Luto: Goleiro ídolo de time da Indonésia morre após se chocar com brasileiro

0

Publicado por Editor | Colocado em Esportes | Data: 15 out 2017

Tags:, , ,


da Redação
Fonte: Redação Goal (Conteúdo)

Choirul Huda tinha 38 anos e defendia o Persela Lamongan desde 1999; Clube decreta luto e homenageia o jogador
 

O futebol e o mundo receberam uma triste notícia neste domingo. Choirul Huda, goleiro e ídolo do Persela Lamongan da Indonésia morreu após se chocar contra um jogador do seu próprio time. O goleiro que defendia o Persela desde 1999 correu para rebater a bola, em lance dentro da área, e colidiu contra o brasileiro Ramon Rodrigues, que tentava afastar a bola do gol.

Apesar do lance normal de jogo, o goleiro precisou de um rápido atendimento dentro de campo, com o jogo sendo paralisado imediatamente. A partida, transmitida ao vivo pela “TV One” que captou as imagens do choque.

Huda chegou a levantar a cabeça após o choque, mas levou as mãos à boca e novamente caiu no gramado. Os paramédicos correram para colocá-lo em uma maca e levá-lo ao hospital de ambulância.

De acordo com um dos paramédicos, o arqueiro de 38 anos estava consciente e reclamava de dores no peito, mas a caminho da unidade de saúde acabou desmaiando, entrando em situação crítica.

No Hospital Regional Geral de Lamongan, Huda recebeu os cuidados médicos, mas não resistiu. Ele foi declarado morto por volta de 17h (8h no horário de Brasília). Após o apito final, vários jogadores das duas equipes seguiram para o hospital, mas pouco depois o técnico Aji Santoso confirmou a morte que segundo o médico responsável, ocorreu em decorrência de traumas na cabeça e no pesçoco.

“A morte de Choirul Huda nos afetou com força”, destacou o treinador. O clube decretou luto e homenageou o jogador no Twitter.

Mais um brasileiro é executado por fuzilamento na Indonésia

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Mundo | Data: 28 abr 2015

Tags:, ,

por Mateus Novais

rodrigo-gularteOito condenados à morte na Indonésia por tráfico de drogas, incluindo o brasileiro Rodrigo Gularte, foram executados na madrugada de quarta-feira (29) – horário local. Uma filipina, que também estava no corredor da morte, foi poupada de forma inesperada, de acordo com o Portal Uol.

O brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte, de 42 anos, morreu por fuzilamento na ilha de Nusakambangan, cumprindo uma condenação à morte por tráfico de drogas. Ele foi o segundo brasileiro executado na Indonésia em 2015 – o carioca Marcos Archer Cardoso Moreira, 53, teve o mesmo destino em 17 de janeiro, também pelo crime de tráfico.

O paranaense foi condenado à morte em 2005, um ano após ser preso no aeroporto de Jacarta com 6 kg de cocaína escondidos em pranchas de surfe.

Governo da Indonésia nega pedido de clemência do Planalto para outro brasileiro

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Mundo, Política | Data: 20 jan 2015

Tags:, , ,

Do Blog do Reinaldo Azevedo
Por Bela Megale, na VEJA.com:

Reinaldo AzevedoO presidente da Indonésia, Joko Widodo, rejeitou nesta terça-feira o pedido de clemência feito pelo governo do Brasil em benefício do brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte, de 42 anos, condenado à morte por tráfico de drogas. Em nota, o Itamaraty confirmou a recusa e afirmou que “irá esgotar todas as possibilidades de comutação da pena do nacional Rodrigo Gularte permitidas pelo ordenamento jurídico da Indonésia”.

Gularte está preso desde 2004, quando tentou entrar na Indonésia com seis quilos de cocaína escondidos em pranchas de surfe. Um ano depois, foi condenado à pena capital. Neste sábado, o também brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi fuzilado, depois de passar mais de uma década no corredor da morte. Condenado em 2004 por tráfico de drogas, teve negados os dois pedidos de clemência a que tinha direito. Foi a primeira vez que um brasileiro foi executado no exterior. Além dele, um holandês, um nigeriano, um malauiano, uma vietnamita e uma indonésia enfrentaram o pelotão de fuzilamento no fim de semana.

Diagnosticado com esquizofrenia, Gularte tenta, por meio de sua defesa, ser internado em um hospital psiquiátrico e, assim, livrar-se da pena capital. De acordo com as leis daquele país, portadores de doenças mentais não podem ser executados. Sua prima, Angelita Muxfelt, viajou à ilha de Nusakambangan, onde ele está preso, com um laudo médico que atesta a doença, elaborado a pedido do governo brasileiro. Nos próximos dias, Angelita pretende encontrar um médico de um hospital próximo ao presídio para falar da situação do condenado. …Leia na íntegra

Após execução de brasileiro Dilma chama embaixador

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Mundo | Data: 17 jan 2015

Tags:, , ,

Diário do Poder

Foto: André Dusek/AE

O Palácio do Planalto confirmou a execução neste sábado em Jacarta, às 15h31 (horário de Brasília), do brasileiro Marco Archer. A presidente Dilma Roussef, em nota, disse estar “consternada e indignada” com o ocorrido. Marco Archer foi condenado à morte após ter sido julgado e condenado por ter ingressado na Indonésia com 13 quilos de cocaína, há 11 anos.

