Aos 86 anos, morre o poeta e escritor Ferreia Gullar; ele estava internado no Rio

0

Publicado por Editor | Colocado em Brasil | Data: 04 dez 2016

Tags:, ,

Bahia Notícias

imagem_noticia_5O poeta e escritor Ferreira Gullar faleceu nesta manhã deste domingo (4). A informação foi confirmada pelo colunista Ancelmo Gois, porém a causa do óbito ainda não foi divulgada. Ele estava internado no Hospital Copa D’Or, Rio de Janeiro.

Ferreira nasceu no dia 10 de setembro de 1930 em São Luiz, no Maranhão. No início da década de 1950, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde, em 1956, participou da exposição concretista, considerada o marco oficial do início da poesia concreta. Três anos depois, criou com Lígia Clark e Hélio Oiticica, o neoconcretismo, que valoriza a expressão e a subjetividade em oposição ao concretismo ortodoxo.

Militante do Partido Comunista, exilou-se na década de 1970, durante a ditadura militar, e viveu na União Soviética, na Argentina e Chile. Retornou ao país em 1977 e foi preso por agentes do Departamento de Polícia Política e Social.

Em 2014, foi eleito para a Academia Brasileira de Letras. Já em 2010, foi agraciado com o Prêmio Camões, o mais importante prêmio literário da Comunidade de Países de Língua Portuguesa. No mesmo ano, foi contemplado com o título de Doutor Honoris Causa na Faculdade de Letras da UFRJ. Um ano depois ganhou o Prêmio Jabuti com o livro de poesia “Em alguma parte alguma”.

Escola homenageia o poeta Camilo de Jesus Lima com um sarau literário

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Cultura | Data: 25 nov 2016

Tags:, , ,

por Mateus Novais

img_1125

Nesta noite de sexta-feira, dia 25 de novembro, os alunos do ensino médio da Escola Cardoso e Albuquerque realizam um sarau como apresentação final do projeto “Vida e Obra de Camilo de Jesus Lima e o Problema da Viola Quebrada”. O evento acontece Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima, a partir das 19 horas, com entrada gratuita.

O sarau conta com momento musical, dramatização, dança e recitação do poema “Viola Quebrada”. Todos estes interpretados pelos próprios alunos. O projeto foi  idealizado pelos professores Graça Telles e Tiago Albuquerque, em conjunto com o corpo docente da instituição.

Dispersão das cinzas do poeta Clóvis Álvares de Lima reúne admiradores e amigos

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 04 maio 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais
fotos: Rafael Gusmão

DSC_1668

Amigos e admiradores do poeta conquistense Clóvis Álvares de Lima se reuniram, nesta quarta-feira (4), na Praça Tancredo Neves, para acompanhar a cerimônia de dispersão de cinzas do seu corpo. Clóvis era membro da Academia de Letras da Bahia faleceu no último dia 22 de março, aos 102 anos, em Salvador, onde foi cremado. A cerimônia foi um pedido do próprio poeta, pois foi nesta praça que o poeta nasceu, no dia 11 de março 1914, e onde ficava localizada a residência da família.

Contemporâneo de Camillo de Jesus Lima e Claudionor Brasil, participou da Ala das Letras e das Artes de Conquista e escreveu para o semanário local “O Combate”. Durante alguns anos, o literário colaborou com o jornal A Tarde, publicando crônicas e poemas na página literária. Colaborou também com as revistas A Luva, da Bahia, e O Malho, do Rio de Janeiro.

DSC_1619

Avesso a publicar em livro, teve, em 1975, alguns de seus poemas, traduções do francês e versões de poemas para essa língua, reunidos num volume organizado por Antônio Loureiro de Souza, intitulado A poesia de Clóvis Lima. O mesmo ocorreu mais adiante, em outro volume, com seleção e prefácio de Cláudio Veiga.

Devido a esse posicionamento, sua produção poética encontra-se, em grande parte, publicada nos diversos números da Revista da Academia de Letras da Bahia, entidade que integrava desde 1980, ocupando a Cadeira nº 22. Clóvis Lima foi o primeiro membro da instituição a chegar com vida aos cem anos de idade.

