Saúde: Anvisa libera registro de genérico para combater infecções

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Geral, Saúde | Data: 09 jan 2019

Tags:, ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é PEL-1.gif

Nesta quarta-feira (9), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou a liberação do registro de um novo medicamento genérico, o levofloxacino hemi-hidratado na forma solução injetável para infusão.

De acordo o informe, o medicamento é indicado para tratar infecções bacterianas, como infecções no trato respiratório, infecções de pele, infecções do trato urinário e infecção nos ossos.

“Com o registro do medicamento genérico, a Anvisa garante que o produto possui qualidade, eficácia e segurança comprovadas, sendo equivalente terapêutico ao medicamento de referência”, informou, por meio de nota, a agência reguladora. Outro benefício da concessão do registro, de acordo com o comunicado, é a redução do custo do tratamento, já que medicamentos genéricos devem entrar no mercado com valor pelo menos 35% menor que o do medicamento de referência.
 

Medicamento para pacientes com esclerose múltipla será ofertado pelo SUS

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Geral, Vit. da Conquista | Data: 08 jan 2019

Tags:, ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é PEL-1.gif

Agora pacientes adultos diagnosticados com esclerose múltipla remitente recorrente poderão utilizar o medicamento acetato de glatirâmer na versão de 40 miligramas (mg) via Sistema Único de Saúde (SUS).

Atualmente, a rede pública oferta apenas a versão de 20 mg. De acordo com o Ministério da Saúde, a incorporação vai permitir que o paciente reduza de sete para três as doses injetadas todas as semanas, garantindo maior qualidade de vida.

Saiba mais sobre a esclerose múltipla

…Leia na íntegra

Anvisa proíbe venda de lotes do descongestionante nasal Salsep; Confira

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Saúde | Data: 06 ago 2018

Tags:, ,

banner alfa park

 

Da Redação

Foi publicado no Diário Oficial da União  nesta segunda-feira (06), a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que suspende a distribuição, a comercialização e o uso de 12 lotes do medicamento Salsep (cloreto de sódio 0,9%) solução nasal em spray e outros cinco lotes do medicamento Salsep 360 (cloreto de sódio 0,9%) solução nasal em spray, fabricados por Libbs Farmacêutica Ltda.

De acordo com a publicação, a própria empresa enviou à Anvisa comunicado de recolhimento voluntário em virtude de desvios de qualidade (pH e odor fora de especificação) em lotes de ambos os medicamentos. A agência determinou que a Libbs Farmacêutica Ltda. promova o recolhimento de todo o estoque existente no mercado. A resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Remédio à base de maconha será utilizado pela Sesab para cumprir ‘demanda judicial’

0

Publicado por Editor | Colocado em Saúde | Data: 09 maio 2018

Tags:, , ,

Da Redação

Foi publicado nesta terça-feira (08), pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) no Diário Oficial do Estado que fará aquisição de quatro frascos de um medicamento feito à base do canabidiol, uma das substâncias derivadas da maconha (cannabis sativa).

A Sesab informou que a aquisição do remédio visa cumprir “demanda judicial” e que, para isso, não haverá licitação. O órgão não especificou que demanda foi essa e nem disse se os quatro frascos são para uma mesma pessoa. O  tipo de doença que necessita  do remédio  à base do canabidiol também não foi divulgada.

De acordo com o órgão, serão adquiridos quatro frascos de 10ml, com 60 mg/ml da droga. O prazo para entrega de propostas para a aquisição fica aberto até o dia 14 de maio. Em fevereiro, a Sesab havia informado que três pacientes no estado haviam entrado com pedido do medicamento Revivid Tincture, feito à base do canabidiol, via Justiça e que as ações ainda estavam em trâmite.

O órgão explicou que para que a medicação Canabidiol, que tem controle da Anvisa, seja fornecida é necessário que haja um processo judicial, uma vez que o medicamento não está incluído na Relação Nacional de Medicamentos (Rename).