Na sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff tentou, em telefonema, convencer o presidente da Indonésia, Joko Widodo, a suspender a execução do brasileiro de 53 anos, ressaltando que fazia um “pedido humanitário”, “como chefe de Estado e mãe”. Mas, não teve sucesso na tentativa.

Para a presidente Dilma, a decisão do presidente indonésio “afeta gravemente as relações entre nossos países”. A nota do governo brasileiro informa ainda que o embaixador do Brasil em Jacarta está sendo chamado a Brasília para consultas.

Este é um dos primeiros gestos na diplomacia de demonstração de estremecimento nas relações bilaterais. A nota diz ainda que “o recurso à pena de morte, que a sociedade mundial crescentemente condena, afeta gravemente as relações entre nossos países”.

No comunicado do governo brasileiro distribuído na tarde deste sábado, o Palácio do Planalto lembrava que “sem desconhecer a gravidade dos crimes que levaram à condenação de Archer e respeitando a soberania e o sistema jurídico indonésio, a presidenta Dilma dirigiu pessoalmente, na sexta-feira última, apelo humanitário ao seu homólogo Joko Widodo, para que fosse concedida clemência ao réu, como prevê a legislação daquele país”.

Ainda de acordo com o Planalto, “a presidente Dilma lamenta profundamente que esse derradeiro pedido, que se seguiu a tantos outros feitos nos últimos anos, não tenha encontrado acolhida por parte do Chefe de Estado da Indonésia, tanto no contato telefônico como na carta enviada, posteriormente, por Widodo”.

E acrescenta: “o recurso à pena de morte, que a sociedade mundial crescentemente condena, afeta gravemente as relações entre nossos países”. E conclui dizendo que “nesta hora, a Presidenta Dilma dirige uma palavra de pesar e conforto à família enlutada”.(AE)

Brasileiro é executado na Indonésia por tráfico de drogas

0

Publicado por Editor | Colocado em Mundo | Data: 17 jan 2015

Tags:, ,


BBC

Marco Archer Cardoso Moreira foi o primeiro brasileiro executado no exterior após ser julgado pela justiça

Foto: Beawiharta / Reuters

Apesar de pedidos de clemência vindos de ONGs internacionais e mesmo diretamente da presidente Dilma Rousseff, o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi executado na tarde deste sábado na Indonésia pelo crime de tráfico de drogas.

O cumprimento da pena capital foi confirmado por um porta-voz da Procuradoria Geral do país à BBC Indonésia.

Preso desde 2003 depois de ser flagrado no aeroporto da capital Jacarta com 13,4kg escondidos em ferragens de uma asa delta, o carioca foi condenado à morte em 2004.

Ele é não apenas o primeiro brasileiro a ser executado no exterior, mas também o primeiro ocidental morto pelas autoridades da Indonésia, país em que o tráfico de drogas é punido com a esta pena.

Archer e outros três prisioneiros estrangeiros, além de uma mulher indonésia, foram fuzilados pouco depois da meia noite (15h de Brasília) na prisão de segurança máxima da Ilha de Nusakambangan, na costa de Java, no Oceano Índico.

Antes da execução, o brasileiro teve a chance de um encontro com seu parente mais próximo, a tia Maria de Lourdes Archer Pinto, de 61 anos, que viajou do Brasil levando alguns itens para sua última refeição.

Pedido negado

Na sexta-feira, após uma semana de tentativas, Dilma conseguiu falar por telefone com o presidente da Indonésia, Joko Widodo, para fazer um apelo pessoal pelas vidas de Archer e do outro brasileiro preso na Indonésia por tráfico de drogas, Rodrigo Muxfeldt Gularte – também condenado à morte, com execução prevista para fevereiro.

Brasileiro no corredor da morte na Indonésia

0

Publicado por Editor | Colocado em Mundo | Data: 10 jan 2015

Tags:, ,

da Redação

Foto: Reuters (Google)

MorteO brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos foi condenado à pena de morte na Indonésia, país localizado entre o Sudeste Asiático e a Austrália, sendo o maior arquipélago do mundo.

O Governo Federal encaminhou no dia 31 de dezembro pedido de clemência que foi negado pelas autoridades daquele país. Foi o segundo pedido para o brasileiro que foi condenado por tráfico de drogas e deve ser executado. Tony Spontana, porta-voz da Procuradoria-Geral da Indonésia, afirmou que ainda não há data confirmada para execução (fuzilamento), que deverá ocorrer ainda este mês de janeiro. Segundo informações da Folha de S. Paulo, o gabinete da presidente Dilma Rousseff avalia se há alguma outra forma de impedir a morte do brasileiro. Até lá o brasileiro Marco Archer permanece no corredor da morte