34% dos consumidores que pretendem presentear no Natal possuem contas em atraso

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 06 dez 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

Dois em cada cinco consumidores que vão presentear este ano ficaram com nome sujo por causa das compras do Natal de 2016. Valor total médio das dívidas que levaram a negativação é de R$ 961

Tradição, demonstração de afeto, merecimento, pressão dos filhos e familiares – motivos não faltam para justificar as despesas com a compra de presentes no Natal. Porém, muitas pessoas tomam decisões financeiras impensadas nesta época e acabam comprometendo o orçamento, gastando mais do que podem e se endividando. Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) identificou que três em cada dez consumidores que têm intenção de presentear este ano possuem contas em atraso atualmente (34%) e 32% estão com o nome sujo no momento (queda de 6,9 p.p em relação ao ano passado).

O levantamento mostra que 16% costumam gastar mais do que podem nas compras do Natal, 7% pretendem deixar de pagar alguma conta para poder comprar presentes, 5% para conseguir participar das comemorações de Natal  e 6% das comemorações de ano novo. …Leia na íntegra

Número de empresas inadimplentes cresce 3,60% em outubro, mostra indicador do SPC Brasil e CNDL

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 05 dez 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

Empresas do Sudeste e do segmento de Serviços lideram o crescimento entre devedores

O número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de devedores cresceu 3,60% em outubro na comparação com o mesmo mês do ano passado – quando a variação havia sido de 7,27%. Na passagem de setembro para outubro de 2017, sem ajuste sazonal, houve leve crescimento de 0,82%. Os dados são do Indicador de Inadimplência Pessoa Jurídica calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).
“Essa desaceleração do aumento da inadimplência das empresas ocorre mesmo em meio à crise econômica e reflete o ambiente de maior restrição ao crédito e menor propensão a investir, que trazem redução do endividamento”, afirma o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro. “Para os próximos meses, espera-se que atividade econômica siga uma lenta recuperação, e que os empresários permaneçam cautelosos devido ao cenário de grande incerteza política e econômica, o que deve manter o crescimento da inadimplência das empresas limitado.”

Número de dívidas tem crescimento de 1,53% em outubro

Outro indicador também mensurado pelo SPC Brasil e pela CNDL é o de dívidas em atraso. Neste caso, o crescimento foi de 1,53% na comparação anual. Seguindo a mesma tendência que o número de empresas devedoras, o resultado de setembro permanece em nível baixo em comparação à média histórica (9,39%). Na comparação mensal, na passagem de setembro para outubro, a variação positiva foi de 0,59%.

Sudeste lidera crescimento do número de empresas negativadas …Leia na íntegra

59,3 milhões de brasileiros estão com o nome negativado, mostra estimativa do SPC Brasil e CNDL

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 23 nov 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

Região Sudeste concentra o maior número de negativados: 24,34 milhões de consumidores. Número de dívidas cai -4,01% em setembro

O volume de brasileiros com contas em atraso e registrados nos cadastros de devedores apresentou um leve aumento no último mês de outubro, após sete quedas consecutivas. Segundo dados do indicador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) houve um aumento de 0,20% na quantidade de inadimplentes na comparação entre outubro deste ano com o mesmo mês do ano passado.

Na comparação mensal, ou seja, entre setembro e outubro, o indicador apresentou aumento de 0,5%. O SPC Brasil e a CNDL estimam que o Brasil encerrou outubro com aproximadamente 59,3 milhões de brasileiros com alguma conta em atraso e com o CPF restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas.  O número representa 39% da população com idade entre 18 e 95 anos.

“A estimativa tem se mantido estável desde o início de 2016. Por um lado, as dificuldades do cenário recessivo fazem crescer o número de devedores, e por outro a maior restrição do crédito e queda na propensão do consumo age na direção contrária, limitando a tomada de crédito e o crescimento da inadimplência”, explica o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, afirma: “A tendência de estabilidade da estimativa deve se manter nos próximos meses.”

