Conquista: Administração Municipal apresenta projeto de Plano de Saúde para servidores

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral, Vit. da Conquista | Data: 05 abr 2019

Tags:, , ,

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é candeias_premium_350.gif

Fonte: Secom/PMVC

A Prefeitura de Vitória da Conquista encaminhou para a Câmara de Vereadores, no último mês, o Projeto de Lei Complementar nº 02, que autoriza a contratação de Plano de Saúde e Odontológico aos servidores municipais por parte dos poderes Executivo e Legislativo. Nesta quinta-feira (04), o prefeito Herzem Gusmão recebeu os representantes dos três sindicatos e os vereadores Álvaro Phiton, Jorge Bezerra e Luís Carlos Dudé para apresentar o projeto para a contratação dos serviços de assistência médica, ambulatorial e hospitalar.

O prefeito falou sobre a novidade. “E hoje estamos comemorando o importante trabalho realizado pelos técnicos do nosso governo, que irá viabilizar o tão sonhado Plano de Saúde dos servidores. Isso é histórico! É algo que irá melhorar imensamente a vida dos trabalhadores do Município e dos seus familiares”, declarou Herzem.

Ainda em sua fala, o prefeito também informou aos presentes que o projeto da Habitação dos Servidores está na fase de análise jurídica pela Administração Municipal. A área para doação aos servidores, inclusive, já foi identificada e as tratativas com a Caixa Econômica Federal já foram iniciadas.

…Leia na íntegra

Aposentado pode manter o plano de saúde da empresa

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 12 ago 2018

Tags:,


Banner marcelo santana

Clayton Castelani
do Agora (Reprodução)

O empregado que contribuiu para o pagamento do plano de saúde oferecido pela empresa conta com a possibilidade de mantê-lo na aposentadoria, opção considerada mais interessante do que a contratação de um novo convênio.

“Manter o plano empresarial ao se aposentar é, sem dúvida, uma grande vantagem”, diz o advogado especialista em direito à saúde Rodrigo Araújo. “A alternativa seria a contratação de um plano individual ou familiar, mas além de muito caros, pouquíssimas empresas ainda oferecem esse serviço.”

Ao optar por continuar no plano empresarial, o aposentado precisará assumir também a parte paga à operadora pelo ex-empregador.

Plano de saúde ou plano de doença?

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil, Saúde | Data: 30 jun 2018

Tags:, ,

Cadri Massuda

Modelo que privilegia a saúde e não a doença, mudança cultural e mais diálogo com o governo podem resultar em mensalidades mais acessíveis

Ter um plano de saúde é o terceiro item da lista de desejos do brasileiro, só perdendo para a casa própria e educação. Segundo pesquisa do Ibope mais de 80% dos beneficiários estão satisfeitos ou muito satisfeitos com a assistência de saúde prestada pelas operadoras. Então, por que apenas 25% da população brasileira possui um plano de saúde? A resposta parece óbvia: o alto custo. Os números da crise econômica comprovaram que três milhões de pessoas precisaram abrir mão do plano de saúde nos últimos anos migrando para, principalmente, as duas seguintes opções: o SUS, que opera acima da capacidade e com atendimento deficiente em várias áreas, e as clínicas populares ou cartão de desconto – modalidade de atendimento de saúde de baixo custo que se proliferou pelo País, mas que não é fiscalizada pelo Governo (pelo menos não com tanta seriedade quanto os planos de saúde).

O próprio conceito de sobrevivência da modalidade cartão de desconto já nasceu com uma visão distorcida e operando com uma lógica que pode ser tida como perversa. Isso porque é um serviço que lucra com a doença – e a saúde fica em segundo lugar. Enquanto para as operadoras não é interessante ter um cliente doente – tanto do ponto de vista econômico quanto humano, motivo pelo qual tem investido cada mais em programas de promoção de saúde e prevenção de doenças – para as clínicas populares o que gera lucro é a doença, que faz com que as pessoas necessitem de exames e de tratamentos. Dessa forma podemos enxergar claramente duas visões de assistência de saúde privada: o plano de saúde e o plano de doença.

