Para empresários, redução de impostos e juros deve ser prioridade do próximo governo

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 30 ago 2018

Tags:, , ,

Banner marcelo santana

da Redação
Fonte: CDL (Reprodução)

Maioria do empresariado dos setores de varejo e serviços está otimista com economia para 2019 e defende sistema tributário transparente e eficiente; 50% checam se informações sobre candidatos na internet são fake news

Os empresários dos setores de varejo e serviços estão otimistas com a economia para 2019, quando o país terá um novo presidente. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que 54% dos entrevistados esperam um cenário econômico melhor para o próximo ano e 71% anseiam que a nova gestão promova mudanças em relação às diretrizes atuais. Entre as prioridades mencionadas para o presidente que assumirá em 1º de janeiro, 52% destacam a redução de impostos e 34% a queda dos juros. Em terceiro lugar, aparece o combate à corrupção (28%), seguida da diminuição da burocracia (16%).

Para os próximos cinco anos, 37% dos empresários almejam mudanças no sistema tributário, tornando-o mais simples, transparente e eficiente. Já 36% desejam um país menos burocrático, que contribua para a atividade empreendedora, enquanto 31% querem políticas públicas que impulsionem o crescimento das empresas. …Leia na íntegra

Caixa vai reduzir juros no crédito imobiliário para pessoa jurídica

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 02 ago 2018

Tags:, ,

banner alfa park

da Redação
Fonte: A Tarde/Estadão / CDL (conteúdo)

A Caixa anunciou redução das taxas de juros do crédito imobiliário para o segmento “Produção Pessoa Jurídica”, com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). As taxas serão reduzidas em média de 1 a 2 pontos porcentuais ao ano (a.a.), sendo a taxa mínima de 9% a.a., de acordo com o porte, rating, nível de relacionamento das empresas com a Caixa e a sustentabilidade do projeto, como informa o banco em comunicado.

“Como o cenário econômico está apresentando sinais de retomada, o banco reposicionou suas taxas de juros do SBPE e, atendendo à estratégia que valoriza a escolha da Caixa como banco de principal relacionamento, propôs-se a tratar de forma diferenciada os clientes com bom índice de relacionamento e com uma abordagem de incentivo ao cliente de menor risco, em razão da sua nota de score”, explica o vice-presidente de Habitação da Caixa, Paulo Antunes de Siqueira, na nota.

O objetivo é a “retomada dos lançamentos de empreendimentos para geração de emprego, renda e acesso a moradia”, ainda segundo o comunicado.

Veja como os aposentados garantem juros menores

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 25 dez 2017

Tags:, ,

Letícia Naísa e Clayton Castelani
do Agora

Pedir um empréstimo consignado é tentador para o aposentado que está precisando de grana.

Mas, antes de assumir esse tipo de dívida, é importante avaliar os riscos e pesquisar quais opções têm juros mais baixos.

Para beneficiários da Previdência Social, o empréstimo consignado costuma ser uma opção mais barata em relação a outros tipos de crédito.

A taxa máxima nessa modalidade é regulada pelo governo e, atualmente, está em 2,08% ao mês.

Isso não significa que o dinheiro do consignado seja barato.

Os juros chegam a quase 25% ao ano -é muito mais do que os cerca de 3% de aumento que os benefícios do INSS terão em 2018.

Juros do cartão de crédito e do cheque especial sobem em outubro e seguem acima de 300% ao ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 26 nov 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte G1 / CDL (Conteúdo)

Informações foram divulgadas nesta sexta-feira pelo Banco Central

As taxas de juros médias cobradas no cartão de crédito rotativo e no cheque especial pelas instituições financeiras nas operações com pessoas físicas registraram alta em outubro deste ano e continuaram acima da marca de 300% ao ano, de acordo com informações divulgadas pelo Banco Central nesta sexta-feira (24).

Em outubro, os juros médios das operações com cartão de crédito somaram 337,9% ao ano, com aumento de 5,5 pontos percentuais em relação ao mês anterior (332,4% ao ano). Já a taxa média cobrada no cheque especial avançou de 321% ao ano, em setembro, para 323,7% ao ano em outubro – uma alta de 2,4 pontos percentuais.