Sudeste é a região que concentra a maior quantidade de inadimplentes …Leia na íntegra

Cartão de loja e empréstimos são os principais tipos de conta que levam à inadimplência, revelam SPC Brasil e CNDL

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 22 nov 2017

Tags:, ,

da Redação
Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

Inadimplentes assumem mais compromissos financeiros que no ano passado. Contas ligadas à saúde e moradia, como condomínio e aluguel, são as pagas com prioridade

 

Um estudo realizado em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que os cartões de loja e os empréstimos são os principais causadores da inadimplência dos brasileiros. Em cada dez inadimplentes que possuem cartões de loja, oito (80%) se encontram nessas condições porque atrasaram essa conta. Em 2016, o percentual de atrasos com essa modalidade de crédito era de 73%. A segunda modalidade de crédito que mais gera negativação de CPF são os empréstimos em bancos ou financeiras: 65% dos entrevistados que têm esse tipo de compromisso ficaram com o ‘nome sujo’ em decorrência de atrasos em suas parcelas. Nesse último caso, houve uma queda de 10 pontos percentuais na comparação com o ano passado.

Em seguida, entre os principais ‘vilões da inadimplência’ estão cartão de crédito (65%), cheque especial (64%), crediário (60%), cheque pré-datado (51%), financiamento de automóvel ou moto (50%), crédito consignado (38%), financiamento da casa própria (27%) e mensalidades escolares (24%). …Leia na íntegra

Pesquisa consolida liderança de ACM Neto na sucessão do Governo da Bahia

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia | Data: 05 nov 2017

Tags:, , ,

da Redação

O  Instituto Paraná, na última quarta-feira (01/11), destacou ACM Neto (DEM) liderando a disputa à sucessão estadual, com 54,5% das intenções de voto. Coube a  TV Record divulgar os dados da  pesquisa contratada ao Institututo Paraná. No levantamento, o governador Rui Costa (PT) aparece com 24,1%, seguido do senador Otto Alencar (PSD), com 4,7%, e de Fábio Nogueira (PSOL), com 2,9%. 4,3% disseram não saber em quem votar e 9,5% não escolheriam nenhum dos candidatos.

No segundo cenário, sem Otto, ACM Neto cresce um pouco mais, passando a 56,4% das intenções de voto, assim como Rui Costa, que registra 25,8%, ao passo que Fábio Nogueira chega a 3,1%.

Entrevistado pela Folha de São Paulo, o prefeito de Salvador, ACM Neto voltou a falar que ainda não decidiu sobre 2018, mas admitiu que sua candidatura é a mais forte no grupo oposicionista. “Minha candidatura é a mais forte dentro do grupo da oposição (estadual). Temos condições de competitividade muito boas, com palanques em quase todos os municípios”, disse Neto.

 

Alimentação diferenciada abre oportunidade para negócios, revela pesquisa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 18 out 2017

Tags:, , ,


da Redação
Fonte: Agência Sebrae de Notícias Bahia

Opções de cardápio podem incluir comida orgânica, vegetariana e saladas especiais

Uma pesquisa nacional, realizada pelo Sebrae, revela que há boas oportunidades para pequenos negócios que queiram investir na oferta de alimentação saudável e diferenciada. De acordo com o levantamento, apenas 6% das micro e pequenas empresas apostam nesse segmento, que é um novo nicho de mercado. Dos poucos que comercializam alimentação saudável, 56% trabalham com comida orgânica, 18% saladas especiais, 6% vegetariana e 6% produzem alimentação saudável para crianças.

“Esses dados mostram que há oportunidades para empreendedores atentos a novos perfis de consumo, a exemplo daqueles que preferem a gastronomia sustentável. É uma tendência de consumo, o que pode gerar negócios inovadores, como restaurantes e lanchonetes especializados no público infantil ou para aqueles consumidores que preferem alimentação à base de produtos orgânicos, por exemplo”, disse a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes.

