OPNIÃO: Homicídios em Vitória da Conquista – quem está matando?

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Segurança | Data: 01 jul 2016

Tags:,

por Alexsandro Oliveira*

IMG_3228Foram registrados 105 (cento e cinco) homicídios no primeiro semestre deste ano em Vitória da Conquista. São números alarmantes, já que estamos falando em 30 homicídios por 100 mil habitantes, e a previsão é de dobrar esse número até o final do ano. Portanto, com 60 homicídios por 100 mil habitantes, mais uma vez Vitória da Conquista estaria entre as cidades mais violentas do mundo.

Alguns estudos que fiz durante o mestrado de segurança pública, me levaram a respostas sobre algumas causas desse fenômeno criminológico. O que me levou a concluir que a justiça criminal influencia diretamente no aumento dos indicies de homicídio. Isso ocorre principalmente após a prisão ou morte de algum traficante em confronto com a polícia.

O professor Luiz Claudio Lourenço, em seu artigo “O sistema prisional e a dinâmica de homicídios na Bahia (2004­2011): notas para discussão”, diz que: “[…] a prisão de traficantes fomenta a disputa por pontos de venda de drogas que perdem suas lideranças. Esta disputa na maioria das vezes se dá pela ascensão violenta de novos grupos que matam seus adversários. Assim, a cada nova prisão de um traficante importante, abre­se a possibilidade de uma disputa irrigada de sangue e de homicídios”. …Leia na íntegra

Opnião: A saída de Dilma e o futuro do país

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 12 maio 2016

Tags:, , ,

por Ivan Cordeiro

IvanA saída da presidente Dilma estava sendo aguardada, com muita expectativa, pela maioria da sociedade brasileira que apoia o impeachment. O legado do governo petista levou o país a um quadro de recessão com mais de 10 milhões de brasileiros desempregados. A política econômica do Partido dos Trabalhadores, atrelada a um populismo irresponsável, gerou uma das maiores crises na história recente do país.

A chegada de Michel Temer na presidência aponta para uma melhora futura. Brasileiros e brasileiras aguardam agora a volta do crescimento econômico e um maior cuidado na condução das contas públicas. Contudo, não se pode esperar um milagre. É preciso ter paciência para o país sair da crise, todavia, não podemos perder a esperança de um novo tempo.

É urgente uma reforma administrativa. O PT teve tempo demais para fazer as mudanças necessárias e não foi eficiente. Inchou demais o Estado, com o aumento de ministérios e cargos comissionados. Agora é necessário reduzir o tamanho da máquina pública. Austeridade é a palavra certa para o momento. Significa um maior rigor no controle de gastos. Não há outro remédio para a recessão atual.

Por fim, não se pode negar que as manifestações populares foram fundamentais para o afastamento da presidente Dilma. A participação popular fortalece a democracia no país. Vale lembrar o que disse o ex-presidente Lula na ocasião do impeachment de Collor: “o povo brasileiro deu a demonstração de que é possível o mesmo povo que elege um político, destituir esse político. Eu peço a Deus que nunca mais o povo brasileiro esqueça essa lição”.

Herzem Gusmão: Brasil, país das obras paralisadas

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Bahia | Data: 11 dez 2015

Tags:, , ,

Herzem Gusmão – especial para o Correio 24 Horas

HERZEM OPOSIÇÂOO Brasil ainda é conhecido por ser o país do futebol (apesar dos 7 x 1 para a Alemanha), do improviso,  do Carnaval e do “jeitinho”. Agora, certamente, uma nova imagem sobre a nossa nação terá de ser acrescentada à lista: o Brasil é também o país das obras paralisadas e das promessas eleitoreiras não cumpridas. Recentemente, a bancada de oposição na Assembleia Legislativa deu sequência às visitas às obras iniciadas nas grandes cidades da Bahia e o que vimos foi o completo descaso com o dinheiro público.