 

SUS terá medicamento para tratamento de microcefalia

0

Publicado por Editor | Colocado em Saúde | Data: 04 set 2017

Tags:, ,

Da Redação


O Sistema Único de Saúde (SUS) incorporou a oferta do medicamento Levetiracetam para o tratamento de convulsões em pacientes com microcefalia. A novidade foi publicada na edição desta segunda (4) do Diário Oficial da União por meio de portaria, que regulamenta a oferta do fármaco na rede pública de saúde.

O governo brasileiro decretou Emergência Nacional em Saúde Pública em novembro de 2015 devido ao vírus Zika e sua associação com microcefalia e outas alterações neurológicas. Transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, o vírus Zika provoca sintomas semelhantes aos da dengue e da febre chikungunya.

O Levetiracetam também será incorporado ao SUS para o tratamento de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil resistentes à monoterapia, de modo associado ao medicamento já utilizado. O prazo máximo para que o medicamento esteja disponível no SUS é de 180 dias, a partir da publicação da portaria.

Pacientes com Anemia Falciforme interrompem tratamento por falta de remédio

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 10 dez 2016

Tags:, , ,

por Mateus Novais

img_0914A falta do medicamento hidroxiureia está causando dificuldades no tratamento de diversas pessoas acometidas pela Anemia Falciforme em Vitória da Conquista. A líder do movimento em defesa dos diagnosticados com a doença, Maria José Meireles, cobra empenho dos governos Estadual e Municipal para o tratamento dos pacientes.

Utilizando a Tribuna Livre da Câmara Municipal, nessa sexta-feira (9), Maria José afirmou ter procurado o Núcleo Regional de Saúde (antiga Dires), sendo informada que o medicamento não está sendo encontrado no mercado por falta de matéria-prima. “Como assim, se em outros estados estão tendo o remédio?”, questionou.

Ela também alega que o setor de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) da Prefeitura Municipal não está ofertando aos pacientes com Anemia Falciforme passagens para realizarem o tratamento em outras cidades, como Salvador.

Além disso, Maria José denuncia que o tratamento dispensado a pacientes acometidos pela anemia falciforme para execução da sangria no Hospital Geral de Vitória da Conquista não está sendo adequado.

“Eu venho nesta Casa [Câmara Municipal] solicitar de vocês que façam alguma coisa. Eu clamo a vocês vereadores que vistam essa camisa. Nos ajude”, apelou Maria José. “Eu gostaria que o prefeito assuma essa responsabilidade. É um direito nosso”, finalizou.

A doença

A anemia falciforme é uma doença séria na qual o organismo fabrica células vermelhas sanguíneas em forma de “C”. Células vermelhas normais têm forma de disco e se movem facilmente pelos vasos sanguíneos. Por terem essa forma anormal, essas células não se movem facilmente através dos vasos sanguíneos. Os blocos de células em forma de foice bloqueiam o fluxo sanguíneo que flui para os órgãos e membros. Vasos sanguíneos bloqueados podem causar dor, infecções sérias, danos a órgãos e até mesmo Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Alta de ICMS encarece medicamentos em 12 estados

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 04 set 2016

Tags:,

A Tarde

650x375_medicamentos_1664552
A necessidade de os governos estaduais reforçarem o caixa em tempo de crise está custando caro a pacientes de quatro regiões do país. Desde o fim do ano passado, 12 estados aumentaram o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre medicamentos, com impacto médio de 1,2% sobre os preços.

De acordo com levantamento da Interfarma, associação que reúne 55 laboratórios em todo o país, a alíquota passou de 17% para 18% nos seguintes estados: Amapá, Amazonas, Bahia, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Sergipe e Tocantins. O imposto subiu de 17% para 17,5% em Rondônia e de 19% para 20% no Rio de Janeiro, que cobra o maior ICMS do país sobre medicamentos.

Segundo a entidade, a carga tributária média sobre os medicamentos no Brasil corresponde a 34% do preço total, uma das mais altas do mundo. A alta do ICMS, de acordo com a Interfarma, resulta em redução de descontos nas farmácias porque a indústria farmacêutica está sendo impactada por outros custos que não foram totalmente repassados em 2015, como a alta do dólar e da energia elétrica.