O cartão de crédito rotativo e o cheque especial estão entre as linhas de crédito mais caras do mercado. segundo especialistas, elas só devem ser utilizadas em momentos de máxima emergência e por um prazo curtíssimo, já que os juros continuam em um patamar muito alto.

A recomendação é que os clientes bancários substituam essas modalidades por linhas mais baratas, como, por exemplo, o crédito consignado, em que as prestações do empréstimo são descontadas da folha de pagamentos.

Novas regras do cartão de crédito

…Leia na íntegra

Aposentado já consegue consignado com taxa menor

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 07 nov 2017

Tags:, ,

Cristiane Gercina
do Agora

Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) já podem contratar o crédito consignado com juros menores em todos os bancos.

A taxa de 2,08% ao mês foi implantada pelo governo no final de setembro, mas só começou a valer oficialmente ontem, com a publicação de uma resolução no “Diário Oficial da União”.

Antes, os juros mensais do crédito consignado, empréstimo que tem desconto direto no benefício, eram de até 2,14% ao mês.

Com o novo percentual, por ano, a taxa caiu de 28,9% para 28%.

Para reduzir juros, governo vai mudar lei de sigilo bancário

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 07 jul 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte: CDL (Com Estadão Conteúdo)

Mudança quer incluir 150 milhões de pessoas e empresas no Cadastro Positivo, que auxilia os consumidores a conseguirem taxas de juros mais baixas

Para tentar reduzir o custo de crédito no Brasil, o governo prepara projeto de lei para alterar a lei de sigilo bancário. A proposta é deixar claro que, ao fornecerem dados financeiros e de crédito de seus correntistas para gestores de bancos de dados (como Serasa ou Boa Vista SCPC), os bancos não estarão quebrando o sigilo. A minuta do projeto já está pronta.

Com essa medida, o governo espera destravar o Cadastro Positivo – o histórico de bom pagador que auxilia os consumidores (pessoas físicas e empresas) a conseguirem taxas de juros mais baixas na hora de negociar um empréstimo ou comprar um produto parcelado. A ideia é que pessoas que sempre pagaram em dia seus empréstimos são um risco menor para quem empresta o dinheiro. Portanto, teriam direito a um juro menor.

Criado em 2011, o Cadastro Positivo, porém, não funcionou na prática. E parte desse fracasso é explicada pelo fato de os bancos terem resistência a abrir os dados de crédito de seus clientes, pelo temor de estarem infringindo o sigilo bancário. E é isso que o governo quer reverter.

Segundo fontes, o Brasil tem hoje cerca de 5,5 milhões de consumidores inscritos no Cadastro Positivo, mas o potencial é de 150 milhões (pessoas físicas e empresas). Com as mudanças, o governo quer chegar perto desse patamar.

Órgãos de defesa do consumidor, porém, questionam a medida. Dizem que não há garantia de que haverá queda de juros e dizem também temer a falta de transparência em relação ao funcionamento do mecanismo e ao uso dos dados. …Leia na íntegra

Juros é a principal barreira para 38% dos empresários que não buscam crédito

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 31 maio 2017

Tags:,

da Redação
Conteúdo CNDL

57% dos comerciantes e empresários de serviços acreditam que crédito impulsiona competitividade dos negócios. Para 28%, bancos públicos são as melhores instituições para contratar empréstimos e financiamentos

As altas taxas de juros cobradas pelas instituições financeiras são o principal motivo para os empresários dos ramos do comércio e serviços não buscarem crédito para investir e desenvolver seus negócios. A constatação é de uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com empresários de todos os portes nas 27 capitais. De acordo com o levantamento, entre aqueles que nunca recorreram a empréstimos e financiamentos, quatro em cada dez (38%) atribuem a decisão ao fato de considerarem os juros elevados. A burocracia no processo de aprovação de um empréstimo foi citada por 12% dos entrevistados. Outro motivo é que 44% desses empresários conseguem manter a operação da empresa com recursos próprios. No total, 58% dos varejistas nunca utilizaram, ou ao menos buscaram, crédito na forma de empréstimos ou financiamentos.

Levando em consideração os últimos 12 meses, apenas 9% dos comerciantes e empresários do ramo de serviços tomaram recursos emprestados de terceiros. Outros 5% tentaram fazê-lo, mas não conseguiram, sendo que 3% acabaram desistindo e 2% tiveram o crédito negado.