É preciso ressaltar que todas as obras que inspecionamos em Ilhéus, Itabuna e Vitória da Conquista são muito importantes para o desenvolvimento das regiões Sul e Sudoeste e, consequentemente, da Bahia. São obras que precisam ser concluídas, independente do partido ou da ideologia política de quem está no governo. Mas, o que há de comum em todas elas é a falta de comprometimento do governo estadual de concluí-las, como se o dinheiro público fosse qualquer material descartável.

Em Conquista, por exemplo, construíram um aeroporto sem o terminal de passageiros, ou seja, um corpo sem cabeça, apenas para usarmos uma metáfora. Pior: o governo alega falta de recursos e sequer dá qualquer previsão para o aeroporto entrar em funcionamento. Também visitamos UPAs cujas construções não avançam, um centro de cultura fechado há mais de dois anos por falta de manutenção em equipamentos básicos de segurança e uma área em que seria erguido um laboratório, mas que foi tomada pelo mato.

Em Ilhéus e Itabuna, a situação é idêntica à que encontramos em Conquista: obras paradas ou sequer iniciadas, como a Ponte do Pontal, a barragem do rio Colônia ou a ampliação da emergência do Hospital Luiz Viana Filho, que só existe na propaganda do governo. Com certeza, o que encontramos em Vitória da Conquista, Ilhéus e Itabuna também acontece em dezenas de outras cidades da Bahia porque o atual governo tem compromisso apenas com a publicidade e com as promessas.

O governo precisa trocar o discurso pela ação e retomar as obras que estão paralisadas, parar de arquitetar projetos de maldades contra os servidores e dar mais atenção aos municípios que sofrem com o descaso do estado. A crise econômica, que é de responsabilidade do PT, o mesmo partido do governador Rui Costa, não pode servir de desculpa para o abandono das obras.

Afinal, cabe ao gestor público planejar e tomar todas as providências para que os trabalhos iniciados sejam concluídos. Em seus pronunciamentos e entrevistas, muitas vezes, o governador parece que faz oposição à antiga gestão. Mas, claro, a realidade é outra porque Rui Costa significa o continuísmo. Mais seriedade com o dinheiro público e menos badalação publicitária são os caminhos para a Bahia avançar. É exatamente isso que todos nós queremos.

* Herzem Gusmão é deputado estadual pelo PMDB

Opinião: Reforma Política ou Remendo Político?

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Política | Data: 01 out 2015

Tags:, ,

Por Edivaldo Ferreira Jr.

edivaldo-ferreiraHá alguns anos o Congresso Nacional vem ensaiando uma reforma política no Brasil, ocorrendo de tempos em tempos mini reformas que não tiveram o condão de modificar a estrutura política do nosso País, apenas modificando pontos específicos como propaganda eleitoral, proibição de distribuição de brindes, showmícios durante a campanha eleitoral  e propaganda mediante outdoor, tendo por objetivo diminuir o abuso do poder econômico durante as eleições.

A possibilidade de uma reforma eleitoral que viesse mudar a essência do sistema eleitoral brasileiro teve o seu ápice no mês de junho de 2013 com o movimento “passe livre”, em que milhares de brasileiros foram às ruas protestar por mais saúde, educação, ou seja, uma vida mais digna.

Com os protestos, a Presidente Dilma Rousseff acenou para uma reforma política que ocorreria através da consulta popular por plebiscito. Ao perceber, naquele momento, a inviabilidade da proposta, transferiu a responsabilidade para o Congresso Nacional com a finalidade de acalmar os ânimos dos milhares de cidadãos brasileiros. …Leia na íntegra

Crack: fim de linha

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 02 jun 2015

Tags:,

Alberto David

Alberto-David8Uma nação sem jovens é um país sem flores, sem cor, sem alegrias.

E eu fico aqui me interrogando, meu Deus! Quantos jovens já estouraram a oportunidade da vida: única, e maravilhosa, por isso o que vemos é uma nação sem brilho.