Ela explica também que, por existir essa nova tendência, alguns varejistas preparam suas cadeias de suprimentos para trabalhar com ingredientes de origem conhecida e certificada, além de privilegiar alimentos frescos e de fornecedores locais. “Percebemos que, cada vez mais, há consumidores que buscam opções saudáveis e que estão menos tolerantes aos ingredientes artificiais”, completa a diretora do Sebrae.

Zé Ronaldo nega ter contratado pesquisa e diz que dados são ‘farsa’

0

Publicado por Editor | Colocado em Bahia | Data: 05 out 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Bahia.ba (Reprodução)

“Nunca ouvi sequer falar nesse [instituto] citado nas especulações para fazer pesquisa política em Feira de Santana”, diz prefeito

Foto: Mateus Soares/ bahia.ba
Foto: Mateus Soares/ bahia.ba

 

O prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho (DEM), negou ter contratado o instituto Ipex Bahia para aferir o cenário eleitoral em sua cidade para 2018.

Aliados do governador Rui Costa (PT) divulgaram que uma consulta contratada pelo democrata apontava liderança do petista contra ele mesmo e o gestor de Salvador, ACM Neto (DEM) (veja aqui).

“Fui surpreendido, de forma até brutal, com esta especulação em torno de uma pesquisa, atribuída a mim, em que o governador Rui Costa apareceria liderando, diante de ACM Neto e de mim mesmo, na minha cidade, Feira de Santana. Em momento algum contratei nenhum instituto para aferir candidaturas, e nunca ouvi sequer falar nesse citado nas especulações para fazer pesquisa política em Feira de Santana”, afirmou o prefeito feirense, em contato com o bahia.ba.

De acordo com Zé Ronaldo, a informação foi divulgada “não sei por quem, de forma irresponsável” e “não tem nenhum fundamento”. “Sei que acontece, infelizmente, esse tipo de farsa em ano pré-eleitoral”, lamentou o prefeito.

Um em cada cinco internautas tem o hábito de comprar em sites internacionais, revela pesquisa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 03 out 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

Acessórios para celulares, tablets e computadores estão entre os produtos mais comprados. Preço baixo em relação aos sites nacionais é a principal justificativa mencionada por 76% dos consumidores

Adquirir produtos em sites internacionais já é uma tendência que está em crescente consolidação nos últimos anos no Brasil. Pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes lojistas (CNDL) indica que 22% dos internautas têm o hábito de comprar em sites do exterior.

Os itens mais adquiridos são acessórios para celular, tablet ou computador, como capas, películas, carregadores e pen drive (49%, aumentando para 65% entre os indivíduos das classes A e B), vestuário, calçados e acessórios como cintos e bolsas (42%, aumentando para 57% entre as mulheres), livros físicos ou digitais (20%) e artigos esportivos (19%, aumentando para 27% entre os homens).

O principal motivo citado por 76% dos consumidores para realizar compras em sites internacionais é o preço mais baixo dos produtos em comparação com os sites nacionais. Já a possibilidade de comprar produtos aos quais não têm acesso ou são difíceis de serem encontrados no Brasil foi um argumento mencionado por 53%, seguido da variedade de produtos citado por 48%.

“De acordo com o estudo, a aceitação desse tipo de compra virtual está relacionada aos valores financeiros que fazem compensar a espera do prazo de recebimento e os riscos envolvidos, além da grande oferta de produtos que nem sempre estão à disposição no mercado nacional”, pondera o presidente da CNDL, Honório Pinheiro. …Leia na íntegra

61% dos donos de animais de estimação veem seus pets como um membro da família; gasto mensal é de R$189, em média

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 26 set 2017

Tags:, , , ,

da Redação
Fonte: CNDL/CDL (Conteúdo)

Pesquisa feita com internautas pelo SPC Brasil mostra que alimentação saudável, saúde e conforto para dormir são principais cuidados; apenas 8% associam seus animais de estimação à despesas financeiras e 46% dão preferência a lugares que permitem a presença de gatos ou cachorros

