 79 anos com Concerto de Natal na Casa dos Carneiros

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Cultura | Data: 14 dez 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais

O cantor e compositor Elomar Figueira está preparando um grande concerto de Natal. O evento, Concerto de Natal – Lá na Casa dos Carneiros, também comemora o aniversário Elomar, que completa 79 anos no dia 21 de dezembro.

O Concerto em Homenagem ao Menestrel terá a participação de João Omar, Petrônio Joab, Gil Barros e Elton Becker, que entre as peças musicais fará leituras de textos extraídos dos livros “Sertanílias” e “A era dos grandes equívocos”.

A homenagem acontece dia 22, às 19h30, no Theatro Escola Lírica Mineira, Fazenda Casa dos Carneiros, com entradas custando R$ 80. Os interessados têm até o dia 16 para confirmar presença, pelos telefones (77) 99117-3287, 3421-4881 ou pelo email: atendimentorossane@gmail.com.

 

 

Elomar lança livro “A Era dos Grandes Equívocos”

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Cultura | Data: 13 abr 2016

Tags:,

A Tarde

IMG_1301

Um pacote de beiju, uma caneca vazia, uma caixa de remédios, uma Bíblia, um som Gradiente 3 em 1, um canivete, lápis e canetas, cadernos com anotações e muitos papéis espalhados disputam o espaço de uma mesa com um computador.

Essa mesa fica encostada numa janela que dá para a Serra da Tromba, onde o sol se põe queimando o horizonte e pintando a paisagem cinzenta da Gameleira, zona rural de Vitória da Conquista – a 512 km de Salvador.

É nela que Elomar Figueira Mello trabalha – ora compondo, ora desenhando, ora escrevendo. Quase sempre preso às atividades da fazenda Casa dos Carneiros, o menestrel completou 78 anos em dezembro último, cheio de projetos e com novidades a tirar da bruaca. O mais recente foi o lançamento do seu segundo livro, ocorrido no final de março em Vitória da Conquista, A Era dos Grandes Equívocos, em edição limitada e independente. “É um cacete, é uma crítica violenta, porque lá tem um mundo de informações e opiniões, em termos técnico-científicos, político, econômico e espiritual”, antecipou o autor, em 2012.

Ao longo das suas 320 páginas, Elomar fala sobre assuntos polêmicos do século 20, como a falta de exatidão da matemática, a não lógica Aristotélica, a razão para estudar e a ideia de que caminhamos rumo às trevas – em processo de involução. Para isso, o escritor criou um gênero literário, o mão-de-prosa. …Leia na íntegra

Elomar publica texto sobre o trânsito em Vitória da Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 31 mar 2014

Tags:, , ,

Depois de publicar seu último artigo, em outubro de 2001, o “Hebdomadário Estado do Sertão”, de proposta essencialmente crítico-ensaística, lança o mais novo texto de Elomar Figueira Mello: “Incômpt et Impromptus”. Escrito em 27 de março de 2014, o artigo faz uma citação da coragem destemida dos fabulistas gregos Fedro e Esopo, para, como que um desabafo, sem ter a quem indagar, fazer uma reflexão sobre o trânsito em Vitória da Conquista. Para ler, acesse o “Hebdomadário Estado do Sertão”, na Porteira Oficial de Elomar Figueira Mello:

.

Por Rossane Nascimento

Terssália, Urgente – Do Correspondente especial de Guerra para o Estado do Sertão

 Elomar Figueira Mello. 

Incômpt et Impromptus*

Há muitos, muitos séculos passados, coisa de dois mil quinhentos e um bom punhado de anos, viveu na lendária Grécia um escravo muito inteligente e destemido. Veio a este mundo com distorções físicas cruéis; era deformado de rosto e de corpo, corcunda rejeitado por quem quer que o olhasse, contudo senhor de um fino espírito crítico e pleno de sabedoria na separação do que é justo, daquilo que é perverso. No meu juízo eu sempre o tive como o mais importante dos pré-socráticos, mesmo que relegado a um simples fabulista pelo tribunal classificatório da pedante e preconceituosa academia dos tempos modernos. Digo mais, Sócrates não passa de um simples pós-Ele. Mesmo sendo escravo encoleirado, sua superioridade intelectiva forçou em seu senhor o reconhecimento da grandeza de sua pessoa, não só consentindo o assentamento de seu fabulário, – de crítica severa e implacável à Ordem sistêmica de então – como também o alforriando após a ciência de tal fato. Seu nome, Esopo. …Leia na íntegra