Os planos de saúde trabalham justamente no viés contrário: quanto mais doente a população, maior seu custo e, consequentemente, menor o resulto positivo. As operadoras têm isso bem claro em sua estratégia e trabalham focadas na promoção da saúde, incentivando hábito saudáveis, como alimentação correta, exercícios físicos e cuidados com doenças crônicas (diabetes, hipertensão, depressão etc). A prevenção propriamente dita também faz parte do dia a dia, o que significa conhecer a saúde de seus beneficiários para propor um adequado acompanhamento de saúde, com a indicação precoce de exames como medida de identificação de doenças. A mamografia, os testes ginecológicos, o exame de toque retal são alguns exemplos. São benefícios que apenas quem tem um plano de saúde pode contar.

Outro movimento forte nas operadoras é o de popularizar a figura do médico gestor ou, simplesmente, médico de família, um modelo de sucesso na área da saúde bastante difundido no Canadá e em países da Europa, que tem um nível de resolubilidade muito superior a encontrada atualmente no Brasil. O médico de família tem a capacidade de cuidar dos pacientes de forma generalista, evitando a troca frequente de profissionais e as consultas desnecessárias. Por conhecer o histórico do paciente, o médico de família é quem irá avaliar e fazer o encaminhamento para o especialista, se necessário.

A grande maioria da população vai ao médico quando já estão com um problema e aí cabe ao profissional (nem sempre o mais indicado) apenas tratar os sintomas. O que se busca é que as pessoas cuidem de sua saúde de forma constante e o médico de família seja o grande aliado nesse objetivo. Esse modelo de saúde proposto é benéfico para a população, para as operadoras de planos de saúde e para a saúde pública. O caminho é longo, pois envolve uma mudança cultural. Mas as perspectivas são otimistas: a tendência é que baixe drasticamente os custos das operadoras que poderão repassar essa economia aos beneficiários. Isso também irá desafogar o SUS que poderá buscar maior equilíbrio e melhores práticas.

Outra solução plausível para a realidade brasileira e que necessita de legislação da ANS é a utilização da ampla rede de operadoras de saúde, com sua expertise em prevenção de doenças e promoção à saúde, na oferta de consultas e exames pré-pagos nos mesmos moldes do Sinam – Sistema Nacional de Atendimento Médico. Estes procedimentos poderiam ser cobrados à parte junto ao plano hospitalar obrigatório, permitindo que o beneficiário tenha a segurança de um plano de saúde em regime de internação hospitalar, justamente onde há grande dificuldade no pagamento direto devido aos altos custos envolvidos. Esta modalidade permitiria baixar em até 50% o custo dos planos médicos, trazendo mútuo benefício para a população e a operadora de saúde.

Cadri Massuda é presidente do SINAMGE-Sindicato Nacional dos Planos de Saúde e presidente da regional PR/SC da ABRAMGE-Associação Brasileira de Planos de Saúde.

 

Plano de saúde familiar vai subir até 13,55%

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 20 maio 2017

Tags:,

Janaína Ribeiro
do Agora

Os planos de saúde individuais e familiares terão reajuste de até 13,55%, mais do que o triplo da inflação registrada nos últimos 12 meses até abril, que ficou em 4,08%, segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

O aumento definido pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) vale apenas para os planos contratados após janeiro de 1999 ou adaptados à lei 9.656, de 1998, e atingirá o contrato de 8,2 milhões de beneficiários no país.

O número representa 17,2% do total de 47,5 milhões de consumidores de planos de assistência médica no país em contratos firmados a partir de 1999.

Servidores de Conquista poderão ter plano de saúde a partir do segundo semestre

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 15 maio 2017

Tags:, , ,

Da Redação

Foto: Secom PMVC

Em reunião com membros do Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista (Simmp) e do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserv), a prefeitura anunciou que a partir do segundo semestre, os servidores terão direito a plano de saúde. De acordo com comunicado da administração, em razão de uma parceria recentemente firmada com a Unimed, uma proposta de plano de saúde estará disponível aos servidores municipais a partir de 1º de julho.

