Transição empurra benefício para depois dos 60 anos

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 24 fev 2019

Tags:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é PEL-1.gif

Clayton Castelani
do Agora

Duas das três regras de transição da reforma da Previdência proposta pelo governo nivelam por cima as idades de aposentadoria de trabalhadores na faixa dos 50 anos de idade e que têm expectativa de se aposentar entre os próximos três e cinco anos.

Para esse grupo, as opções oferecidas pelo projeto apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro empurram a idade da aposentadoria para perto ou além dos 60 anos de idade.

No primeiro sistema de transição, a idade mínima começa em 56 anos (mulheres) e 61 anos (homens), progredindo seis meses ao ano até chegar a 62 e 65 anos, para mulheres e homens, respectivamente.o

Corrija erros no INSS para conseguir a aposentadoria

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 18 mar 2017

Tags:, ,

Clayton Castelani
do Agora

A concessão da aposentadoria ou de outros benefícios do INSS pode ser mais rápida e fácil para o trabalhador que, de forma antecipada, descobre e corrige falhas no seu extrato de contribuições previdenciárias.

Mas desde o segundo semestre do ano passado, os canais de atendimento do instituto não permitem ao segurado agendar atendimento em uma agência da Previdência Social para consertar informações do Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais).

Aos segurados que tentam marcar uma data para fazer o acerto de vínculos e remunerações, a Central de Atendimento 135 da Previdência Social informa que esse serviço só é realizado quando o contribuinte solicita um benefício ou a aposentadoria.

Essa afirmação, aliás, foi repetida ao Agora por diferentes funcionários da Central 135 na última quinta-feira.

A página da Previdência na internet também reforça que a atualização pode ser feita na ocasião do requerimento do benefício, “dispensando agendamento específico para este fim”, diz o texto, atualizado em 29 de julho de 2016.

As orientações do órgão criam empecilho ao acesso a direitos previstos na legislação previdenciária, que garantem ao segurado a possibilidade de solicitar, a qualquer momento, a inclusão, exclusão ou retificação de informações do Cnis, segundo o advogado Rômulo Saraiva.

“O INSS está dificultando o acesso ao direito, e isso é totalmente ilegal”, afirma Saraiva.