Para o diretor de Acesso da Interfarma, o consumidor é punido duplamente, tanto ao comprar o medicamento como ao pagar imposto mais alto que não necessariamente é aplicado em saúde. “No caso do Farmácia Popular, que é um programa muito bem-sucedido, o governo federal gasta quase R$ 3 bilhões por ano com programa, mas paga, em média, 18% de ICMS para o estado, que não abriram mão do imposto. Quase R$ 600 milhões por ano vão para o tesouro dos estados, mas não voltam à saúde”, diz.

Farmácia da Família começa a disponibilizar medicamento para H1N1

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 19 jul 2016

Tags:, , ,

por Mateus Novais

H1N1A partir do próximo dia 25 de julho, o Fosfato de Oseltamivir, medicamento conhecido como Tamiflu, passará a ser distribuído nas Farmácias da Família de Vitória da Conquista. O remédio, usado no tratamento da gripe, é indicado para pacientes com sintomas relacionados ao vírus H1N1 e pessoas com Síndrome Respiratória Aguda.

Para ter acesso gratuito ao Tamiflu, que agora faz parte da Relação de Medicamentos Essenciais, o usuário deve se dirigir à Farmácia da Família munidos de receita médica, Cartão SUS e Carteira de Identidade.

No município, há duas unidades das farmácias da Família, uma no centro (Av. Bartolomeu de Gusmão) e outra no bairro Brasil (Av. Ceará). As Farmácias da Família funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

Situação Epidemiológica

Até esta terça-feira (19), a Secretaria Municipal de Saúde recebeu 71 notificações de casos semelhantes a H1N1. Destes, 14 foram positivos, 52 negativos e cinco aguardam resultados. Também foi registrada uma morte em decorrência e um óbito suspeito.

Ação quer obrigar SUS a fornecer remédio derivado de maconha à criança conquistense

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 14 out 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

DSC_1169

A Defensoria Pública do Estado da Bahia ajuizou uma ação com pedido de liminar para o fornecimento do remédio importado Hemp Oil para uma criança epilética, de 3 anos, moradora de Vitória da Conquista. A medicação, que é produzido à base de Canabidiol e contém um composto extraído da maconha, deverá, segundo a ação, ser custeado por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

A ação foi movida na última sexta-feira (9), após a família da criança, que sofre graves crises de epilepsia, procurar a Defensoria Pública. Segundo órgão, a criança é portadora da síndrome de Ohtahara e já experimentou diversos tratamentos e medicamentos disponíveis no Brasil, em dose máxima ou máxima tolerável, não obtendo controle satisfatório dos episódios convulsivos em nenhum deles. Já o medicamento Hemp Oil surtiu efeito no tratamento das crises epiléticas.

“A representante legal da criança possui autorização da ANVISA para importar o medicamento de forma legal desde junho de 2015, sendo que tal autorização é válida por apenas 1 ano”, explicou o defensor público Pedro Fialho. Ainda de acordo com Fialho, a família da paciente não tem condições de arcar com o alto custo do tratamento com recursos próprios, pois o medicamento é muito caro e fabricado apenas nos Estados Unidos.  …Leia na íntegra

Sesab explica falta de medicamento para pacientes com gigantismo

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 02 out 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto: arquivo BRG

DSC_1071

Na última semana, o BLOG DA RESENHA GERAL publicou uma matéria contando o caso de duas pacientes com uma doença rara, conhecida como gigantismo, que estavam com o tratamento interrompido por falta da medicação no Estado. Após o trabalho de reportagem, nossa equipe procurou a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) para saber o motivo do problema.

Nesta sexta-feira (2), a Sesab respondeu a solicitação do BRG e informou que o medicamento está em processo de licitação. “A licitação para adquirir o medicamento ocorreu dia 23/09/2015, e estamos aguardando a conclusão para retomar o fornecimento”. Ainda na nota, a Secretaria comenta sobre a demora para a realização da cirurgia de retirado do tumor que causa a doença. “Quanto ao processo cirúrgico estamos aguardando a resposta da superintendência de Regulação”.