Ainda conforme a prefeitura, se aderir, o servidor terá direito a uma tabela diferenciada. Entre as vantagens, não haverá carência, taxa de adesão nem co-participação, além da possibilidade de inclusão de dependentes.

Vale Alimentação

Ainda em contato com os servidores, a prefeitura anunciou o aumento do vale-alimentação em 25%, para todas as categorias. A novidade é que, dentro de no máximo três meses, o vale passará a ser pago em forma de cartão.

Servidores municipais de Conquista poderão ter plano de saúde

0

Publicado por Editor | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 25 abr 2017

Tags:,

Da Redação

Foto: Secom PMVC

Em reunião com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinserv), realizada nesta terça-feira (25), membros da administração municipal de Vitória da Conquista legitimaram o desejo de beneficiar todos os servidores com plano de saúde.

“Nessas negociações o Governo fez a opção política de oferecer um plano de saúde aos servidores. Estamos estudando mecanismos para isso”, ressaltou o secretário de Administração, Gildásio Oliveira. Além disso, o Governo se comprometeu em criar uma comissão para discutir a implantação da guarda municipal e envolver todos os sindicatos na comissão de elaboração dos pontos da reforma administrativa, prevista para acontecer no segundo semestre.

Durante a reunião, conforme informações divulgadas pela Secretaria de Comunicação, a Prefeitura reafirmou a proposta e o interesse de atender as reivindicações econômicas do Sinserv, dentre elas, o reajuste salarial, a partir da análise e da consolidação da receita líquida do município neste primeiro quadrimestre.

Reunião entre patrões e Rodoviários é adiada para esta terça

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 11 maio 2015

Tags:, ,


por Mateus Novais

cidade-verde-vitoria-onibus-161O primeiro encontro entre as empresas de ônibus do transporte coletivo de Vitória da Conquista e os Rodoviários, que deveria ocorrer nesta segunda-feira (11), foi adiado para a terça (12). A ausência de representantes da Viação Cidade Verde motivou o cancelamento do encontro, que começaria a discutir a implantação do plano de saúde e o novo acordo salarial.

Segundo um dos diretores do Sindicato dos Rodoviários (Sintravc), Valdeni Evangelista, somente a diretoria da Viação Vitória compareceu à reunião. “Aproveitamos para conversar com o diretor da empresa sobre as paralisações e o descontentamento da categoria com estas pautas que não estão avançando. O plano de saúde está sendo descontado, a contribuição sindical também e não está havendo os repasses. Mas amanhã [terça] vamos começar a debater esse tema com o mediador contratado por eles. Esperamos que avancemos”, declarou o sindicalista.

Na Campanha Salarial 2015, os rodoviários pedem uma equiparação do vencimento e do ticket alimentação ao que é praticado atualmente em Feira de Santana, R$ 1.744.

Empresas e Rodoviários se reúnem nesta segunda para por fim em paralisações

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 11 maio 2015

Tags:, , , ,


por Mateus Novais
foto: arquivo BRG

DSC_1285Rodoviários e representantes das empresas de ônibus se reunirão nesta segunda-feira (11) para discutir os pontos de reivindicações referentes ao funcionamento do plano de saúde dos trabalhadores. O impasse provocou paralisações no transporte coletivo na última sexta.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários (SINTRAVC), o plano de saúde bloqueou o acesso dos funcionários da empresa Cidade Verde 15 dias após o início dos serviços, por falta de pagamento. Para os funcionários da Vitória, o plano de saúde foi bloqueado há 10 dias, também por falta de pagamento, sendo que o valor de repasse referente aos dois últimos meses foi descontado do salário dos funcionários.

A categoria realizou duas mobilizações na última sexta, uma entre às 5 horas e 8 horas e outra das 11 horas às 13 horas.

A Justiça manteve a liminar deferida no mês de fevereiro deste ano e determinou neste final de semana que o Sindicato dos Rodoviários não poderá realizar paralisação com 100% da frota, devendo manter, ao menos 50% dos veículos em circulação na cidade. A decisão prevê ainda uma multa de R$20.000,00 ao dia, caso o Sindicato não cumpra a determinação Judicial.