Alimentação saudável, cuidados com a saúde, bem-estar físico e mimos de todo tipo. Foi-se o tempo em que a expressão ‘vida de cão’ era usada como sentido negativo. Uma pesquisa inédita realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais com internautas que possuem ou são responsáveis financeiros por um animal de estimação revela que 61% dos entrevistados consideram seus pets como um membro da família. E para cuidar do bem-estar desses companheiros, eles gastam, em média, R$ 189 todos os meses, cifra que aumenta para R$ 224 entre os consumidores das classes A e B. Para quem recebe até dois salários mínimos, esse valor pode representar até 10% da renda familiar.

O levantamento revela ainda que um terço (33%) dos donos de pets admite que na hora das compras sempre opta por itens que vão além do básico e 21% nunca deixam de comprar algo para seus animais de estimação por falta de dinheiro.

No total, 76% dos brasileiros com acesso à internet possuem animação de estimação, sendo que os mais comuns são os cachorros (79%), gatos (42%) e pássaros (17%). Completam o ranking os peixes (13%), tartarugas (6%) e roedores (5%), como coelhos, camundongos, furões e porquinhos da índia. …Leia na íntegra

Na comparação com julho de 2016, as vendas do varejo tiveram alta de 3,1% em julho de 2017

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 14 set 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Época Negócios / CDL (Conteúdo)

As vendas do comércio varejista ficaram estáveis em julho ante junho, na série com ajuste sazonal, informou na manhã desta terça-feira, 12, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio em linha com a mediana das estimativas do mercado financeiro (zero), calculada com base no intervalo de previsões dos analistas ouvidos, que esperavam desde uma queda de 0,90% a alta de 0,60%.

Na comparação com julho de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 3,1% em julho de 2017, também em linha com a mediana das estimativas. Nesse confronto, as projeções iam de uma expansão de 2,10% a 4,00%. As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 0,3% no ano e queda de 2,3% em 12 meses.

Fonte: Época Negócios 

Vendas do varejo avançam pelo 3º mês seguido, aponta IBGE

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 21 ago 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Varejista.com.br (folhape.com.br) / CDL (Conteúdo)

O volume de vendas no comércio varejista brasileiro cresceu 1,2% na passagem de maio para junho. Já a receita nominal teve expansão de 0,8%. Nos dois indicadores, o setor apresentou a terceira alta consecutiva para o período. Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio foram divulgados nesta terça (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As informações são da Agência Brasil.

Na comparação com junho de 2016, as vendas tiveram alta de 3% no volume e 2,4% na receita. No acumulado do ano, apesar de registrar queda de 0,1% no volume, houve alta de 1,9% na receita. No acumulado de 12 meses, o mesmo comportamento, queda de 3% no volume e alta de 3,2% na receita.

Na passagem de maio para junho, seis das oito atividades do comércio varejista tiveram alta no volume de vendas, com destaque para os setores de tecidos, vestuário e calçados (5,4%) e de livros, jornais, revistas e papelaria (4,5%).

Também anotaram alta os setores de combustíveis e lubrificantes (1,2%), móveis e eletrodomésticos (2,2%), artigos farmacêuticos, médicos e de perfumaria (1,5%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,7%).

Por outro lado, duas atividades tiveram queda no volume: equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-2,6%) e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,4%).

Varejo Ampliado 

No chamado varejo ampliado, que considera oito atividades varejistas, além de veículos e peças e materiais de construção, o volume de vendas teve alta de 2,5% em junho, depois de uma queda de 0,2% em maio. Os veículos, motos e peças registraram alta de 3,8%, enquanto os materiais de construção cresceram 1%.
Na comparação com junho de 2016, o varejo ampliado teve alta de 4,4%. No acumulado do ano, a alta é de 0,3%. Já no acumulado de 12 meses, o volume de vendas acumula queda de 4,1%.