“Com a demanda do consumidor retraída e a atividade econômica estagnada no país, inclusive com piora dos índices de empregabilidade e de renda, o empresariado brasileiro tem se mostrado pouco interessado em aumentar investimentos em seus negócios. Embora a Selic se encontre em uma trajetória consistente de queda, os juros praticados pelas instituições financeiras seguem altos, o que infelizmente contribui para inibir a busca por crédito”, afirma o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Pensando nas medidas que poderiam aproximar o empresariado do crédito, os entrevistados destacam, principalmente, a flexibilização da documentação exigida (49%), alteração na política de garantias (38%), diminuição de exigência de capital próprio (38%) e das exigências quanto ao plano de negócio (35%). De acordo com a pesquisa, 57% dos empresários do varejo acreditam que linhas de financiamento bancário estimulam os investimentos, aumentando a produtividade e competitividade da empresa. Atribuindo uma nota de um a 10 para a importância do crédito no crescimento e manutenção do negócio, em que 10 significa máxima importância, os entrevistados deram nota média 6,1, sendo que 47% deram nota acima de 7,0. …Leia na íntegra

Temer derruba inflação e reduz taxa básica de juros para 13% ao ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia, Vit. da Conquista | Data: 12 jan 2017

Tags:, ,

da Redação
Com informações do Diário do Povo

O presidente Michel Temer, está comemorando a grande vitória de ter derrubado o ritmo acelerado da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ter ficado em 6,29% no ano passado, abaixo do teto da meta. O presidente realça que isso mostra que a política adotada pelo governo está no caminho certo e tem dado resultados positivos.

“Hoje temos uma boa notícia sobre a inflação oficial”, afirmou Temer, em discurso na abertura de uma reunião sobre infraestrutura. “Ninguém esperava, no fim do ano, que se chegasse abaixo da meta estabelecida.”

Temer destacou ainda que as projeções para 2017 são de uma inflação mais baixa que a do ano passado. “A projeção para este ano é de uma redução ainda maior da inflação, para ficar, na verdade, no centro da meta. Penso que isso seja uma boa notícia que eu quero compartilhar com os colegas, amigos e ministros do setor de infraestrutura do governo”, disse. “Temos cumprido tudo aquilo que temos projetado.”

Juros do rotativo do cartão de crédito chegam ao recorde de 482,1% ao ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 24 dez 2016

Tags:, ,

Da Redação
Com informações do A Tarde

O juro médio total cobrado no rotativo do cartão de crédito subiu 6,3 pontos porcentuais de outubro para novembro, informou nesta sexta-feira, 23, o Banco Central. Com a alta na margem, a taxa passou de 475,8% ao ano em outubro para 482,1% ao ano em novembro. Esta é a maior taxa da série histórica do BC para o rotativo do cartão de crédito, iniciada em março de 2011.

O juro do rotativo é a taxa mais elevada desse segmento e também a mais alta entre todas as avaliadas pelo BC, batendo até mesmo a do cheque especial.

No caso do parcelado, ainda dentro de cartão de crédito, o juro caiu 1,1 ponto porcentual de outubro para novembro, passando de 156,1% ao ano para 155,0% ao ano.

Nesta quinta-feira, 22, o presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmaram que as regras do crédito rotativo vão mudar. A intenção é fazer com que, após um mês no rotativo, o cliente tenha sua dívida automaticamente transferida para o parcelado, que possui taxas de juros menores. A mudança está sendo formulada pelo Banco Central e precisará ser aprovada no Conselho Monetário Nacional (CMN).

Governo faz pressão para que bancos públicos reduzam taxas de juros

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 21 dez 2016

Tags:, ,

da Redação
Fonte : R7 / CDL / Conquista

Ideia é estimular competição e a redução também nas instituições privadas

A equipe econômica e o Palácio do Planalto começam a pressionar os bancos públicos a iniciar um processo de redução das taxas de juros e fomentar a concorrência com os concorrentes privados.

A avaliação é que esse movimento será respaldado pela queda dos juros básicos da economia, principalmente a partir de 2017, quando o Banco Central aumentar o ritmo dos cortes.