Rodoviários suspendem paralisação das 19h

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 08 maio 2015

Tags:, , ,


por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

DSC_0043

O Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista voltou atrás e decidiu suspender a terceira paralisação anunciada para às 19 horas, desta sexta-feira (8). A categoria realizou duas mobilizações hoje, uma entre às 5 horas e 8 horas e outra das 11 horas às 13 horas.

Em contato com o BLOG DA RESENHA GERAL, um dos diretores do sindicato, Valdeni Evangelista, explicou que os empresários convocaram os rodoviários para uma reunião. “A reunião ocorrerá na segunda [11 de maio], para que possamos enumerar as nossas reivindicações e chegarmos a um acordo”.

Um dos principais problemas a ser resolvido é o funcionamento do Plano de Saúde, fechado entre as partes em março deste ano, mas que até o momento não é ofertado para os trabalhadores.

Rodoviários cruzarão os braços das 19h às 21h; entenda o impasse

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 08 maio 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

DSC_0036

Os rodoviários de Vitória da Conquista anunciaram mais uma paralisação nesta sexta-feira (8). Os ônibus do transporte coletivo urbano deixaram de circular das 05 horas às 08 horas e entre às 11 horas e 13 horas. O motivo do impasse é o plano de saúde, que começou a funcionar em março deste ano.

A nova paralisação ocorrerá das 19h às 21h e poderá atingir outros dias. Segundo o Sindicato dos Rodoviários (SINTRAVC), o plano de saúde bloqueou o acesso dos funcionários da empresa Cidade Verde 15 dias após o início dos serviços, por falta de pagamento. Para os funcionários da Vitória, o plano de saúde foi bloqueado há sete dias, também por falta de pagamento, sendo que o valor de repasse referente aos dois últimos meses foi descontado do salário dos funcionários.

A Viação Vitória não deu mais esclarecimentos, mas confirmou atrasos. Já a empresa Cidade Verde, por meio da assessoria, afirmou que a responsabilidade pelo bloqueio do plano é do próprio sindicato. Na versão da Cidade Verde, a operadora de saúde teria firmado com a entidade um acordo informando que concederia o plano aos funcionários, caso houvesse uma adesão de, no mínimo, 90% dos servidores. Entretanto, menos de 80% dos funcionários aderiram.

Mesmo com a adesão inferior à prevista, a Cidade Verde diz que a operadora de saúde encaminhou boleto para a empresa cobrando o valor referente a uma adesão de 100%, o que motivou a suspensão do desconto do valor dos funcionários em folha.

Cidade Verde repudia paralisação dos rodoviários

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 08 maio 2015

Tags:, , , , ,


por Mateus Novais

cidade-verde-vitoria-onibus-151

Logo após o fim da paralisação dos rodoviários, na manhã desta sexta-feira (8), a empresa de transporte coletivo Cidade Verde emitiu nota repudiando a atitude da categoria. Segundo a empresa, “mais uma vez, a sociedade conquistense sofre com uma ação ilegal perpetrada pelo sindicato”.

A Cidade Verde aponta que os trabalhadores e patrões estão em um momento de negociação salarial e que o “cenário econômico é totalmente desfavorável”, de “crise econômica”. Ainda segundo a empresa, as concessionários do transporte coletivo local “buscam otimizar recursos disponíveis para continuidade do serviço e manutenção de sua qualidade e dos empregos. Por estarem as negociações ainda em andamento, não há razões para greves e paralisações como a ocorrida hoje”.

A empresa garante que “tem cumprido com todas as suas obrigações e mantido a qualidade do serviço essencial que presta”.

Por fim, a nota ressalta que “mais uma vez o sindicato paralisa o serviço público de transporte, causa transtornos aos cidadãos e trabalhadores da cidade, sem observância da Lei e da Justiça. Fazendo dessa barganha extremamente prejudicial à população, algo rotineiro e desrespeitando assim o direito de ir e vir de milhares de cidadãos”.