Pesquisa revela que brasileiro não sabe o que é o Sistema Parlamentarista

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 15 ago 2017

Tags:, ,

da Redação

Foi divulgada uma pesquisa sobre o Sistema Parlamentarista realizada pela Paraná Pesquisas que se estendeu a  todos os estados do Brasil. Nela  demosntra que 59,6% dos brasileiros não sabem o que é parlamentarismo. Dos 2.410 entrevistados, apenas 37,9% sabem do que se trata e 2,5% não quiseram responder.

O presidente Michel Temer (PMDB), que avalia apresentar PEC, vem fomentando  a adoção do novo regime. Os entrevistados responderam sobre a aprovação ou desaprovação da adoção do sistema no Brasil. A desaprovação chegou a 46,4%, os que aprovaram somaram 39,4% e os que responderam com a opção de ‘Depende’ tiveram 6,7% das respostas. Os que preferiram não opinar somaram 7,5%.

Sobre as manifestações regionais os  resultados foram os seguintes: a região Sul, onde obteve a maior aprovação somou 45,2%. As regiões Norte e Centro-Oeste, com 44%. Em terceiro lugar aparece o Sudeste, com 39,3%, seguido pelo Nordeste, com 33,8%.

O Instituto Paraná Pesquisas ouviu 2.410 brasileiros, com 16 anos ou mais, por meio de um questionário online disponibilizado entre os dias 08 e 10 de agosto. A amostra atinge um grau de confiança de 95% com margem de erro de aproximadamente 2% para os resultados gerais. Os resultados por região te, grau de confiança de 9% e margens de erro de 3% para o Sudeste, 4% para o Nordeste, 5,5% para o Norte, Centro Oeste e Sul.

Parlamentarismo/Entenda

Por Leonardo Carlo Biggi de Paiva
Parlamentarismo nada mais é que um sistema de governo, um modo de se governar. Leva esse nome exatamente porque quem governa nesse regime ou sistema é o parlamento, composto de representantes escolhidos pelo povo para deliberar e votar as leis de um País. Faz contraponto ao sistema presidencialista, regime este que quem governa é apenas o presidente.
 Podemos dizer que no sistema parlamentarista o chefe de governo é figura distinta do chefe de Estado. Assim, o governo se concentra na pessoa do Primeiro Ministro e seu gabinete, composto por outros ministros, que em última análise são parlamentares, e o chefe de Estado é o presidente ou monarca, dependendo da forma de governo adotada, o qual possui determinadas funções de representação, principalmente internacional, mas não detém poder algum. …Leia na íntegra

Câmara 2018: Maioria dos brasileiros prefere candidatos que nunca ocuparam cargo público

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Política | Data: 08 ago 2017

Tags:,

Bahia Notícias


Com a maioria dos deputados na base aliada do presidente Michel Temer, 63,2% dos brasileiros preferem votar em candidatos que ainda não tenham exercido nenhum cargo público nas eleições de 2018. Aqueles que preferem nomes que já tenham tido mandato como deputado federal representam 16,9% dos eleitores, segundo dados do instituto Paraná Pesquisas.

O levantamento foi feito online, de quinta (3) a segunda (7) e consultou 2.550 brasileiros com idades a partir de 16 anos. De acordo com a pesquisa, que tem grau de confiança de 95% e margem de erro de aproximadamente 2%, 12,2% dos eleitores não sabem ou não opinaram enquanto 7,6% preferem candidatos que já exerçam algum cargo público, mas que nunca tenham sido deputados federais.

O mesmo levantamento também mostrou que 89,9% dos eleitores acredita que o arquivamento da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Temer não encerra a crise política instalada no país.

Pesquisa revela como brasileiros usaram FGTS resgatado

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 18 jul 2017

Tags:, ,

Por Thainá Protta
Foto: Ilustração (Google)

(…) A Lendico, plataforma online de crédito pessoal, fez um levantamento com quase mil brasileiros para descobrir como eles usaram o dinheiro resgatado das contas inativas do FGTS e como era de se esperar a maioria, 64%, tentou pagar suas dívidas, porém destes somente 31% das pessoas que responderam a pesquisa conseguiram quita-la integralmente. Além disso, 10% usaram o dinheiro para reformar ou construir um imóvel; 7% para compra de um bem; 7% para investimento; 2% para abrir ou investir em um negócio; 2% para viajar; e outros 8% para outros motivos.

