Pastor Edimar se entrega à Polícia em Itabuna

0

Publicado por Editor | Colocado em Polícia | Data: 25 jun 2018

Tags:,

Da Redação


Nesta segunda-feira (25), o pastor Edimar da Silva Brito, acusado de ser o mandante dos assassinatos de Marcilene Oliveira Sampaio e da sobrinha dela, Ana Cristina Santos Sampaio, se entregou à polícia. Conforme as informações divulgadas, o acusado se apresentou no Complexo Policial de Itabuna.

O pastor Edimar teve a prisão decretada na última semana, pela Vara do Júri e Execuções Penais de Vitória da Conquista. Ele estava em liberdade desde junho do ano passado, quando a sua defesa conseguiu junto à justiça um habeas corpus. A expectativa é que ele seja transferido para Conquista nas próximas horas.

Os outros dois envolvidos no crime, o Pastor Fabio de Jesus Santos e do Vigilante Adriano Silva do Santos, foram presos na última semana. Os três são acusados dos assassinatos que ocorreram no dia 19 de janeiro de 2016.

Justiça determina a prisão dos envolvidos na morte das Pastora Marcilene e sua sobrinha

0

Publicado por Editor | Colocado em Polícia | Data: 19 jun 2018

Tags:, ,

Da Redação

O Juiz de Direito Reno Viana Soare, da Vara do Júri e Execuções Penais de Vitória da Conquista, decretou novamente a prisão preventiva do Pastor Edimar da Silva Brito, do Pastor Fabio de Jesus Santos e do Vigilante Adriano Silva do Santos. Os três são acusados dos assassinatos da Pastora Marcilene Oliveira Sampaio e da sobrinha dela, Ana Cristina Santos Sampaio, que ocorreram no dia 19 de janeiro de 2016.

De acordo com a Promotoria de Justiça, que assinou a denúncia contra os acusados, o crime teria sido motivado por vingança após as vítimas, que eram colegas do pastor suspeito, terem saído da igreja dele depois de um desentendimento para fundar uma nova e levado a maioria dos fiéis.

O Pastor Edimar foi preso 7 dias após o crime, em uma Fazenda da zona rural, no município de Ibicuí, e ficou custodiado à espera do julgamento até junho de 2017, quando sua defesa conseguiu junto à justiça um habeas corpus. Já o Pastor Fábio de Jesus Santos, que foi preso logo após a constatação dos homicídios foi solto em agosto de 2017.

Adriano Silva dos Santos, apontado pela promotoria como o executor das mortes das vítimas, chegou a ser condenado em outubro de 2016 a 30 anos de prisão em regime fechado. No entanto, sua condenação foi anulada. Por força da decisão da Vara do Júri Adriano foi preso nessa segunda (18). O mesmo aconteceu com Fabio, que foi preso por uma guarnição da Rondesp durante patrulhamento tático no bairro Brasil.

Começa o julgamento do pastor Edimar e seus comparsas

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 23 mar 2016

Tags:,

por Mateus Novais

IMG_1603foto: reprodução – Rede Bahia

Nesta quarta-feira (23), foi realizada a audiência de instrução do assassinato da professora e pastora Marcilene Sampaio e sua prima Ana Cristina. Os três acusados de cometer o duplo homicídio, Edimar da Silva Brito e seus comparsas, Fabio de Jesus Santos e Adriano Silva dos Santos e as testemunhas foram ouvidos pela primeira após a apresentação da denúncia.

Parentes das vítimas estiveram no Fórum para acompanhar a audiência, que se estendeu até a noite. Os três acusados chegaram escoltados ao Fórum João Mangabeira.

Durante a audiência de instrução foram ouvidas 18 testemunhas de defesa e acusação. Os três acusados também foram interrogados. Esta foi a primeira vez que eles foram ouvidos como réus do duplo homicídio.

“Hoje nós passamos a instrução do processo. Ou seja, começa a produção das provas requeridas pelo Ministério Público e pela defesa. Hoje formalizamos as provas. E esperamos que em breve eles sejam levados a júri”, explicou o promotor do caso José Junceira.