Rodoviários voltam a paralisar entre às 5h e 8h, nesta sexta (8)

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 07 maio 2015

Tags:, , ,


por Mateus Novais
foto: arquivo BRG

DSC_1204

A cidade de Vitória da Conquista voltará a ficar sem o serviço de transporte coletivo nesta sexta-feira (8). Uma paralisação no transporte coletivo está programada para acontecer entre às 5 e 8 horas.

Entre os motivos para a paralisação estão problemas no repasse do valor descontado para o plano de saúde. Em contato com o BLOG DA RESENHA GERAL, o Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC) informou que o plano foi suspenso por falta de repasse dos valores acordados no início do ano. “A Viação Cidade Verde não está recolhendo na fonte o valor referente ao plano, nem está pagando a porcentagem estabelecida em acordo. Já a Viação Vitória está recolhendo, mas está atrasando o repasse para a operadora do plano”, explicou o sindicato.

Além disso, os rodoviários pedem que os vereadores incluam uma nova emenda ao Projeto de Lei que prevê redução do Imposto Sobre Serviços. A categoria quer condicionar a redução de 5% para 2% no ISS também a um reajuste no valor do salário e ticket alimentação – os trabalhadores lutam por um valor semelhante ao que é praticado em Feira de Santana, R$ 1.640.

Rodoviários e empresas reúnem-se hoje à tarde

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 31 mar 2015

Tags:, ,

por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

IMG_7246

Após a paralisação dos rodoviários na manhã desta terça-feira (31), a empresas do transporte coletivo convocaram os trabalhadores para uma reunião. O Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC) suspenderam a circulação dos ônibus entre as 5h e 8h, por problemas no pagamento do Plano de Saúde.

As empresas Viação Vitória e Viação Cidade Verde chamaram os trabalhadores para uma conversa na tarde de hoje. Em contato com a diretoria do SINTRAVC, o BLOG DA RESENHA GERAL foi informado que “provavelmente chegarão a uma resolução do problema ainda nesta terça”.

Segundo o sindicato, as empresas não pagaram a primeira parcela do Plano de Saúde. Além disso, outros problemas, como o não pagamento do ticket refeição por parte da Viação Vitória, motivou a mobilização.

Em fevereiro, as empresas se comprometeram a pagar 25% do plano de saúde para os cobradores e 20% para os motoristas.

Vitória da Conquista acordará sem ônibus nesta terça (31)

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 30 mar 2015

Tags:, ,


por Mateus Novais
foto: arquivo BRG

DSC_1204A cidade de Vitória da Conquista acordará sem ônibus nesta terça-feira (31). Uma paralisação no transporte coletivo está programada para acontecer entre as 5h e 8h. Em contato com o BLOG DA RESENHA GERAL, o Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC) informou que os ônibus deixarão de circular por problemas no Plano de Saúde.

Segundo o sindicato, as empresas não pagaram a primeira parcela do Plano de Saúde. Além disso, outros problemas, como o não pagamento do ticket refeição por parte da Viação Vitória, motivou a mobilização.

Em fevereiro, as empresas Viação Vitória e Viação Cidade Verde se comprometeram a pagar 25% do plano de saúde para os cobradores e 20% para os motoristas. O SINTRAVC diz que a proposta de retornar às mesas de negociações em quatro meses após o acordo motivou a categoria a aceitar a oferta dos patrões.

Rodoviários comemoram acordo que define plano de saúde

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 05 fev 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais

DSC_2645O acordo que institui o percentual de pagamento para trabalhadores e empresas de transporte coletivo foi amplamente comemorado pelo Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC). Logo após assinarem o documento em que as empresas Viação Vitória e Viação Cidade Verde se comprometeram a pagar 25% do plano de saúde para os cobradores e 20% para os motoristas, o presidente do sindicato falou ao BLOG DA RESENHA GERAL.

