Valdir Chemello é condenado a 13 anos de prisão, em semiliberdade

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 14 out 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

DSC_1343

Nesta quarta-feira (14), Valdir Chemello, acusado de matar o empresário Reginaldo Alves Ferraz, em novembro de 2006, foi sentenciado a 13 anos de prisão. O júri popular foi marcado pela ausência do réu, que conseguiu um laudo médico atestando a impossibilidade de saúde. Ainda assim, o juri condenou Valdir a 12 anos por homicídio qualificado e mais 1  ano por ocultação de cadáver.

Em entrevista a repórter da Resenha Geral, Mônica Cajaíba, o Ministério Público comemorou a decisão do juri. “Foi bárbaro esse crime. Tínhamos muita confiança de que esse pedido ia ser atendido. Prestamos contas a comunidade e demos uma satisfação à família, principalmente a mãe da vítima que tanto padece”, aponta o promotor de Justiça José Jucera.

DSC_1391

Enquanto isso, a mãe de Reginaldo se queixou da lentidão da Justiça brasileira (o julgamento foi suspenso por pelo menos quatro vezes) e lembrou que o crime ocorreu há quase 9 anos, quando a filha da vítima ainda tinha 7 anos. “Vai completar nove anos agora em novembro. É um absurdo! Se fosse um ladrão de galinha já estava preso. Mas o que me revolta é a crueldade”, dona Arani Lopes.

Além da prisão, o juiz Reno Soares determinou o pagamento de 10 dias multa sobre 1/30 de salário mínimo ao tempo do fato e as custas processuais. Valdir também terá que pagar um valor, ainda não definido, sobre os danos causados pelo homicídio. Mirtes, sua esposa, já tinha sido julgada, em dezembro de 2014, quando foi condenada a 6 anos e cumpre a pena em regime aberto.

Julgamento do Casal Chemello é suspenso; esposo será julgado separado

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 11 jun 2014

Tags:, , ,

por Mateus Novais

MIRTESUma manobra do advogado de defesa do casal Chemello adiou o julgamento que estava acontecendo na manhã desta quarta-feira (11). A defesa arguiu a interposição de um agravo em um recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal (STF). Em razão dessa alegação, o Ministério Público concordou com o adiamento do julgamento do réu Valdir Chemello, acusado de matar, com requintes de crueldade, Reginaldo Alves Ferraz.

Como o recurso diz respeito apenas a Valdir, o Juiz da Vara do Juri de Vitória da Conquista, Reno Soares, determinou a separação dos julgamentos. Sendo assim, Mirtes Chemello (foto) será julgada na próxima quarta (18). A nova data do julgamento de Valdir só será marcada após a apreciação do recurso pelo STF.

Julgamento o casal Valdir e Mirte Chemello está em andamento no Fórum João Mangabeira

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 11 jun 2014

Tags:, , ,

por Mateus Novais

DSC_1343Começou hoje (quarta-feira, 11) o julgamento do casal Valdir e Mirte Chemello. Os dois são acusados como autores do assassinato do empresário Reginaldo Alves Ferraz, morto em novembro de 2006, com requintes de crueldade. O casal está sendo submetido à Júri Popular, no Fórum João Mangabeira.

A expectativa é que o julgamento termine ainda nesta quarta.

Segundo a acusação, Valdir Chemello (62 anos) matou Reginaldo porque desconfiava que Mirtes (36 anos) alimentasse um relacionamento extraconjugal com ele. As investigações mostraram que o marido contou com a ajuda da própria mulher para cometer o assassinato. Mirte teria atraído o empresário à residência do casal, no bairro Recreio, em Conquista, para um encontro amoroso, mas era Valdir, acompanhado de outros homens, que o aguardava no local. Levado para uma fazenda no município de Barra do Choça, Reginaldo foi torturado, morto a tiros e queimado. …Leia na íntegra

Julgamento do casal Valdir e Mirtes Chamello começará na próxima quarta (11)

0

Publicado por Editor | Colocado em Justiça | Data: 05 jun 2014

Tags:, , ,


 por Mateus Novais

Reginaldo Alves Ferraz BBTerá início na próxima quarta-feira (11) o julgamento do casal Valdir e Mirte Chemello. Os dois são acusados como autores do assassinato do empresário Reginaldo Alves Ferraz (foto), morto em novembro de 2006, com requintes de crueldade. O Júri Popular está previsto para começar a partir das 8 horas no Fórum João Mangabeira.

Segundo a acusação, Valdir Chemello (62 anos) matou Reginaldo porque desconfiava que Mirtes (36 anos) alimentasse um relacionamento extraconjugal com ele. As investigações mostraram que o marido contou com a ajuda da própria mulher para cometer o assassinato. Mirtes teria atraído o empresário à residência do casal, no bairro Recreio, em Conquista, para um encontro amoroso, mas era Valdir, acompanhado de outros homens, que o aguardava no local. Levado para uma fazenda no município de Barra do Choça, Reginaldo foi torturado, morto a tiros e queimado.

Com problemas de saúde, Valdir está cumprindo pena em regime domiciliar, em Vitória da Conquista, e até hoje não revelou os nomes dos comparsas que o ajudaram a eliminar o empresário de 30 anos. Mirtes está presa no Presídio Regional Nilton Gonçalves.

Acusado de assassinar menina de 5 anos em Vitória da conquista é inocentado em júri popular

0

Publicado por Resenha Geral | Colocado em Justiça, Vit. da Conquista | Data: 10 abr 2014

Tags:,

Da Redação

Marcelle YasminAcabou no início desta quarta-feira (09), no Fórum João Mangabeira, em Vitória da Conquista, o júri popular que acabou inocentando Francisco Diacísio. Ele era acusado de ter assassinado a menina Marcelle Yasmin Cardoso, de 5 anos, no ano de 2010. Francisco foi inocentado por 4 votos a favor e apenas 1 contra. O júri começou na manhã de ontem, familiares da menina compareceram ao júri e se manifestaram com faixas e fotos, exigindo justiça e a condenação do suspeito.

Na época do crime a Yasmim teria ido passar o final de semana na casa da mãe, que teria se ausentado por alguns instantes, e quando voltou a menina já não estava mais no local. O corpo de Yasmin foi localizado dias depois enterrado em um matagal no bairro Panorama, também, em Vitória da Conquista.

O principal suspeito do crime era namorado da mãe da criança. Ele já respondia a um processo na justiça por homicídio.