Dos que usaram o dinheiro para pagar dívidas, 32% pagaram o cartão de crédito, 23% despesas da casa, 15% cheque especial, 14% empréstimos, 5% financiamentos e 10% outras dívidas. E destes 31% pagou toda a dívida, 27% pagou menos de 25% do que devia e 5% pagou mais de 75% das contas em débito.

“A maioria fez bem em usar o dinheiro para pagar dívidas com juros altos, como o cartão de crédito ou cheque especial, mas quem não conseguiu pagar na totalidade deve se livrar o quanto antes da dívida, para que ela não volte a crescer”. Marcelo Ciampolini.

 

80% dos brasileiros cortaram gastos em 2017; alimentação fora de casa lidera ranking

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 14 jul 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: CNDL / CDL / Conteúdo

76% dos brasileiros avaliam que a vida financeira está igual ou pior que no ano passado; 57% passaram a fazer bicos em 2017 e apenas 29% nutrem esperanças de que a economia voltará a crescer ainda este ano

Com o país há quase três anos mergulhado em uma crise econômica, a maior parte dos brasileiros chega ao segundo semestre de 2017 sem ainda ter notado melhora no quadro econômico. Um levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional e Dirigentes Lojistas (CNDL) com consumidores de todas as regiões, idades e classes sociais revela que, na comparação com 2016, 80% dos brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento ao longo do primeiro semestre deste ano para lidar com os efeitos da crise.

O principal item cortado por esses consumidores foi a alimentação fora de casa, citado por seis em cada dez (57%) pessoas. Outros produtos e serviços que também deixaram de ser prioridades para o brasileiro foi a aquisição de roupas, calçados e assessórios (55%), idas a bares e restaurantes (53%), gastos com lazer e cultura, como cinema e teatro (51%), viagens (51%), idas a salões de beleza (50%) e a compra de itens supérfluos nos supermercados (50%).

Para 76% dos brasileiros, vida financeira está igual ou pior que no ano passado; economia do país piorou para 39%

A pesquisa demonstra que a melhora de alguns índices econômicos como o recuo da inflação e a queda das taxas de juros ainda não se refletiu em efetiva percepção de melhora no dia a dia do consumidor. De acordo com o balanço do primeiro semestre, para 76% dos consumidores, a vida financeira pessoal continuou igual ou pior do que no ano passado. Apenas 19% consideram que houve melhora no período avaliado. A percepção predominantemente negativa se mantém elevada em todos os estratos analisados, como gênero, idade e classe social.

A avaliação que os entrevistados fazem do desempenho da economia do país como um todo também vai na mesma direção: para 39% dos entrevistados, as condições da economia brasileira pioraram nos seis primeiros meses deste ano em relação ao ano passado, enquanto para 38%, ela se manteve do mesmo jeito. De modo inverso, apenas 19% acreditam que houve melhora ao longo do período.

“A reconquista da confiança dos brasileiros ainda demandará tempo e depende de resultados mais palpáveis no campo econômico. No momento, a condição para que a economia melhore é a solução do impasse político e a aprovação das reformas estruturais, como a da previdência e a trabalhista. As projeções indicavam que o início da recuperação se daria ao longo do segundo semestre. Agora, porém, levantam-se muitas dúvidas sobre essa possibilidade acontecer neste ano”, avalia o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Três em cada dez atribuem piora nas finanças à diminuição da renda ou desemprego; 57% dos brasileiros passaram a fazer bicos em 2017 …Leia na íntegra

89% dos internautas fizeram compras online no último ano

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Economia | Data: 25 jun 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonde: CNDL / CDL (Conteúdo)