Alvaro Souza destacou a importância do acordo para os trabalhadores do transporte coletivo como algo histórico. “É uma grande conquista para a categoria. Finalmente conseguimos fechar o acordo para os trabalhadores, que é uma luta de mais de 30 anos”.

Apesar do percentual que será pago pelas empresas sobre o valor de R$ 81 ser bem menor do que os 50% proposto pelos trabalhadores, o sindicalista diz que a proposta de retornar às mesas de negociações em quatro meses motivou a categoria a aceitar a oferta dos patrões. “O compromisso de manter o diálogo em torno de uma maior participação das empresas é um dos pontos importantes que nos fizeram aceitar a proposta oferecida pelos patrões”, afirmou.

Segundo o acordo, as duas partes irão negociar uma participação maior por parte das empresas em 120 dias.

Viação Vitória também fecha acordo com rodoviários; transporte é normalizado 

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 05 fev 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

cidade-verde-vitoria-onibus-161O Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC) e a Viação Vitória acabaram de fechar o acordo do percentual referente ao plano de saúde. O acordo segue os mesmos moldes do que foi acertado pela Viação Cidade Verde horas antes.

As duas empresas se comprometeram a pagar 25% do plano de saúde para os cobradores e 20% para os motoristas. A empresa também se comprometeu a regularizar o pagamento do FGTS, terço de férias, ticket alimentação e mensalidade sindical.

Rodoviários e Cidade Verde fecham acordo; Vitória continua em greve

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 05 fev 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais

IMG_1548Às 10h30 desta quinta-feira (5), a Viação Cidade Verde e o Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC) fecharam um acordo do percentual referente ao plano de saúde. O acordo põe fim as paralisações de parte do transporte coletivo da cidade. Mas o imbróglio continua com a empresa Viação Vitória.

Segundo o diretor de comunicação do SINTRAVC, Vadenir Evangelista, “o acordo prevê o pagamento, por parte da empresa, de 25% do plano de saúde para os cobradores e 20% para os motoristas. E dentro de 120 dias voltaremos a negociar esse percentual”.

Já a Viação Vitória continua em greve. Os sindicalistas garantiram o percentual mínimo do serviço, com 30% das linhas referente a empresa circulando. “A Vitória não está pagando FGTS, está atrasando o pagamento do terço de férias em 15 dias e também do ticket alimentação. Além disso, não repassa a mensalidade sindical desde abril de 2014”, garantiu o diretor da SINTRAVC.

* Na foto, Sindicato e representantes da Viação Cidade Verde discutem acordo na porta da garagem da empresa

Rodoviários mantêm 50% da frota da Cidade Verde nas ruas e paralisam a Vitória

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 04 fev 2015

Tags:, , , ,

por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

IMG_7246

Enquanto as empresas do transporte coletivo recebiam a imprensa para uma coletiva, na sede da Associação dos Operadores do Transporte Coletivo Urbano (ATUV), há alguns metros dali, os rodoviários voltavam a paralisar a circulação dos ônibus. Dessa vez, cumprindo a decisão de uma liminar da Justiça do Trabalho, que determinou o funcionamento de 50% da frota por linha.

Porém, segundo o Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC), somente foi respeitado os 50% da frota para a Viação Cidade Verde. “Cumprimos a decisão da Justiça, que beneficia a Cidade Verde. A Vitória recolhemos os ônibus para as garagens e talvez nem retornemos amanhã”, afirmou o diretor de comunicação do SINTRAVC, Vadenir Evangelista. Mesmo com a decisão, o sindicalista evitou falar em greve.

Da outra ponta, as empresas afirmam que a decisão liminar compreende as duas empresas. “Não existe falar de transporte coletivo em Conquista, citando apenas uma empresa. Já acionamos o corpo jurídico, que tomará a providência para o correto cumprimento da decisão judicial”, afirmou o negociador contratado pelas empresas, Victor Marcondes.