Janete Vitória e Maria Mendes, suas donas de casas, sofrem de gigantismo, uma doença que desregula o hormônio de crescimento e faz com que seus órgãos cresçam desproporcionalmente. O tratamento é feito com o medicamento octreotide-lar, que custa entre R$ 3 mil e R$ 12 mil nas farmácias, mas é disponibilizado gratuitamente pelo Governo do Estado. No entanto, o medicamento está em falta há mais de três meses.

Pacientes de doenças raras ficam vários meses sem medicamento na Bahia

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 25 set 2015

Tags:, ,

por Mateus Novais

DSC_1071

A falta de medicamento para o tratamento de doenças raras na Bahia tem causado graves problemas para pacientes de todo o Estado. Em alguns casos, há pacientes que interromperam o tratamento há quase um ano. Em Vitória da Conquista, quatro pacientes diagnosticadas com acromegalia (mais conhecida como gigantismo), estão sofrendo com a falta da medicação.

Dona Janete Vitória, que está encostada devido a doença, conta que viajou nos últimos três meses para Salvador na esperança de receber a injeção do medicamento octreotide-lar, porém não obteve êxito. “Toda vez eles falam que está em falta, mas nunca sabem dizer quando irá chegar. Então, a gente tem que viajar todo mês pra Salvador pra saber se vai poder reiniciar o tratamento”. Sem a medicação no SUS, a única opção para os pacientes seria a compra do remédio. Porém, o octreotide-lar pode variar entre R$ 3 mil e R$ 12 mil, dependendo da dosagem indicada pelo neurologista.

DSC_1074

Outro problema enfrentado pelos pacientes é a espera para realização da cirurgia de retirada do tumor no cérebro, que causa a doença. “Desde que eu descobri que tinha gigantismo, há um ano e meio, que tento marcar a cirurgia, mas nunca consigo. Só tem um médico que pode fazer o procedimento na Bahia e sempre dá problema na marcação da consulta”, conta dona Maria Santos Dutra, que também não pode trabalhar por conta da enfermidade. E o que causa mais desesperança para Dona Maria é ver que a sua espera pode perdurar ainda mais, já que sua colega, Janete, espera pela cirurgia há mais de sete anos.

Devido esses transtornos, a Associação de Pacientes com Doenças Raras irá realizar um protesto na porta do Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (Cedeba), na capital. A manifestação, que ocorrerá na próxima terça-feira (29), às 9 horas, pretende chamar a atenção para os problemas dos pacientes e alertar outras pessoas que sofrem desses males, e não foi diagnosticado, para procurar o tratamento.

Sobre Gigantismo

O gigantismo é uma enfermidade hormonal causada pela excessiva secreção do hormônio do crescimento durante a idade do crescimento; se ocorrer na fase adulta é denominada de acromegalia. Na maioria das vezes é causado por um tumor na glândula pituitária, como é o caso de Janete e Maria. Entre os sintomas se encontra altura muito acima da média, membros inchados, dores de cabeça, o atraso da puberdade, entre outros.

O tratamento consiste em reduzir a produção do hormônio de crescimento. Esta redução pode ser obtida pela administração de medicamentos, ou recorrer ao processo cirúrgico, se a produção excessiva for ocasionada por um tumor.

Pacientes com anemia falciforme estão revezando medicamento em Conquista

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 06 mar 2015

Tags:, , ,


por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

dires

O atraso na distribuição de alguns medicamentos ofertados pelo SUS, em Vitória da Conquista, está causando desespero em familiares de pacientes com Anemia Falciforme. Entre o final do ano passado e início deste ano, os pacientes ficaram quatro meses sem receber a medicação ‘hidroxiuréia’, que também é utilizado no tratamento de câncer.

DSC_3074Dona Maria José Meireles (foto), mãe de um adolescente de 13 anos que tem a doença, conta que a distribuição do medicamento para o tratamento da doença está sendo constantemente atrasado pelo Núcleo Regional de Saúde, antiga Dires. “De setembro até janeiro ficamos sem a medicação, só apareceu após procurarmos a Defensoria Pública. Mas era para entregar no dia 27 de fevereiro de novo, só que não tem. Faz uma semana que vamos lá todos os dias e dizem que não tem previsão de chegada”, conta a dona de casa.