 43% dos consumidores online estão usando mais a internet para fazer compras do que há um ano; 87% ficaram satisfeitos com a última compra, mas 30% têm receio de não receber o produto

Fazer compras pela internet já se tornou um hábito do internauta brasileiro, independentemente do gênero, idade ou classe social. É o que revela um estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) nas 27 capitais do país. De acordo com esse levantamento, 89% dos internautas realizaram ao menos uma compra online no último ano, percentual que se mantém elevado em todos os estratos sociais analisados, mas ganha destaque entre os homens (93%), pessoas de 35 a 49 anos (95%) e pertences às classes A e B (99%). Apenas 4% das pessoas que têm acesso à internet admitiram nunca ter feito qualquer compra online.

Segundo a pesquisa, mesmo em um cenário de crise, a maior parte (43%) dos consumidores online (43%) aumentou a quantidade de produtos adquiridos pela internet na comparação com 2016. Para 38%, o volume se manteve estável, enquanto 18% diminuíram o número de compras feitas por esse meio.

A percepção de que os produtos vendidos pela internet são mais baratos do que nas lojas físicas é a vantagem que o internauta brasileiro mais identifica, razão mencionada por 58% desses consumidores. Outros motivos também destacados são a comodidade por não ter de sair de casa (45%), o fato de poder fazer as compras no horário que quiser (31%) e a economia de tempo (29%). Há ainda 28% de entrevistados que citam a facilidade que a internet proporciona na comparação de preços. …Leia na íntegra

Pequenos negócios respondem por 91% das vagas de empregos em maio

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 24 jun 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Agência Sebrae / site CDL

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas criaram quase 136 mil novos postos de trabalho

Do total das 34,2 mil vagas de trabalho criadas em maio deste ano, as micro e pequenas empresas foram as responsáveis por 31,2 mil, o que corresponde a 91% do total de novos empregos gerados no período. As médias e grandes empresas responderam pela criação de dois mil postos de trabalho, e a administração pública, por 955 vagas.

Os dados são do levantamento feito mensalmente pelo Sebrae com base nos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.  “O número de postos de trabalho criados pelos pequenos negócios é 15 vezes superior ao das empresas de médio e grande portes. Mais uma vez, as micro e pequenas empresas puxaram a geração de empregos no Brasil”, afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Entre janeiro e maio, os pequenos negócios do setor de Serviços lideraram a geração de empregos no país, com a criação de 111,4 mil novos postos de trabalho. Em maio, o setor que mais contribuiu para o bom desempenho das micro e pequenas empresas na contratação de empregados foi o da Agropecuária,  com a ocupação de 26,5 mil vagas, em virtude da sazonalidade do setor. No mesmo período, os negócios de Serviços geraram quase 12 mil novos postos, impulsionado pelas atividades de imobiliárias, serviços médicos, odontológicos e veterinários  e ensino. A Construção Civil também apresentou saldo positivo de 2,4 mil empregos. Já a Indústria, o Comércio e a Extrativa Mineral encerraram vagas, com as extinções de, respectivamente, seis mil, 3,9 mil e 230  postos de trabalho nos pequenos negócios.

Desde o início do ano, os pequenos negócios acumulam um saldo positivo de 135,9 mil novos empregos, enquanto as médias e grandes empresas extinguiram 127,4 mil postos de trabalho. No mesmo período do ano passado, o saldo de empregos gerados pelos pequenos negócios era negativo em 72,9 mil.

Comércio registra melhor abril em criação de empregos desde 2012

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 21 jun 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: Veja Online / CDL (Conteúdo)

Varejo paulista encerrou o mês com saldo de 1,57 mil postos de emprego, após quatro saldos mensais negativos

O comércio varejista no Estado de São Paulo registrou o primeiro saldo positivo de criação de empregos desde novembro de 2016, foram criados 1,57 mil postos de trabalho em abril deste ano. As informações são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

É o melhor resultado para o mês de abril desde 2012, foram 66,83 mil admissões e 65,26 mil desligamentos. Segundo a FecomercioSP, o saldo positivo reflete a sazonalidade positiva da Páscoa e o bom desempenho dos supermercados paulistas.

