Mais um brasileiro é executado por fuzilamento na Indonésia

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Mundo | Data: 28 abr 2015

Tags:, ,

por Mateus Novais

rodrigo-gularteOito condenados à morte na Indonésia por tráfico de drogas, incluindo o brasileiro Rodrigo Gularte, foram executados na madrugada de quarta-feira (29) – horário local. Uma filipina, que também estava no corredor da morte, foi poupada de forma inesperada, de acordo com o Portal Uol.

O brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte, de 42 anos, morreu por fuzilamento na ilha de Nusakambangan, cumprindo uma condenação à morte por tráfico de drogas. Ele foi o segundo brasileiro executado na Indonésia em 2015 – o carioca Marcos Archer Cardoso Moreira, 53, teve o mesmo destino em 17 de janeiro, também pelo crime de tráfico.

O paranaense foi condenado à morte em 2005, um ano após ser preso no aeroporto de Jacarta com 6 kg de cocaína escondidos em pranchas de surfe.

Brasileiro é executado na Indonésia por tráfico de drogas

0

Publicado por Editor | Colocado em Mundo | Data: 17 jan 2015

Tags:, ,


BBC

Marco Archer Cardoso Moreira foi o primeiro brasileiro executado no exterior após ser julgado pela justiça

Foto: Beawiharta / Reuters

Apesar de pedidos de clemência vindos de ONGs internacionais e mesmo diretamente da presidente Dilma Rousseff, o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi executado na tarde deste sábado na Indonésia pelo crime de tráfico de drogas.

O cumprimento da pena capital foi confirmado por um porta-voz da Procuradoria Geral do país à BBC Indonésia.

Preso desde 2003 depois de ser flagrado no aeroporto da capital Jacarta com 13,4kg escondidos em ferragens de uma asa delta, o carioca foi condenado à morte em 2004.

Ele é não apenas o primeiro brasileiro a ser executado no exterior, mas também o primeiro ocidental morto pelas autoridades da Indonésia, país em que o tráfico de drogas é punido com a esta pena.

Archer e outros três prisioneiros estrangeiros, além de uma mulher indonésia, foram fuzilados pouco depois da meia noite (15h de Brasília) na prisão de segurança máxima da Ilha de Nusakambangan, na costa de Java, no Oceano Índico.

Antes da execução, o brasileiro teve a chance de um encontro com seu parente mais próximo, a tia Maria de Lourdes Archer Pinto, de 61 anos, que viajou do Brasil levando alguns itens para sua última refeição.

Pedido negado

Na sexta-feira, após uma semana de tentativas, Dilma conseguiu falar por telefone com o presidente da Indonésia, Joko Widodo, para fazer um apelo pessoal pelas vidas de Archer e do outro brasileiro preso na Indonésia por tráfico de drogas, Rodrigo Muxfeldt Gularte – também condenado à morte, com execução prevista para fevereiro.