A medicação evita que os pacientes sintam dores e previne um possível Acidente Vascular Encefálico. Dona Maria José aponta que são 1500 frascos que chegam a Vitória da Conquista todo mês, e questiona: “Onde está essa medicação?”.

No período da falta do Hidroxiuréia, as famílias não beneficiadas recorriam aos que recebiam o remédio, já que o medicamento não é vendido regularmente nas farmácias. “A mãe que tinha, estava dividindo com outras mães. Por exemplo, meu filho usava por dois dias e passava outros dois dias sem usar para poder ajudar outra mãe que estava em dificuldade”. …Leia na íntegra

Problema de licitação teria causado falta de medicamentos nos postos de saúde

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 01 ago 2014

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto ilustrativa

medicamentos1A Prefeitura Municipal admitiu a falta de medicamentos nos postos de saúde de Vitória da Conquista. De acordo a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores, a secretária de Saúde Municipal, Márcia Viviane, esclareceu que o problema foi causado pela falta de estoque das empresas vencedoras da licitação.

“O problema ocorreu porque algumas empresas vencedoras da licitação não dispuseram dos medicamentos para entregar, por falta de oferta no mercado.”, diz o relatório de ações da Comissão. O relatório complementa dizendo que a secretária afirmou que “outra licitação foi realizada para sanar o problema.”.

Este não é o primeiro problema com licitação que a Prefeitura Municipal enfrenta. O Blog da Resenha Geral vem divulgando constantemente casos em que as licitações do Executivo Municipal não têm sido cumpridas corretamente, como a da UPA do Senhorinha Cairo, das carteiras escolares e da creche da Lagoa das Flores.

Ambulâncias do SAMU 192 contará com medicação par vítimas de infarto

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 30 jul 2014

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

samu1921Uma portaria assinada pelo Ministério da Saúde, na última segunda-feira (28), inclui um novo medicamento nas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), o trombolítico, para vítimas de infarto. A estimativa é de que esta incorporação reduza em 17% o número de óbitos por infarto.

O trombolítico estará disponível nos veículos que dispõem de Suporte Avançado de Vida, além de profissional médico capacitado para realização da trombólise.

Com a portaria, o Ministério irá repassar o recurso para que os municípios realizem a aquisição. Para tal, a Prefeitura deve indicar leitos de terapia intensiva (UTI tipo II ou III) e leitos habilitados como Unidade Coronariana, além de referenciar um estabelecimento habilitado em procedimentos de hemodinâmica.

As doenças do aparelho cardiovascular são as que mais matam brasileiros hoje. Em 2012, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 84.157 mortes e 59.510 internações por infarto agudo do miocárdio. A expectativa é que, com o medicamento, o SAMU possa salvar até 8.368 pessoas por ano.

Portadores de HIV e aids passam a contar com novo tratamento para combater a doença

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 05 jul 2014

Tags:, ,

por Mateus Novais

cms-image-000352364Os portadores de HIV e Aids já podem contar com um tratamento mais moderno para combater a doença. Conhecido como 3 em 1, o novo tratamento é gratuito e virá em  um único comprimido com doses de Tenofovir, Lamivudina e Efavirenz.

O diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Fábio Mesquita, explicou que o novo tratamento será distribuído inicialmente para os estados do Rio Grande do Sul e Amazonas. “O 3 em 1 era um tratamento esperado já alguns anos e que finalmente a gente consegue colocar em campo nesse momento para o Amazonas e Rio Grande do Sul que são estados prioritários do ponto de vista do impacto que nós precisamos dar naquelas epidemias que estão numa situação mais delicada do que no resto do Brasil. Vai ter impacto na mortalidade, vai ter impacto na morbidade, e vai ter impacto na prevenção. Então é uma grande aquisição para o Brasil.”