Além disso, o governo acredita que os bancos terão os custos reduzidos com ações que serão divulgadas nesta terça-feira, 20, pelo BC, como a desburocratização na obrigatoriedade de cumprimento do depósito compulsório – dinheiro que os bancos são obrigados a deixar no BC remunerado à taxa Selic.

O uso de bancos públicos para ajudar na política econômica recebeu muitas críticas nos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, quando Banco do Brasil e Caixa financiaram o aumento do consumo e capitanearam uma queda forçada nas taxas de juros. Uma das consequências dessa estratégia foi o aumento da inadimplência dessas instituições, principalmente na Caixa. …Leia na íntegra

Juros dos cartões de crédito ficam em 459,53% ao ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 15 dez 2016

Tags:,

da Redação
Agência Brasil / Conteúdo

A segunda modalidade mais onerosa ao consumidor continua sendo o cheque especial com taxa mensal de 12,56% e 313,63% ao ano

Quase não houve alteração nas taxas de juros para a pessoa física entre outubro e novembro, segundo pesquisa feita em seis modalidades pela Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Na média, a taxa ficou estável em 8,2% ao mês e 157,47% ao ano, a menor desde agosto último.

No entanto, um dos principais meios de consumo, o cartão crédito continua nas alturas com uma taxa de 459,53% ao ano com alta de 0,26% acima da registrada em outubro último.

Na rolagem da dívida, a taxa ao mês atingiu 15,43%. A segunda modalidade mais onerosa ao consumidor continua sendo o cheque especial com taxa mensal de 12,56% e 313,63% ao ano, tendo sido corrigida em 0,40%.

A maior elevação do período foi constata no empréstimo pessoal junto a financeiras que estavam cobrando 8,35% ao mês e 161,79% ao ano, um aumento de 0,95%. E o que levou a estabilidade da taxa média foi o recuo no empréstimo pessoal bancário de 1,28% . Neste tipo de financiamento, a taxa ao mês passou de 4,68% para 4,62%, atingindo 71,94% ao ano.

No período, também ficou estável o juro sobre o Crédito Direito ao Consumidor (CDC) oferecido pelos bancos para a compra de automóveis. A taxa foi mantida como a mais baixa, de 2,32% ao mês e 31,68% ao ano. Já no comércio, o custo do crédito alcançou 5,90% ao mês e 98,95% ao ano, ou 0,68% mais do que em outubro. …Leia na íntegra

BC deve promover nesta semana primeiro corte de juros em 4 anos

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 16 out 2016

Tags:, ,

G1

taxa-juros-em-junho-31-08
Na última vez em que os juros caíram no Brasil, em outubro de 2012, o papa ainda era Bento XVI, Hugo Chavez presidia a Venezuela, Nelson Mandela estava vivo, Anderson Silva era campeão dos pesos médios do UFC e o Facebook ainda não tinha comprado o WhatsApp.

Depois de tanto tempo, a aposta do mercado financeiro é de que a taxa básica de juros da economia, atualmente em 14,25% ao ano, voltará a recuar nesta semana, quando se reúne o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. O anúncio sobre o novo patamar da Selic será na próxima quarta-feira (19), por volta das 18h.

Os economistas dos bancos apostam maciçamente em um corte da taxa básica. A única dúvida dos analistas é sobre o tamanho da redução.

O mercado está dividido, com parte dos economistas estimando uma queda de 0,25 ponto percentual (para 14% ao ano) e outra parcela apostando que o BC poderá ser mais agressivo e baixar os juros para 13,75% ao ano (redução de 0,5 ponto percentual).

Pesquisa realizada pelo BC na semana passada mostra que esse deve ser apenas o início de um ciclo de corte nos juros.

O mercado financeiro aposta em reduções contínuas nos próximos meses, com cortes em dezembro, janeiro, fevereiro, abril, maio, julho e setembro de 2017 – quando os juros deverão ter atingido, segundo as projeções dos bancos, o patamar de 11% ao ano, o menor desde fevereiro de 2014.