Quantos jovens já se foram e se vão, em nosso cotidiano? Quantos meninos que, na sua ingenuidade, são levados inevitavelmente para um sofrimento insuportável: à dependência do crack?

Se não bastassem os alertas, avisos, conselhos; mas não querem entender e preferem os “amigos” que avançam, interpelam e acabam caindo na cilada desta droga, meninos ainda na puberdade, em formação do pensamento, do caráter e se atiram no mundo de abismo, do inferno, da desgraça.

Em primeiro lugar, experimentam a maconha. Acham que o mundo ficou colorido e a vida é só um sonho e que todos estão errados, só eles são os sábios, na sua filosofia de viver, mas essa droga passa e eles precisam de uma viagem mais longa, de algo mais forte. Então passam para a nova experimentação: o crack. …Leia na íntegra

Conquista:  “o Planalto da Cor”, berço de grandes pintores

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 27 maio 2015

Tags:,


João Alberto David

Alberto-David8Conquista é a cidade mais próspera na arte da pintura com um celeiro de fazer inveja às cidades do interior da Bahia e de outros estados do País.

A história da nossa pintura é fácil de contar, chega pelos idos l950, com o pintor Egberto, autodidata, oriundo dos Aragão, família tradicional de Conquista, um jovem com complexidades de um gênio, mas mal-entendido pelas demais pessoas.

Pintava na garagem da sua residência. Nesse local, improvisava seu atelier, onde pintava, pintava, às vezes, sem parar. Não houve ninguém que pintasse melhor antes ou depois dele, nessa região.

Egberto era uma pessoa simples de poucos amigos, muito recluso em sua vida. Sua pintura é fantástica, uma mistura emocional e técnica, os temas e os gêneros são variáveis, passando por um surrealismo-técnico, impressionismo, expressionismo, mas a maioria de seus quadros seguem o figurativo. Usando melhor as palavras, era uma pintura que usava as simbologias: cavalo, mulher, galinhas, ovos, mesa, símbolos que eternizaram em sua pintura, um registro que só foi dele. Certo dia, visitando seu atelier disse curiosamente: “suas galinhas”, insinuando que outros artistas poderiam usá-las – Ele sorriu e humildemente disse: “Não – não fui eu criei a galinha”, saindo de mansinho do assunto. …Leia na íntegra

Mãe é mãe

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 17 abr 2015

Tags:,

Nando da Costa Lima

NandoMeu “fio” João Pelêgoera tão dedicado ao patrão que deixava o burro dormir arreado pra no caso do “coroné“ Eustáquio precisar de alguma coisa. O pobre do bicho ficou uma peladura só! Fazia pena! O “coroné” em passeio pela fazenda passou pela casa de João e quando viu o burro naquele estado, ele que não gostava de malvadeza, ficou tão retado que mandou dois cabras arrear João e deixar um dia amarrado ao sol. Depois disso João Pelêgo nunca mais foi o mesmo, ele que era valentão, amofinou. É claro que o arreio machucou o corpo, lascou o homem pra falar a verdade! Ainda mais com o peste do neto do “coroné” montando de espora e cortandoele na tacatoda hora que passava por perto. Maso que mais doeu é que ele tinha o patrão como um herói, além de ser padrinho do seu filho. Não tinha necessidade daquilo só por causa de um bicho pagão. Se o bicho dormia arreado era pro bem do “coroné”, que era um homem doente e a qualquer momento podia precisar de socorro. É o que dá querer ser prestativo demais! Ainda botaram o apelido de rei dos puxa-saco só porque não levou a mulher pro hospital pra parir, Julinda foi parir andando, também, “era só 3 léguas”. …Leia na íntegra

Opinião: A crise não está só no comando

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 16 mar 2015

Tags:, , ,

por Robson do Val*

340x650_1313221Voltava uma jornalista, minha conhecida, da manifestação do 15 de março no Farol da Barra, em Salvador, onde, segundo ela, teria ido a trabalho, e sapecava imediatamente na rede social um texto que começava mais ou menos assim: “Hoje descobri que os coxinhas não sabem protestar”…

É um tal de coxinha pra cá, elite branca pra lá, e o sujeito não pode mais abrir a boca neste país com respaldo para criticar as instituições, se não estiver engajado em alguma minoria oprimida historicamente.

