Prefeitura pagava quase 1 milhão por mês de horas extras e extingue essa prática na atual gestão

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 31 jan 2018

Tags:, ,

da Redação

A Prefeitura de Vitória da Conquista, já a partir da folha deste mês de janeiro, promoveu a extinção das horas extras que tem um peso de quase 1 milhão por mês.

O Governo Federal e também o Governo do Estado da Bahia não pagam horas extras. A cultura do pagamento de horas extras promove uma verdadeira sangria nas prefeituras da Bahia.

A queda da arrecadação do município de Vitória da Conquista foi drástica. Na Educação foram R$ 15 milhões a menos em comparação ao ano de 2016. No FPM a queda de arrecadação foi superior a 40%.

A Prefeitura de Vitória da Conquista continua cumprindo as suas obrigações pagando salários e 13º em dia. A UPB noticiou que 60% das prefeituras da Bahia estão em condições de dificuldades em honrar o pagamento de servidores.

 

Câmara de Deputados pagou, até outubro, R$ 60,6 milhões em horas extras

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Política, Trabalho | Data: 11 nov 2013

Tags:, ,

por Paulo Anderson Rocha

camara_agenciacamaraDe acordo com matéria publicada pelo Correio Brasiliense, a Câmara dos Deputados está perto de bater o recorde de valor em pagamento de horas-extras ao servidores da Casa. O maior valor anual registrado com esse tipo de despesa aconteceu em 2011, quando o valor gasto foi de R$ 69,4 milhões.

Em 2013, até o mês de outubro, o gasto com horas extras foi de 60,6 milhões de reais. Em novembro e dezembro, a previsão é que hajam muitas sessões deliberativas, com matérias polêmicas, o que deve fazer o recorde ser quebrado.

A casa já devia contar com sistema de ponto eletrônico, para registrar e controlar os expedientes dados pelos servidores efetivos e comissionados desde o mês de abril. Contudo, os servidores fazem pressão para que a implantação do sistema seja adiada, uma vez que com a renda das horas extras, eles podem compensar o corte dos salários que ultrapassam o teto constitucional, uma vez que a receita extra não conta para esse limite.

A matéria cita que a direção da Câmara atribui o aumento das despesas com horas extras ao grande número de sessões noturnas realizadas neste ano, similar ao que aconteceu em 2011.

Imagem: Agência Câmara