Julgamento do pastor Edimar e comparsas começa no dia 23 de março

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 10 mar 2016

Tags:,

por Mateus NovaisDSC_0511O Juiz da Vara do Júri e Execuções Penais de Vitória da Conquista, Reno Viana Soares, designou audiência de instrução dos acusados da morte da professora Marcilene e sua prima Ana Cristina para o dia 23 de março. Nesta data deverão ser ouvidas as testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa.

A data foi definida após o Ministério Público ingressar com a denúncia contra o pastor Edimar da Silva Brito e seus comparsas, Fabio de Jesus Santos e Adriano Silva dos Santos, e o advogado apresentou a defesa.

Na petição, a defesa do pastor Edimar, o advogado Antônio Rosa, alegou que “terá meios de provar durante a instrução que o cliente não praticou o delito, pois não estava com as vítimas e sim com o pastor Carlos Eduardo no veículo Nissan Versa”. O advogado também afirma que o pastor Edimar não determinou que Adriano devesse golpear a professora Marcilene e de sua sobrinha. A defesa ainda pediu alvará de soltura em favor de Edimar.

Se todas as testemunhas forem ouvidas durante a audiência de instrução, nesta mesma data serão interrogados os acusados três acusados.

Promotor quer saber como marido de pastora sobreviveu à tentativa de homicídio

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 24 fev 2016

Tags:, , ,

por Mateus Novais

DSC_0741Promotor José Junseira explicou as dúvidas que permeiam o processo

Ainda na entrevista coletiva concedida pelo Ministério Público sobre o caso pastor Edimar, o promotor José Junseira explicou as dúvidas que permeiam o processo. Segundo ele, a principal questão a ser respondida é como Carlos Eduardo, esposo da pastora Marcilene, conseguiu sobreviver à tentativa de homicídio.

“Falta essa resposta: já que mataram Marcilene e Ana Cristinha, porque não mataram Carlos Eduardo? Nós precisamos dessa resposta para, se for o caso, denunciar. […]Toda comunidade quer saber o que houve naquele local. O porquê de só Marcilene e Ana Cristina morrerem?”, questionou o promotor.

Questionado se há suspeita de que Carlos Eduardo seja cúmplice no crime, o promotor deixou em aberto: “Pelo Ministério Público está descartado porque não há nos autos elementos que nos permitam chegar a essa ilação. Mas a polícia deve investigar todas as linhas, para, ao final, responder todas essas questões”. O promotor Junseira também afirmou que não há notícias nos autos da existência de seguros.

Ministério Público nega que tenha inocentado o pastor Edimar

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Justiça | Data: 24 fev 2016

Tags:, ,

por Mateus NovaisDSC_0511Nesta quarta-feira (24), o promotor de Justiça José Junseira, responsável pelo caso envolvendo a morte da pastora Marciele e Ana Cristina, concedeu coletiva à imprensa para desmentir a informação de que tenha inocentado o pastor Edimar. A informação circulou por alguns blogs regionais, após a apresentação da denúncia dos três acusados pelo duplo homicídio.

“Saiu na imprensa que o Ministério Público teria isentado o pastor Edimar da responsabilização pelos crimes a ele atribuídos. Longe disso. Edimar, Fábio e Adriano foram denunciados pelo duplo homicídio de Marciele e Ana Cristina. O que o Ministério Público fez foi devolver os inquéritos, no que diz respeito a tentativa de homicídio de Carlos Eduardo [esposo da pastora Marciele].”, esclareceu o promotor.

Ainda segundo Junseira, há a necessidade de muitos laudos serem anexados ao processo. “Precisamos dos laudos cadavéricos, laudo do local do crime. Ainda há algumas perguntas que precisam ser respondidas. […] Não se identificou ainda o porquê dele [Carlos Eduardo] não ter sido morto pelos denunciados”, concluiu o promotor.

Mesmo com a devolução do inquérito referente à tentativa de homicídio de Carlos Eduardo, o Ministério Público acredita que os três acusados possam ser julgados ainda este ano. A pena pode chegar a 30 anos.

Vale ressaltar que o BLOG DA RESENHA GERAL divulgou trechos da denúncia apresentada pelo Ministério Público em primeira mão. Na reportagem, publicada no dia 17 deste mês, fica explícito que o promotor não inocenta nenhum dos três acusados. “Segundo o MP-BA, os denunciados agiram ‘em conjunto e com unidade de propósito’”, destaca a matéria.