O novo tratamento vai ser distribuído para os outros estados a partir do segundo semestre deste ano. Atualmente, esses medicamentos são distribuídos pelo Sistema Único de Saúde e consumidos separadamente.

Planos de saúde passam a ser obrigados a distribuir medicamentos contra o câncer

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 19 maio 2014

Tags:, ,

por Mateus Novais

Medicamento-contra-cancerA Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou, na semana passada, resolução que obriga as operadoras de planos de saúde a distribuírem oito grupos de medicamentos, de uso domiciliar, para tratar os efeitos colaterais do câncer. A medicação visa o controle dos efeitos colaterais provocados pelo tratamento da doença como anemia; infecções; diarreia; dor neuropática; neutropenia com fatores de crescimento de colônias de granulócitos; náusea e vômito; rash cutâneo e tromboembolismo.

Conforme estimativa da ANS, cerca de 10 mil pessoas já recebem dos planos de saúde tratamento para o câncer em casa. Passaram a ser ofertados medicamentos para tumores de grande prevalência, como estômago, fígado, intestino, rim, testículo, mama, útero e ovário.

Lista de medicamentos em falta no Hospital de Base contém remédios de uso contínuo

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 06 mar 2014

Tags:, ,

por Mateus Novais

20140305_075609A lista de medicamentos que estão em falta no Hospital de Base, encaminhada e divulgada no Blog da Resenha Geral, são de uso continuo. É o que afirma uma enfermeira, funcionária do hospital, que pediu para não se identificar.

Na lista, há remédios imprescindíveis para o funcionamento de uma unidade de saúde. Ao todo são 21 medicamentos, entre eles, antibióticos, antialérgicos, controladores de pressão, antiinflamatório, vitamina anti-hemorrágica, diurético, anticonvulsivo, tranquilizantes; remédios para pacientes de Mal de Parkinson, contra infecção urinária e pacientes infartados.

Hospital de Base continua perdendo eficiência e qualidade no atendimento

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Saúde | Data: 06 mar 2014

Tags:, ,

da Redação

20140305_075609Além dos graves problemas que são detectados diariamente no Hospital de Base de Vitória da Conquista continua a falta de medicamentos básicos para diversos procedimentos médicos.

Na manhã desta quinta-feira (6), um funcionário da unidade hospitalar, enviou para a redação do BRG uma relação extensa de medicamentos que estão em falta (clique na imagem ao lado para ampliar).

O hospital continua atendendo pedidos especiais, já denunciados na Câmara de Vereadores, em alguns casos de pessoas ligadas ao comando político da cidade. Importante também realçar que o ex-secretário de saúde Jorge Solla continua gozando de privilégios. Recentemente, mesmo tendo sido afastado da pasta, foi transportado do aeroporto até o hospital em veículos da 20ª Dires. Ele também se reuniu, na mesma manhã, com a direção do Hospital de Base, e à tarde na 20ª Dires participou da distribuição de óculos para as prefeituras de várias cidades do sudoeste baiano.

Medicamento terá em 2013 novo recorde de vendas

0

Publicado por Roberto Silva | Colocado em Brasil | Data: 01 dez 2013

Tags:

Agência Estado

medicamentos1As vendas de medicamentos no Brasil devem encerrar o ano com crescimento de 13%. Se confirmadas as estimativas, alcançará a marca recorde de R$ 56 bilhões, de acordo com previsões das indústrias do setor. A expansão das farmacêuticas será puxada novamente pelos genéricos, que registram expansão robusta ano a ano, acima de dois dígitos, desde seu lançamento há 13 anos.

No acumulado de janeiro a outubro, as vendas totais de remédios somam R$ 48,3 bilhões, um aumento de 17% sobre igual período do ano anterior, de acordo com dados da consultoria IMS Health obtidos com exclusividade pelo Estado. No mesmo período, as vendas só de genéricos atingiram R$ 11,396 bilhões, alta de 24%. Em 2012, as vendas de medicamentos totais foram de R$ 49,6 bilhões.

“Esse resultado mostra que o mercado de genéricos tem se consolidado no País”, afirma Telma Salles, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró Genéricos).

…Leia na íntegra