Pesquisa do ibge aponta aquecimento nas vendas do varejo

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 15 jun 2017

Tags:, , ,


da Redação
Fonte: CNDL

A liberação dos recursos das contas inativas do FGTS é um dos principais fatores responsáveis pelo aumento do consumo

O crescimento nas vendas percebido setor varejista no mês de abril foi confirmado na pesquisa, divulgada nesta terça-feira (13), pelo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que registrou alta de 1,9% em abril em comparação com o mesmo período do ano passado.

Para o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, a liberação dos recursos das contas inativas do FGTS é um dos principais fatores responsáveis pelo aumento do consumo. “A última pesquisa sobre o uso do FGTS da CNDL/SPC mostrou que boa parte dos brasileiros usam o dinheiro para saldarem suas dívidas, mas um importante percentual utiliza os recursos com despesas do dia a dia”, destacou Pinheiro.

Levantamento divulgado neste mês pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) apontou que, dentre os trabalhadores que já realizaram saques, 38% usaram o dinheiro extra para quitar dívidas em atraso, enquanto 4% usaram esse recurso para pagar ao menos parte das pendências. Os que estão gastando esses valores com despesas do dia a dia representam 29% da amostra. Há ainda 19% de trabalhadores que optaram por poupar o benefício.

Supermercados puxam os resultados positivos

De acordo com a pesquisa do IBGE, o resultado positivo de 1,9% em comparação com abril do ano passado tem influência direta da Páscoa. Foi o primeiro resultado positivo em 24 meses, dando fim a uma sequência de quedas iniciadas em abril de 2015. No entanto, considerando o mês de março em comparação a abril, outros setores aqueceram as vendas.

Apesar da influência positiva dos hipermercados, supermercados, fumo e bebidas e produtos alimentícios, que registraram um aumento de 0,9% das vendas, os setores de tecidos, calçados e vestuário cresceram 3,5%, enquanto informática e comunicação, equipamentos e material para escritório apresentam taxa positiva de 10,2%.

O levantamento registrou queda de 0,8% nos combustíveis e lubrificantes, de 2,8% para móveis e eletrodomésticos e um recuo de 4,1% em livros, jornais, revistas e papelaria.

58% dos consumidores planejam reduzir os gastos em junho

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 11 jun 2017

Tags:, , ,

da Redação
Fonte: CNDL / CDL

6% relatam aumento na fatura do cartão de crédito. 47% dos consumidores com empréstimos ou financiamentos admitem atrasos no pagamento de parcelas

O Indicador de Propensão ao Consumo, calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), aponta que 58% dos consumidores planejam reduzir os gastos em junho – as principais justificativas são a tentativa de economizar (23%), os preços mais elevados (18%), o fato de estarem endividados (15%) e uma redução de renda (10%).

Refletindo sobre sua realidade financeira, a maior parte (42%) diz estar no zero a zero, sem sobra nem falta de dinheiro. Já 37% dizem estar no “vermelho”, sem conseguir pagar todas as contas e somente 15% dizem estar com sobra de dinheiro.

“A quantidade de consumidores no limite de seu orçamento pode ser reflexo da crise econômica, mas também não se pode desconsiderar a falta de organização financeira, que leva ao acúmulo de dívidas e a todas as consequências que decorrem do aperto, como o stress e até o desentendimento familiar”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. “O tempo que o consumidor passa cuidando de suas finanças pode determinar se, no final do mês, ele estará em aperto e dificuldades ou com as contas em dia.”

Excluindo itens de supermercado, na lista dos produtos que os consumidores pretendem comprar em junho, roupas, calçados e acessórios foram citados por 23%. Em seguida, aparecem os itens de farmácia (22%), recarga de celular (18%) e perfumes e cosméticos (13%).

42% dos consumidores disseram ter utilizado algum tipo de crédito …Leia na íntegra