Polícia Civil dá detalhes sobre a prisão do Pastor Edimar

0

Publicado por Editor | Colocado em Polícia | Data: 27 jan 2016

Tags:, , , , ,

Da Redação
foto: Rafael Gusmão

DSC_0668

Durante a entrevista realizada a manhã de hoje (27), a Polícia Civil deu detalhes sobre a prisão do pastor Edimar. Segundo o delegado Marcus Vinícius, responsável pela operação, Edimar Brito foi encontrado na casa de um parente, após conferência de algumas denúncias. O delegado contou que ele e a sua equipe saíram de Vitória da Conquista às 3 horas da manhã dessa terça e percorreram mais de 800 km até encontrar o pastor.

O delegado afirmou que além dos recursos de inteligência da polícia, a colaboração da população foi essencial para efetuar a prisão de Edimar. “Nós verificamos cada denúncia chegou à Polícia Civil, realmente todas foram verídicas, a população levou muito a sério esse caso, não fez denúncias falsas, e coroamos com êxito o cumprimento da prisão preventiva que foi decretada pela Vara do Júri”, declarou Marcus Vinícius.

O delegado informou que após localizar Edimar, ele ainda conseguiu fugir, já que o acesso à fazenda que ele estava é muito difícil. Mas diante do cerco, o acusado decidiu se entregar na presença do seu advogado. Durante os sete dias em que esteve foragido, Edimar contou com a ajuda de várias pessoas. “Ele é muito conhecido e querido por várias pessoas. Ele acabou ludibriando essas pessoas que o ajudaram. Aqueles que o ajudaram de má fé, sabendo que ele tinha envolvimento com o crime e tentaram protegê-lo vão responder também criminalmente”, afirmou o delegado.

Para a polícia, o duplo homicídio está elucidado, precisando apenas fechar alguns detalhes do inquérito, por ser um caso muito complexo, com muitas vítimas e muitos autores, apesar de Edimar não ter confessado a autoria. “Diante dos interrogatórios e acariações, nós pretendemos provar cabalmente o evolvimento do mesmo. Os indícios são muito grandes, tendo em vista que os co-autores o denunciam e uma das vítimas também o denuncia”, ressaltou Marcus Vinícius. Assim, os três acusados serão indiciados, a princípio, por duplo homicídio.

Em entrevista coletiva, pastor Edimar nega participação no duplo homicídio

0

Publicado por Editor | Colocado em Polícia | Data: 27 jan 2016

Tags:, , , , ,

Da Redação
foto: Rafael Gusmão

DSC_0644
No início da manhã desta quarta-feira (27), a Polícia Civil de Vitória da Conquista realizou uma entrevista coletiva para apresentar o pastor Edimar Brito, acusado de ser o mentor dos assassinatos da também pastora Marcilene Sampaio e de sua prima, Ana Cristina Sampaio, no dia 19 de janeiro. Edimar foi preso na tarde dessa terça-feira (26), em uma Fazenda da zona rural no município de Ibicuí, após cerca de 20 horas de buscas da polícia.

À imprensa, Edimar voltou a negar que foi ele quem assassinou as duas mulheres a pedradas. Ele foi bastante suscinto durante a entrevista, recusando-se a falar qualquer coisa à respeito do crime. Já de acordo com o delegado Marcus Vinícius, titular da 10ª Coordenadoria de Polícia do Interior (10ª Coorpin), Edimar confessou que esteve no local do duplo homicídio, coagido pelos os outros dois criminosos, Fábio de Jesus Santos e Adriano Silva dos Santos, que estão presos e confessaram participar da ação a pedido de Edimar, que seria o mentor do crime. Além disso, segundo os dois homens, Edimar foi quem teria desferido as pedradas nas vítimas.

A suspeita da polícia é de que o crime teria sido motivado por vingança após as vítimas, que eram colegas do pastor suspeito, terem saído da igreja dele depois de um desentendimento para fundar uma nova e levado a maioria dos fiéis. Ainda de acordo com a polícia, a intenção dos criminosos era matar toda a família no sítio em que as vítimas residiam.