Juros do cartão passam de 460% e mantêm maior taxa desde 1995

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 14 out 2016

Tags:, ,

da Redação

Fonte: G1 (CDL)

cartaoTaxa média de juros teve o 24º aumento seguido em setembro.
No cartão de crédito, juros foram de 463,03% ao ano e de 15,49% ao mês

As taxas de juros das operações de crédito voltaram a subir em setembro, completando 24 meses seguidos de elevações, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira (11) pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac).

Das seis linhas de crédito pesquisadas, todas tiveram suas taxas de juros elevadas no mês (juros do comércio, cartão de crédito, cheque especial, CDC-bancos – financiamento de automóveis, empréstimo pessoal – bancos e empréstimo pessoal – financeiras).

No cartão de crédito, os juros subiram de 451,44% ao ano em agosto para 463,03% em setembro (de 15,29% para 15,49% ao mês). Trata-se da maior taxa desde dezembro de 1995, quando estava em 478,43% ao ano e 15,75% ao mês.

No cheque especial, os juros foram de 309,24% ao ano (12,46% ao mês) em setembro, ante 296,33% em agosto (12,16% ao mês). Trata-se da maior taxa desde março de 1999, quando estava em 13,3% ao mês e 347,46% ao ano. …Leia na íntegra

Justiça proíbe cobrança de juros durante greve de bancos

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 23 out 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

DSC_1121

Nesta quinta-feira (22), a 3ª Vara de Relações de Consumo do Estado da Bahia à Ação Cível Pública concedeu liminar proibindo cobrança de juros, multas e encargos moratórios em faturas de boletos e cobranças que vencerem durante o período da greve dos bancários na Bahia. A ação foi ajuizada pela Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON-BA) contra a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN).

Também fica proibida a inclusão dos nomes dos consumidores nos órgãos de proteção ao crédito, segundo o PROCON, em razão da dificuldade no pagamento de dívidas vencidas durante o período da paralisação. A Justiça estipulou multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento da decisão.

Segundo o PROCON, a ação teve como objetivo garantir o funcionamento dos terminais de autoatendimento (caixas eletrônicos), por meio da disponibilização de cédulas, cheques e envelopes, como forma de assegurar as compensações bancárias, serviços considerados essenciais aos clientes.

Juros do cheque especial chegam a 232%, maior em 20 anos

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 23 jun 2015

Tags:, , ,

 

Veja (online)

Cheque
Taxa de juros do cheque especial alcançou o maior nível desde 1995(John Knill/Getty Images/VEJA)

As taxas de juros em operações de crédito dos bancos voltaram a subir em maio, em linha com a escalada da taxa básica de juros (a Selic) promovida pelo Banco Central nos últimos meses.

O destaque foram os juros do cheque especial, que fechou maio em 232% ao ano, o maior patamar desde dezembro de 1995, quando estava em 242% ao ano. A média de juros no rotativo do cartão de crédito chegou a 360% ao ano, sendo a linha mais cara entre as outras modalidades oferecidas pelos bancos.

Segundo o BC, a taxa de juros cobrados em operações envolvendo pessoas físicas subiu pelo quinto mês seguido em maio, alcançando 57,3% ao ano. Trata-se do maior número registrado pela série iniciada em março de 2011.

No segmento de recurses livres, que trabalha com taxas de juros livremente definidas pelos bancos, a inadimplência subiu pelo segundo mês consecutivo para 4,7% em maio – ela estava em 4,6% em abril. É o maior patamar desde setembro de 2013, quando chegou a 4,6%. …Leia na íntegra

Juros mais baixos para financiamento de veículos

0

Publicado por Resenha Geral | Colocado em Bahia, Brasil, Economia | Data: 30 set 2012

Tags:, , ,

Da Redação

A redução dos juros para veículos novos e usados foi anunciada pela Caixa Econômica Federal na última sexta-feira (28). De 1,63% mensais, as taxas agora variam de 0,75% a 1,51 ao mês.

A nova linha de financiamento foi anunciada na última sexta-feira (28) e já está disponível nas agências da Caixa e nas concessionárias ou lojas credenciadas pelo Banco Panamericano. Com a redução, as taxas passam a variar de 0,75% a 1,51% ao mês. Anteriormente, a taxa máxima era de 1,63% mensais, conforme as condições do financiamento. Para veículos com até dois anos de fabricação, a taxa máxima caiu de 1,55% para 1,34% ao mês. …Leia na íntegra