O ódio aos bem sucedidos (economicamente falando, é bom que se diga) se tornou quase que uma credencial para que alguém seja considerado um ser politizado em nosso país.

As perguntas são: não teria essa regra sido convenientemente forjada por uma classe dominante ex-proletária, que agora é usurpadora das riquezas nacionais, e que teme mais do que tudo ser desmascarada pela burguesia? Não teria sido por isso que criou o rótulo depreciativo de que todo opositor é coxinha para que possa continuar iludindo as massas incultas? …Leia na íntegra

E o termo maracutaia???

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 06 mar 2015

Tags:,

Nando da Costa Lima

NandoNão que eu acredite em procedência… Já vi muita gente que não vale nada nascer em lares ricos e moralmente bem equilibrados. Como também conheci pessoas maravilhosas, voltadas unicamente ao bem, que nasceram em ambientes conturbados e pobres. Não que seja uma regra, mas acontece.

O garoto do qual vou falar já nasceu diferente, tendendo pro lado negativo e tornando visível o que se aplica a grande maioria: “O homem é um produto do meio”. Seu pai era um gigolô europeu que tinha o hábito de roubar e a mãe uma prostituta que além de ter a mesma nacionalidade do amante, tinha os mesmos maus hábitos. Tanto que foram extraditados juntos para o Novo Mundo. E foi dessa relação que nasceu um menino chamado Brasil. Menino em relação ao Velho Mundo! As Américas têm mais ou menos a mesma idade e apesar da outra criança ter sido educada por religiosos expulsos da Europa, não deixa de ter uma história muito triste, talvez até pior que a dos parentes que não tiveram a mesma sorte que ela. O “primo rico” sempre foi um predador voltado única e exclusivamente ao seu bem-estar. Fica até cansativo falar dos seus maus-tratos com os parentes pobres. Depois que se meteu numa briga pra defender o velho (mundo) e quebrou “os galego da Alemanha” na porrada, ficou ainda mais prepotente. Acha que todo mundo tem uma dívida eterna com ele. …Leia na íntegra

O destino da flauta

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 20 nov 2014

Tags:, , ,


Nando da Costa Lima

NandoHoje quando o sujeito tem tendência pra música, a família até que gosta, pode ser um grande futuro, o músico é sempre bem vindo. Mas pra uma pessoa no início do século passado assumir a profissão de músico no interior da Bahia, ele tinha que ser muito retado. Se para o músico era barra, imagine o sufoco que a família passava, não ficava um dia sem escutar uma frase desagradável, como: “Lá vai a mulher do pinguço”, “Aquele ali é filho do doido que toca flauta”. O músico comia o pão que o diabo amassou, mesmo que fosse abstêmio, tinha fama de cachaceiro. Hoje a gente sabe que nem todo músico é biriteiro, de mil você tira um e meio que não toca em álcool. Se é pra criar coragem para encarar o público ou se é predestinação, o certo é que nem organista de igreja passa sem uma birita. Mas isto não é da minha conta, meu assunto é outro, é a história de Zuza Bigode, o melhor flautista do interior baiano, tocava até o hino da França, quando não tava tocando tava alisando o bigode e mexendo com a mulher dos outros. Tinha mania de se vangloriar, dizia ter sido o primeiro homem de metade das mulheres da cidade, quando tava muito entusiasmado premiava-se com o título de “Maior Descabaçador do Nordeste”. Fazia questão de dizer que cada fio de bigode correspondia a uma mulher que ele tinha dormido, e olhaque seu bigode era bem criado! Zuza só não apanhava todo dia porque o pessoal era muito passivo e não levavam em conta as mentiras dele, todos perdoavam, aquilo era coisa de músico. …Leia na íntegra

