Participação na exposição de Vitória da Conquista agrega valor a cavalos de raça

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 02 abr 2017

Tags:, , ,

Da Redação
fotos: Rafael Gusmão

Cerca de 600 cavalos passaram pelo Parque Teopompo de Almeida nesses seis dias Exposição Conquista. Os animais vêm de várias partes, até de fora do estado, mas a maior parte é de criadores regionais, especialmente de Vitória da Conquista, dona de um dos planteis mais destacados da Bahia, com destaque para as raças Mangalarga Marchador, Mangalarga e Quarto de Milha. As duas primeiras participam de julgamentos que escolhem os melhores exemplares. A premiação propicia, além de fama para o animal, melhores oportunidades de negócios para os donos.

A grande maioria, cerca de 90%, dos cavalos trazidos à Exposição Conquista são avaliados pelos juízes especialistas. Alguns chegam à baia valendo uma quantia e depois do julgamento o preço é outro. A depender do título que o animal consegue (reservado campeão ou campeão, da raça ou de marcha, no caso do cavalo Manga Larga Marchador) o seu valor pode aumentar de 30% a 300%, segundos especialistas. A exposição de Vitória da Conquista é da categoria nacional e é uma das que mais qualificam os animais vencedores do julgamento, daí a grande participação de criadores não só da Bahia, mas também de outras partes do país.

Por conta disso, os leilões de cavalos também são as atrações mais procuradas na Exposição, especialmente, por criadores. Na noite do sábado (1º), por exemplo, foi realizado o leilão da raça Mangalarga Marchador, que pode custar acima de R$ 50 mil. Estima-se que os mais de 300 animais expostos no evento valem em torno de R$ 15 milhões.

*Com informações da Ascom Coopmac