“Sindicato se encastelou atrás de uma proposta inviável”, diz empresas de ônibus

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 04 fev 2015

Tags:, , , ,


por Mateus Novais
foto: Roberto Silva

DSC_2690A afirmação lida no título dessa matéria deixa bem claro o impasse que há hoje entre o Sindicato dos Rodoviários de Vitória da Conquista (SINTRAVC) e as empresas do transporte coletivo (Viação Cidade Verde e Viação Vitória). No final da tarde desta quarta-feira (4), as empresas convocaram a imprensa conquistense para afirmar que não há possibilidade de se avançar nas negociações do percentual do plano de saúde para os rodoviários.

Pelo menos é o que garante o negociador contratado pelas empresas, Victor Marcondes (a esquerda da foto), autor da frase de efeito do título do texto. Para ele, a implantação do plano, independente da participação percentual das empresas “é um avanço histórico, já que nunca houve um plano de saúde para os trabalhadores”. Marcondes ainda ressalta o reajuste de 9% nos salários e mais 11% no vale alimentação, além do aumento de 16% no combustível, para afirmar que “não há como conceder um percentual de mais de 10% no plano”. “O problema é que o sindicato não está argumentando as propostas, estão pedindo 50% e ponto final”, garante o representante das empresas.

Além disso, as empresas argumentam que não houve um acordo, em 2014, para que as empresas pagassem qualquer valor referente ao plano de saúde. “O que está na ata do Ministério [Público do Trabalho – MPT] é um compromisso para realizar um estudo para implementar o plano. Compromisso que foi cumprido desde julho do ano passado e finalizado no dia 17 de janeiro deste ano, com a definição do valor em R$ 81 para cada trabalhador”.

Por estas questões, os empresários afirmam que não há como aceitar qualquer tipo de pressão vinda do sindicato. “Se nós cedermos todas as vezes a esse rolo compressor, a cidade vai gemer”, finalizou o diretor da Viação Cidade Verde, Sergio Huber (a direita da foto).

Cidade Verde diz que rodoviários tem conduzido negociações de “forma arbitrária”

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em transporte | Data: 04 fev 2015

Tags:, , ,

por Mateus Novais

cidade-verde-vitoria-onibus-151A Viação Cidade Verde divulgou nota de esclarecimento à imprensa sobre a negociação do percentual do plano de saúde dos rodoviários. No comunicado, a empresa lamenta “a forma arbitrária com que o Presidente do Sindicato [Alvaro Souza] vem conduzindo as negociações”. Segundo ela, o sindicalista vem “descumprindo ordens judiciais e tomando medidas que prejudicam a classe e, principalmente, a população”.

Confira a nota completa:

Diante das recentes paralisações articuladas pelo Sindicato dos Rodoviários, achamos por bem esclarecer os fatos ocorridos nos últimos dias.

Em nenhum momento as empresas Cidade Verde e Viação Vitória se recusaram a negociar com o Sindicato. Como é de conhecimento de todos os nossos colaboradores, as empresas já apresentaram proposta de negociação ao Presidente e até o momento não receberam uma resposta positiva.

Desde que iniciamos a nossa operação em Vitória da Conquista, cuidamos para ter uma relação respeitosa com nossos colaboradores, basta lembrar que praticamente todo o quadro de funcionários da Viação Serrana foi admitido e tiveram suas questões trabalhistas regularizadas.

Nunca é demais lembrar que em 2014, também após negociações, as empresas concederam aos seus colaboradores um reajuste de 9% nos salários e mais 11% no vale alimentação, benefícios que somados superam o dobro do INPC.

Ainda sobre esses reajustes, é importante salientar que eles ocorreram na data base (mês de maio) enquanto as tarifas só foram reajustadas no mês de novembro. Ou seja, durante sete meses as empresas tiveram que assimilar os custos desses benefícios sem receber nenhum tipo de contrapartida.

Outro ponto que não pode ser esquecido são os sucessivos aumentos nos custos dos combustíveis, que já chegam a 16% em menos de 90 dias, e que comprometem substancialmente a operação das empresas de transporte coletivo.

Por fim, lamentamos a forma arbitrária com que o Presidente do Sindicato vem conduzindo as negociações, descumprindo ordens judiciais e tomando medidas que prejudicam a classe e, principalmente, a população.