LUIZ, O MAIOR BIÓLOGO BRASILEIRO

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Geral | Data: 02 out 2014

Tags:,

por Ubirajara Brito 

Hildebrando_290x390Não é mais entardecer. O crepúsculo se aproxima do negror da noite eterna; deste momento já vislumbro o outro zero da vida; recebo avisos do fim pelos amigos que vão tombando à minha frente. Há pouco, foi Zé Pedral. Agora, vejo ir-se Luiz Hildebrando, um dos companheiros mais queridos, excepcional inteligência e límpido caráter, dedicados à Ciência e à solidariedade dos humanos.

Na juventude, liderou um grupo de jovens talentosos, entre os quais se encontravam Fernando Henrique, Ruth Cardoso, Zé Vargas, Darci Ribeiro, Maurício Segall, Jean Meyer, Maria Isaura de Queirós, Marinhinha Werebbe, Rogério Cerqueira Leite, Danda Prado, Marlise Meyer, Beatriz Segall,Ely Silva, Erney Camargo e Moisés Nussensweig.

Foi, certamente, o maior biólogo brasileiro do século XX, como atesta sua presença no Instituto Pasteur de París, por onde se aposentou como Diretor de Pesquisas em 1997. A partir de então, veio fixar-se em Rondônia, onde fundou o Instituto de Pesquisas de Parasitologia Tropical, hoje um Centro de Referência de renome internacional. Tive a felicidade de poder ajudá-lo nessa empreitada, no Ministério da Ciência e Tecnologia, conduzido à época por José Israel Vargas. …Leia na íntegra

Mil pesos e incontáveis medidas – Os desarranjos de uma justiça caolha em uma terra de cegos

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Política | Data: 20 set 2014

Tags:, ,

por Robson do Val – Balanço do Dia

Robson8Política fazemos até em casa, com os filhos, com a mulher, com o marido, com os pais…. Podemos até não gostar do termo, tão desgastado pelo mau uso daqueles que militam em suas fileiras, mas nunca poderemos fugir dela.

Ela, a política, está na essência de toda negociação: de espaços, de comando, de conflitos e de tudo que envolva indivíduos vivendo em sociedade. Se você se recusa a pensar e agir como um ser político, está fadado a seguir o caminho dos milhões de fracassados que reclamam sem agir.

Pautamos a nossa linha editorial pela defesa do interesse público, no que concerne, principalmente, ao esclarecimento de fatos que venham lançar luz sobre questões que, no jogo e sob o jugo do poder vigente, acabam sendo escondidas ou minimizadas, causando enormes prejuízos à coletividade incauta.

A falência múltipla das instâncias públicas que deveriam garantir os direitos de todos os cidadãos brasileiros, nos motivou até hoje, a tentar realizar o desejo, para muitos utópico, de denunciar abusos e de promover e compartilhar as ações que verdadeiramente agregam algo de positivo. …Leia na íntegra

Haja Prozac

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Política | Data: 18 set 2014

Tags:, , ,

Fernando Rodrigues – Folha de S. Paulo

10675613_nOuvi uma frase sobre a corrida presidencial que me pareceu perfeita: “Em 2002, achei que o PT estava despreparado para assumir o governo. Mas eu não sabia que o PT estaria agora tão despreparado para deixar o governo”.

É uma avaliação tão cruel quanto verdadeira. Revela também o grau de subdesenvolvimento institucional do país. É claro que não há risco de disrupção, mas parece um pouco incompatível com a regra democrática que um partido entre em desespero frenético apenas porque existe a possibilidade de sair do poder a partir de 1º de janeiro de 2015.

A aparição do ex-presidente Lula, suado e descabelado, fazendo uma manifestação em frente à Petrobras é a síntese do clima atual no PT. E nem está claro que Dilma Rousseff perderá a disputa contra Marina Silva (aliás, a presidente está à frente nas pesquisas). Mas em Brasília é possível respirar um certo pânico no ar. …Leia na íntegra