Cinzas do poeta Clóvis Lima serão espalhadas na Tancredo Neves

0

Publicado por Mateus Novais | Colocado em Vit. da Conquista | Data: 03 maio 2016

Tags:, ,

por Mateus Novais*

clovis-lima-o-abcNesta quarta-feira (4), ocorre a cerimônia de dispersão de cinzas do corpo do poeta conquistense Clóvis Álvares de Lima, Praça Tancredo Neves, em Vitória da Conquista. O membro da Academia de Letras da Bahia faleceu no último dia 22 de março, aos 102 anos, em Salvador, onde foi cremado.

Atendendo ao pedido de Clóvis Lima, suas cinzas serão espalhadas na Praça, local onde ficava a residência de seus pais e o poeta nasceu no dia 11 de março 1914, quando o local ainda era denominado Praça 15 de Novembro. A cerimônia será às 17 horas.

Contemporâneo de Camillo de Jesus Lima e Claudionor Brasil, participou da Ala das Letras e das Artes de Conquista e escreveu para o semanário local “O Combate”. Durante alguns anos, o literário colaborou com o jornal A Tarde, publicando crônicas e poemas na página literária. Colaborou também com as revistas A Luva, da Bahia, e O Malho, do Rio de Janeiro.

Avesso a publicar em livro, teve, em 1975, alguns de seus poemas, traduções do francês e versões de poemas para essa língua, reunidos num volume organizado por Antônio Loureiro de Souza, intitulado A poesia de Clóvis Lima. O mesmo ocorreu mais adiante, em outro volume, com seleção e prefácio de Cláudio Veiga.

Devido a esse posicionamento, sua produção poética encontra-se, em grande parte, publicada nos diversos números da Revista da Academia de Letras da Bahia, entidade que integrava desde 1980, ocupando a Cadeira nº 22. Clóvis Lima foi o primeiro membro da instituição a chegar com vida aos cem anos de idade.

*Informações e foto Secom PMVC

Terra Santa

0

Publicado por Editor | Colocado em Cultura, Vit. da Conquista | Data: 16 maio 2015

Tags:,

Por Alberto David

Alberto-David8Tormentos, torturas e mortes…
Crueldade sem limites!
É a Guerra Santa dos rancores acumulados,
de milênios…onde não há perdões,desculpas.
É a Guerra Santa das vinganças,
De ódios desmedidos,
Em que tudo poderia ser diferente,
Um povo que poderia ser referência
Para o mundo de Paz !?
Mas não, é a incoerência da fé
E os seus deuses imperfeitos…
homens comuns, trocados por Jesus.
Nas terras onde impera a covardia
e a crueldade exacerbada, em exibição ao mundo,
das cabeças cortadas, de inocentes, fanáticos , loucos ; não ruins ao último limite da fera humana. …Leia na íntegra

Morre um grande poeta

0

Publicado por Editor | Colocado em Cultura | Data: 14 nov 2014

Tags:, ,


da Redação

MAnoel de BarrosMorreu ontem o poeta mato-grossense, Manoel de Barros, aos 97 anos em Campo Grande. Escreveu 18 livros e recebeu vários prêmios literários. O Guardador de águas e o Fazedor do Amanhecer, os mais conhecidos.

O JN do TV Globo, na voz de William Boner, relembrou um dos belos poemas de Manoel de Barros.

Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas
mais que a dos mísseis.
Tenho em mim
esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância
de ser feliz por isso.
Meu quintal
É maior do que o mundo.

Manoel de Barros

Alberto David: autodidata das artes e da literatura

0

Publicado por Editor | Colocado em Geral | Data: 23 jul 2014

Tags:, ,

Por Claudio Hermes

Desde jovem, David se dedica às várias formas de arte, destacando-se na pintura e, talvez, seja o primeiro artista moderno desta terra.

Foi ainda pela década de 70 que iniciou sua carreira, uma carreira polivalente, sobressaindo-se também na literatura, escreveu para todos os jornais conquistenses, desde os anos 7O. Filho de família tradicionalista, iniciou sua carreira com a indiferença e falta de apoio dos pais, que não viram “aquilo com bons olhos“ . Casou cedo, constituindo uma família bastante povoada, e tudo isso dificultou o seu trabalho, mesmo assim, com todas as intempéries, continuou o seu trabalho, numa época em que os artistas não tinham apoio. …Leia na íntegra