Carreta com 440 mil maços de cigarro é apreendida em Conquista

0

Publicado por Editor | Colocado em Polícia | Data: 11 jul 2017

Tags:, , ,

Da Redação

Foto: Divulgação PRF

Uma carreta com 440 mil maços de cigarro foi apreendida em Vitória da Conquista, após o motorista do veículo não parar no posto fiscal da Receita Federal. A apreensão aconteceu nessa segunda (10)

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), agentes foram acionados e conseguiram parar o veículo quando ele passava por Vitória da Conquista.  Ainda segundo a PRF, a carga estava avaliada em R$ 2 milhões.

A carga de cigarros está à disposição da Receita Federal. Já o motorista da carreta conseguiu fugir.

Wagner adverte para ninguém vender as unidades do projeto Minha Casa Minha Vida

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 15 out 2013

Tags:, , ,

da Redação

WAgner BEm seu discurso durante a visita da Presidente Dilma Roussef, na manhã desta terça-feira (15), para entrega das casas dos condomínios, Ipê, Jequiitibá, Pau Brasil e Acácias, o governador Jaques Wagner chamou a atenção dos moradores para não venderem as casas e disparou: “Se souber que alguém vendeu a casa, vão perder o imóvel e mando passar a casa para quem precisa. Andou fora da linha vai cair no cacete”, sentenciou. Anunciou também que envolverá a Polícia Federal para apurar.

Presidente da Casa do Amor lamenta pessoas que utilizam nome da instituição para receber doações de forma ilegal

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 30 abr 2013

Tags:, , ,

Por Rodrigo Ferraz

imagesA presidente da Casa do Amor (Casa do Câncer) de Vitória da Conquista, Maria do Carmo (foto), participou hoje (terça-feira) do programa Resenha Geral e denunciou pessoas que estão utilizando o nome da instituição para receber doações de forma ilegal.

“Eu lamento esse fato, porque existem pessoas que utilizam o nome da Casa do Amor em vão. Estamos precisando, sim, de doações e pedimos para quem quiser ajudar vá a Casa do Câncer e leve os donativos”.

Carminha, como é carinhosamente conhecida, informou que, atualmente, a entidade conta com 75 pessoas que são de outras cidades e não têm condições de permanecerem na capital do Sudoeste para tratamento.